27.10.15

Transcrições das escutas da "Operação Marquês" - "Agora, é só "dumping" na construção civil, e os Dragões, na Macroaxis, já vão com risco de falência de 73%... esta merda está mesmo em risco de ir pelo cano, carago..."








Imagem do Kaos





Do CD 56, da série "collector's prize" do procurador Rosário Teixeira

(1.00 da manhã, toca o telefone no quarto da Praia da Restinga. A Soares fêmea já está de rolos na cabeça)

R.P.S. - 'Tou... Quem fala?

C.S.S. - É o Carlos, meu sucateiro. O Zé já me telefonou a dizer que falaste para ele...

R.P.S. - Pois falei, o gajo anda meio enconado com aquela cena das presidenciais, mas acho que bem conversado, de aqui a dois anos, o gajo vai..., ele precisa daquilo..., o bichinho está lá dentro... é genético, porra (risos)

C.S.S. - E tu vais ficar aí no Algarve?

R.P.S. - Pá, a patroa está outra vez com os reumáticos, quer solzinho na coluna e nas bifanas, não é minha troncha?... (ruído de palmada nas coxas) Estás rijinha, tás!... Ai, o caralho, um gajo já não te pode tocar que tu viras-te logo!... Ó, ó, ó, p'a ela, olha a gaja a virar-se a mim!... Tá quieta, chavala, que eu estou ao telefone!... 'Tou nos negócios!... Ai, o caralho, tás a ver a gaja, parece que está aluada!... Tá quieta, só te estava a dar umas palmadas nessa cu, amanhã já vamos à praia, e vamos almoçar ao "Gigi", vamos ter com a Sunsum... Sim... tá quieta, amanhã vamos falar com a Sunsum... no "Gigi"... e a Sunsum vai trazer roupa nova que não usa, para ti... Tás a ver como gostas?... Já mias como uma gatinha, fofinha..., e esse cuzinho é todo meu, não é?... Tá quieta, que eu estou ao telefone, ai, o caraças!...

C.S.S. - Ainda estás aí?...

R.P.S. - Tou..., espera que estou a amansar esta tarzana... Tá quieta, mulher, que eu estou ao telefone, ai, esta porra... Portanto, é assim, eu agora só vou para o Norte depois do fim de semana. Amanhã temos o Mourinho, e...

C.S.S. - O Mourinho?... Então vai haver caixas de fotocópias...

R.P.S. - Vai, pois vai, há sempre, aquela merda do "Conrad" está sempre cheia, é uma verdadeira fábrica de fotocópias... (risos) Só mulatas, daquelas muy calientes, olé, olé... (pausa) Tá quieta, pá, já estás com ciúmes, caralho..., eu estou a falar de gajas, mas é em negócios, é ou não, ó Carlos?... (risos) estamos aqui ao telemóvel, a falar de negócios, não é?... (risos) Portanto, as gajas.... fogo, parece o Norte, quando chega a primavera..., não é uma brasileira que faz a primavera, uma brasileira faz uma casa de... tá quieta, pá, já te disse que estou só na palhaçada com o Carlos!... Tu levas tudo a sério, carago, alguma vez me viste com alguma brasileira?... (risos) Tá quieta, que me 'tás a arranhar!... E então acho que vamos ficar assim, portanto

C.S.S. - Por mim, amanhã tenho uma reunião com a "Abrantina", e vamos falar com o Portas e com o Machete, para ver se desbloqueiam aquela merda na Colômbia, aquilo, se der certo, é um negócio do caralho, não se pode é dar muita bandeira, senão a concorrência sabe...

R.P.S. - Isso da construção civil, tirando Angola, está mau para caralho, qualquer dia, um gajo para se safar, tem de ir especular casas de esquimós.... (risos) vamos vender gelo para o Alaska, pá, com o Zé e a mãe dele (risos)

C.S.S. - E mandas a Nanda instalar lá um canal cabo, para dar concursos aos ursos polares... (risos)

R.P.S - Aos ursos polares, carago (risos) A velha vai vender a "Sentinela" aos esquimós e a outra assinaturas do "DN", com brindes de gelados, às focas, foda-se!... (risos)

C.S.S. - Então, é assim, agora, o gajo da "Abrantina" está a puxar-me para uma cena que é a única maneira de um gajo se safar...

R.P.S. - Se é para se safar já me interessa. Conta lá, que eu sou todo "óvidos", carago!...

C.S.S. - ... faz-se como nos hipermercados, como aqueles cabrões daqueles teus amigos da Sonae, as gajas vão com o carrinho de compras, vão sempre ao cheiro das coisas baratas, desde que a etiqueta tenha o preço curto, as gajas compram qualquer coisa, e eles pagam, é o fadinho do subúrbio, as castanholas do bairro social, as goelas aos gritos e o pessoal a faturar, pergunta lá ao teu amigo..., quando fores para cima, perguntas lá ao teu amigo dos pingos doces da Polónia como é que ele se safa, mas eu digo-te já... então a cena é assim, o leite eles vendem abaixo do custo de compra, e em compensação carregam no lucro das superbocks e das sagres, o leite eles até bebem pouco, mas as grades marcham umas atrás das outras, então com os derbies, fogo, é sempre a aviar, e aquela merda, tudo somadinho... um gajo ganha sempre a dobrar, e sai tudo satisfeito, em duas tardes, deixam lá o cheque todo da reinserção social, nas caixas da Matinha, e o teu amigo Belmiro depois é só Dom Pérignons, para trás, Dom Pérignons para a frente, em Cannes (risos)

R.P.S - Essa merda é o "dumping", não é?...

C.S.S. - Acho que sim, que eu, para línguas, já sabes... língua só de vaca, estufadinha, e bem regada com uma Periquita tinta... (risos) Só sei que essa merda é o que está a dar. os gajos carregam nos pretos e nos zucas, as obras são todas a dobrar, na Matola e na Tijuca, e aqui, nas metrópoles, vão ao concurso, muito à rasquinha, muito abaixo do custo, ganham tudo, tudo!... Há aí um gajo que qualquer dia é o dono desta merda toda, parece que vão fazer o terminal dos paquetes de Lisboa ao custo de umas barracadas de Chelas, e vai ser sempre a aviar, e quem não estiver bem que se mude, um gajo tem de viver, é, ou não é?...

R.P.S. - Ganda verdade, meu

C.S.S. - Agora, esta cena está mesmo má, e quando fores para cima é melhor dizeres ao teu patrão, isto já corre lá nos meios todos, parece que está tudo a meio caminho da bancarrota...

R.P.S - Banca... quê?...

C.S.S. - É uma cena, a Macroaxis, está sempre a faturar, a faturar, para ver quem vai ao fundo primeiro..., esta merda está mesmo má, o Banif tem risco de falência de 50%, porra, parece que os gajos andam a aguentar, a aguentar, a aguentar, a disfarçar aquela merda toda, mas o risco é mesmo de uma em duas, e pode ser amanhã, depois de amanhã, pode já ser no fim de semana.... ninguém sabe...

R.P.S. - Foda-se, esta merda está mesmo má, o melhor é um gajo bazar daqui, como o Zé... Olha lá, tu conheces Paris?... Diz que aquilo é muito grande, uma cidade só de gajas... (pausa) Tá quieta, pá!... Acordaste outra vez?... Para quieta, foda-se!... Ai, o caralho...

C.S.S. - ... o problema não são os bancos... isto do lado do Futebol está tudo roto...

R.P.S - O Futebol está roto???... Alto aí, que essa cena já me interessa!... Que é que tu sabes do Futebol, por que é que o Futebol está todo roto?... Vá, pá, vá, explica-te!...

C.S.S. - Mano, nada que não se saiba, esta merda tinha de estoirar... Os pretos tomaram tudo do Sporting, e o Benfica está todo fodido, essa cena da Macroaxis já chutou com uma previsão: 50% de falir já...

R.P.S. - É bem feita, esses cabrões, é bem feita, desde o Eusébio que já se deviam ter fodido todos, só cambalachos, jogos comprados, aquilo não se sabe se é balneário, se é uma casa de putas (pausa) Olha, olha, olha esta..., está quieta!... Isto da casa de putas é um modo de dizer, aquilo não é um balnéario, é um putedo, andam todos a comer-se, foda-se... É bem feita, já devia ter sido antes!...

C.S.S. - Mas o pior nem o Benfica, são mesmo os dragões, quando fores para cima, diz lá ao teu padrinho que o risco de falência...

R.P.S. - Risco de quê???...

C.S.S. - De falência... Pá, um risco de falência, dos Dragões, de 73%..., isto a meio da tarde, a esta hora já nem sei...

R.P.S. - 73%????????... C'um caralho, isso é mau, espera que eu vou já telefonar para cima (voz off, ... Jorge Nuno, tamos fodidos, pá, tá aqui um mano, pá a falar da falência do Dragão, caralho, falência, sim, pá, são uns gajos das "metriologias", de Nova Iorque... não, não sei de onde é, mas fazem previsões, estão dizer que essa merda vai toda pelo cano... Como é que eu sei, não sei, estão-me aqui a dizer no outro telefone... Não sei, se calhar é melhor perguntar, talvez seja melhor mandar já aí uns gajos para os abafarem, sim, é melhor que essa merda não se espalhe... não sei, acho melhor ir já para cima, carago, um gajo nunca pode estar sossegado, foda-se...)

(Fim da escuta)


(Quarteto do amanhã há mais, ah,pois há, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")

26.10.15

Transcrições das escutas da "Operação Marquês" - "Pá, eu pago tudo o que for preciso, carago!..."









Imagem do Kaos





Do CD 25 e 26, da série "collector's prize" do procurador Rosário Teixeira

(1.30 da manhã, toca o telefone Louis XVI, na Avenue du Président Wilson)



R.P.S. - 'tou, Zé?...

Zé - 'tou, que número é este?

R.P.S. - Sou eu, Zé, o Rui...

Zé - Qual Rui?...

R.P.S. - O Rui, carago!...

Zé - O Rui, com este número?... Mudaste de número?!...

R.P.S. - Mudei, pá, sou do Porto, o pessoal do Porto anda sempre a mudar de número, não sabes?... (risos) Os gajos "andêm" ai, carago, o Jorge Nuno a primeira coisa que me ensinou, quando eu fui para o clube, foi mudar de número, pá..., ter vários números, rodar, de mês a mês, para os gajos não criarem vícios... (risos) E tu 'tás bem, Zé?... O Carlitos disse que estavas a precisar de trocar uns bafos comigo... (pausa) Pá, aqui estou, sou todo "óvidos", chuta!...

Zé - Pá, eu hoje não posso estar muito tempo ao telefone, as gajas estão quase a chegar...

R.P.S. - Quais gajas?... Tu agora recebes gajas?...

Zé - (pausa) A "condessa" deve estar a chegar de Zurique, e eu não quero estar com isto na mão e no ouvido, quando ela chegar...

R.P.S. - Tu e as condessas, carago, os jornais agora andam cheios de condessas, é?... (risos)

Zé - Não é essa, pá..., esta vem da Suíça..., é a outra, e deve estar quase a chegar, o Perna foi buscá-la ao aeroporto...

R.P.S. - Olha, é assim, eu não vou demorar, o Carlos disse que até era uma boa, de aqui a dois anos, quando o espantalho for de cana, ou internado, empurrar-te para Belém, não sei se é isto, mas é mais ou menos, ou, se não é, desembucha, carago!...

Zé - Pá, Rui, isso ainda são conversas muito no ar, um gajo solta uma ideia assim..., o Carlos faz logo crescer tudo, parece um enredo, esse gajo adora teatradas.... pá, eu ainda não sei nada..., o que eu sei é que os gajos queriam compor um cenário, a narrativa política pode-se construir depois, eu não sou muito da linha do Chamuça, mas o gajo até pode estudar a coisa, quando "houverem" eleições e ele ganhar, ficam com o Governo e depois com a Presidência da Assembleia... para aí é mais simples... o resto ainda não...

R.P.S - Mais simples?...

Zé- Sim, parece que para a Assembleia da República vão querer o "Chuvas Douradas"

R.P.S. - Mas o "Chuvas Douradas" não tinha ficado queimado no "Casa Piae no "'tou-me a cagar para o segredo de justiça"?...

Zé - Pá, nós estamos em Portugal, em Portugal um gajo chamusca-se um coche, mas depois volta tudo ao mesmo, parece que não sabes, olha o Portas, em Portugal, nunca ninguém fica definitivamente queimado, também o Monhé se queimou, mas depois pôs-se de pé, e eu... também diziam que eu já me tinha queimado de vez..., queimado o tanas, eu depois fiz subir em força os foguetes nos comentários daquela porra da televisão, e agora, agora... quando começarem a andar à procura de um candidato para Presidente, pá... eu, mesmo sendo modesto..., eu até acho que tenho esse perfil... 

R.P.S. - Mano, eu também acho que sim, aliás, depois do algarvio, qualquer merda serve, não é?... até por que se fala que os cabrões, os fachos,  vão mesmo empurrar ou o Rui ou a Velha. O Rio está completamente queimado, daquelas merdas de Macau, é lá mais conhecido c'á potassa.... Agora a velha.... Pá, tu já uma vez ganhaste à Bruxa, não ganhastes?... Pronto, concorres e ganhas outra, não é, mano?  Ainda para mais, parece que a gaja tem aquela doença dos ossos, porra, dizem que se a empurrarem ela desfaz-se logo em pó ... (risos)

Zé - Mano, eu não sei se a Bruxa vai desta, os gajos devem querer mesmo agarrar o lugar... pá, os gajos agora vão jogar mesmo pelo seguro..., salvo seja... (risos) não vão querer andar em cenas...

R.P.S. - Deixa-te de caralhos, Zé, cenas era se empurrassem o boiola do Marcelo, esse gajo se percebe que pode perder qualquer merda agaça-se logo e foge, e eu acho que ele já perdeu muitas vezes, vezes a mais, o gajo está velho para essas cenas, gato escaldado tem medo de água fria, carago!... (pausa) O meu tio e a minha tia até aposto que curtiam ver-te Presidente, há muito tempo que não temos um dos nossos, da casa, carago, a falar de cima..., e, se a cena for... for... se a cena for livros, mano, o meu tio tem duas grandes bibliotecas, pá, uma, em Lisboa (risos) e a outra, em Nafarros, como tu sabes... (risos)

Zé - Pá, isso não sei, nós depois falamos, daqui a dois anos, quando for altura, de qualquer maneira, isto, agora, com o Carlos, foi só uma conversa, nós ainda estamos muito longe disso, eu aliás acho que não estou nem aí, pá, o que eu queria mesmo era ver se para o ano já levava daqui o mestrado e o doutoramento...

R.P.S. - Andas na Lusófona?...

Zé - Não, pá, estou em Paris, pá...

R.P.S. - E não há aí uma Lusófona?... Já sabes, Zé, se isso é uma questão de fotocópias,  eu arranjo as que forem precisas... (risos) as que tu precisares... (risos) um gajo que anda a estudar muito, como tu andas, deve ter a casa cheia de fotocópias... (risos) Pelo menos é o que dizem: os estudantes gastam uma pipa de massa em fotocópias (risos) É "Engenheiria" que tu andas a fazer, não é?...

Zé - Não, Engenharia eu já tenho, agora queria mesmo era... ou Filosofia, ou Sciences Po, o doutoramento vai mesmo ser em Sciences Po, isso eu já decidi...

R.P.S. - Sciences é aquela coisa de abrir ratos e rãs, não é?... Curtia bués essa cena, porra, quando andava na Escola do Furadouro, era só espetar e ver o sangue a espirrar, carago, aqueles bichos têm tantas peças lá dentro, como é que um gajo ia imaginar, caraças, não é?... um dia abri um, tirei tudo e joguei aquilo para o chão, as tripas e os bofes, para ver se ele corria..., não correu, estava a estrebuchar, mas acho que já estava assim... morto, ou o que era... fogo... eu até acho que, pensando bem..., essas cenas até me influenciaram a depois ir para a Noite..., o Jorge Nuno, aquelas cenas de facadas..., no fundo, os rapados do contra, os cabrões da cicatriz, são como os bichos, só que em grande... (risos) carago, nunca tinha pensado nisso... (risos) Um dia vi um todo aberto, até parece que tinha lá dentro mais peças c'um rato, 'tás a ver, nunca tinha visto tanto "instestino", pá, o gajo tinha "instestinos" até ao pescoço, foi uma cena do caralho, as gajas a saírem e a vomitarem... um charco de merda de sangue no chão, parecia uma morcela que tinha rebentado, tudo com a assinatura do dragão, o Jorge desvia os olhos, mas eu gosto de ver, curtir aquela cena a fundo..., quer dizer, quando se pode curtir e se pode ver, que no Porto as noites são escuras, carago... o Porto é um nação, um gajo aqui, é só noite, gajas e estrelas... da noite... (risos)

Zé - Em Paris não temos disso... assim...

R.P.S. - ... e quando é que tu vens ao Algarve, pá?... Quando é que tu vens ao Algarve?... Aquela merda está a bombar...

Zé - Pensei ir para o mês que vem, mas o Carlos ainda ficou de combinar, depois podemos marcar, preciso de ver na agenda quando é que o Zé vem de Inglaterra para acertar uns números...

R.P.S. - Qual Zé?... Não é o dos livros?... Esse não para, vai lançar outro, ainda gostava de saber quem os escreve...

Zé - Não, não é esse, é o Mourinho, pá, ficamos de marcar um jantar, e na volta vem logo ele e o Figo, assim arrumo tudo de uma só vez, por que eu agora queria era mesmo concentrar-me nos estudos...

R.P.S. - Mas concentras-te, pá, por que é que não te "há des" concentrar?... E, se precisares de alguma coisa, já sabes. O Carlos disse ainda que parece que querias que eu metesse uma bucha nos jornais...

Zé - Ah, sim, isso é mais ou menos no encadeamento dessa cena, pronto, eu fui para as Sciences Politiques, quer dizer, fui a duas conferências disso... Pronto, eu sei que estas coisas universitárias não é muito a tua praia, mas eu entrei nas duas conferências, eu até não sou muito estiloso em francês, pá, mas estive muito calado, como fiz na "Independente", nestas cenas, o importante é não dar muita cana, lá ao fundo, e depois, sair com o diploma (pausa) Pronto, a merda...

R.P.S. - Qual merda?...

Zé - A merda foi que depois ao fim fui ter com os gajos que estavam à frente daquela cena, e fui pedir um diploma, e os gajos disseram que aquilo não era para dar diplomas, e que devia, não percebi bem, mas acho que queriam que eu me inscrevesse... Ora, pá, inscrição... isso ia levar muito tempo...

R.P.S. - E queres que eu mande fotocópias para eles?... Eu dessas merdas não pesco boi, portanto, se eu estiver a pensar mal, tu corrige-me... portanto, no meu pensar, um gajo entra ali, vai ter com o boss, tira os livros da mala, estende os livros e diz qual é o diploma que quer, não é?... Foi isso que correu mal?... Explica-te, pá, carago, já sabes que eu sou todo "óvidos", carago!...

Zé - Pá, ia demorar muito tempo, não é bem assim, eu só queria que telefonasses para os gajos para evitar que esta cenas da bronca das conferências saia nos jornais... o "Jornal de Notícias" já liguei eu, agora...

R.P.S. - Queres que eu ligue para o "Diário de Notícias" e disfarce a voz?....

Zé - Não, esse também não é preciso... São os outros, pá, os outros é que ma andam a lixar, porra...

R.P.S. - Mas isso eu ligo e ameaço. Se eu pudesse fodia esses cabrões todos!... Se eu apanho um na "Night", ele que se cuide!...

Zé - Não, é melhor esqueceres, Rui, eu depois ligo para o Rato, os gajos arranjam a coisa...

R.P.S. - E quando é que tu vens ao Algarve?... Aquela cena está a bater, a bombar. A Quinta do Lago, carago, noites quentes, o pessoal de Angola, g'anda batida, havias de ver as brasileiras que chegaram, aquilo, qualquer dia, parece o Rio, só gajas daquelas da Bahia, muita chichinha, cabeludas em baixo, foda-se, uma gajo mete a mão, vem úmida, parece as chuvas no Pantanal (risos) no Mato Grosso... ui...

Zé - (silêncio)

R.P.S. - Os pretos vêm comer as gajas, aquelas castanhas e pintadas de louro, as brasileiras gostam todas de apanhar no cagueiro, são estimadinhas, quanto mais levaram atrás mais ficam com a fachada intacta, aquilo são só gajos com a carteira cheia de papel, brutas toras, havias de ver os gritos, saem dali todas rebentadas, (risos) parecem os ratos do laboratório... (risos)

Zé - (silêncio)

R.P.S. - ... mas do que eu gosto mesmo é das angolanas, brutas selas, uma carapinha em baixo, parece que estou a fazer festas na palha de aço (risos), foda-se, limpeza de cromados ... (risos) sempre que quero polir a aliança, meto as mãos naquelas coxas, depois levo os dedos (risos) à boca, carago, só de escrever isto já estou todo em pau, foda-se!...

Zé - (silêncio)

R.P.S. - Que foi, mano, estás tão calado... Estás aí?... (pausa) Pá, desculpa, já me esquecia dessas cenas, cada um nos seus colos..., se tu quiseres, a gente fala de outras cenas, naquela urbanização onde costuma ficar o Zé...

Zé - Qual Zé?...

R.P.S. - O Zé, o tubarão de Angola, naquele seguimento de casas é só cenas, já é a segunda vez esta semana que o chavalo de lá, o João, o que trata daquela merda quando o patrão está fora (risos) foda-se, teve de fugir pelos telhados, a judite atrás, a branca a voar, caiu o saco ao chão, parecia neve, foda-se, o que vale é que depois acaba tudo bem, o pessoal até se conhece, como é escuro e a maior parte deles é preto..., foda-se, perde-se tudo, carago, escondidos na noite, grand 'Algarve, fogo, g'andas festas, este país devia estar sempre assim, na "night"...


(Fim da escuta)




                                                (Quarteto das chuvas douradas no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e no "The Braganza Mothers")

25.10.15

Transcrições das escutas da "Operação Marquês" - "Se esta merda entornar, eu sou capaz de pôr o Rui Pedro Soares a pagar-me a candidatura às Presidenciais..."






Imagem do Kaos




Do CD 22, da série "collector's prize" do procurador Rosário Teixeira

(1 da manhã, toca o telefone Louis XVI, na Avenue du Président Wilson)


C.S.S. - Mano, desculpa a hora...

Zé - Tá-se bem, não há espiga, a hora mudou. Já tens os bilhetes?

C.S.S. - Tá tudo organizado, deixa cá confirmar... Formentera... O carro está alugado, e já encomendei o serviço das refeições ao hotel, é só mesmo para descansar, para virarmos as costas a esta merda toda, fogo, a Inês anda doida por uma folga...

Zé - ... e vamos ter uma folga, pá... (risos) Mais uma... (risos) mas, olha lá, está tudo como combinado?...

C.S.S - ... tudo como combinado, só nós quatro, tudo incluído, Migjorn só para aqui, para o pessoal...e vamos a partir de Madrid, e não de Lisboa, para evitar que os cabrões dos paparazii venham atrás. Até lá, cada um safa-se por si. Depois, é tudo ao molho, e fé em deus. Até já troquei as horas, e está tudo registado como "trabalho", e os nomes são os do costume, nada de coisas que os gajos bifem. Ficou a Inês, a Madame "S." e tu vais como Engenheiro Roldão. Ainda estive para te registar com o nome do Mão de Ferro, mas é melhor não dar abébias ao pessoal, esses gajos, c'um caralho, parece que farejam a desgraça!...

Zé - Pá, eu só quero é saltar daqui para ver o mar, saltar para curtir uma bruta folga... Mais uma (risos). Por que eu, depois..., depois, eu quero mesmo começar a estudar a sério...

C.S.S - Estudar, ou "livros"?... (risos)

Zé - ... As duas, pá, as duas (risos) já sabes que uma não vai sem a outra... (risos) Aliás (risos) nem podia... (risos) Estudar sem "livros" é para os pobres (risos) e para o Relvas!... (risos)

C.S.S - ... e (risos) ... para os Gajos da Função Pública (risos) ... Nós somos privados, e tu és do Ministério, ou já foste, de vários ministérios, pá, e já deste muito ao litro para os cabrões deste país, um gajo agora quer é descanso, sopas e descanso... (pausa) Olha, 'pera aí que eu tenho o 'Berry a tocar... (pausa) É o Rui, está a perguntar se precisas de alguma coisa...

Zé - Pá, desse... (risos) pá, desse... só mesmo se forem fotocópias (risos) As fotocópias desse gajo são as melhores do país e... e... de Formentera... (risos)

C.S.S - ... e de Paris, pá (risos) e de Londres, e o caraças!... (risos)

Zé - ... do mundo inteiro, sim, caraças, e... Caracas... esse toino tem cá uma escola, vê-se bem que é um Soares de gema (risos) Se eu tivesse um tio daqueles também era uma grande puta (risos)

C.S.S - ... e não és, pá?... (risos) não me digas que deixaste de ser uma grande puta... (risos) Olha lá, tu já te olhaste ao espelho, Zé?... Tu já viste que consegues ser pior do que as gajas todas que te andam a chular?... (risos) Zé, tu és um sacana do caralho, pá, mas a verdade é que ele ainda consegue ser melhor no papel dele... (risos), os cabrões lá do Parlamento, a quererem que ele "fala-se" de robalos e o gajo, o tempo todo, só falou do "padrinho"... (risos) Grande cabrão, acho que eles nem perceberam que o gajo os estava a rebaixar (risos). Aquilo é uma grande família, todos juntos, muito unidos, para onde vai um vão sempre todos. O velho, então, fogo, não larga um gajo e acho que é daqueles que é fiel até à morte... bem, à morte não digo, mas acho que é fiel até à prisão (risos) sim, é... Uma grande família, mano, até melhor do que a tua, pá (risos), e a olha que a tua já é muito p'á frente, pá, muito p'à frente... (risos)

Zé - Tu também andas agora com inveja da minha mãe, fogo?... Olha que a gaja até o "je" surpreendeu..., nunca pensei que a velhota fosse tão boa em contas de cabeça...

C.S.S - A velha faz contas de cabeça?... pensei que fossem só contas de sumir (risos)

Zé - De sumir, não, pá, de se orientar, e manter a vidinha dela... e a nossa, meu... dá muito jeito quando ela despeja uns números na conta, assim, muito low profile, muito doméstica, como convém, pensar que um gajo agora anda muito mais folgado do que quando eram aquelas cenas de andar a fingir governo, pá, nunca falamos disso, mas aquela cena desgasta para caralho..., 24 sobre 24 horas, a fazer teatro, a mentir...

C.S.S - ... a mentir e com os cabrões dos jornalistas sempre atrás, um gajo não pode dar um peido que tem logo a Tânia Laranjo, o Carlos Diogo Santos e a cabrona da Cabrita em cima, (cospe) mas eu já estou como tu, eu agora quero é que eles se fodam, por isso é que eu fui para a privada, golpes só na privada, o Estado só serve para aparar quando correr mal, mas tu agora também está de palma, numa boa, tudo calminho tá-se bem, esquecer essa merda toda, agora é cagar e andar, e vamos embora, e vamos ter uma bruta folga... (risos) Fromentera, here we are!!!... (risos)

Zé - ... Isso, Fromentera, descanso, e depois estudos... Mas a gente nem fala muito disso, mas faz-me um bocado falta aquela adrenalina dos golpes, um dia destes faço-me outra vez ao palco...

C.S.S - Para a Política outra vez?... Deixa-te disso, chavalo!... Caga nisso, mano, a Política só interessa aos Políticos, tu agora estás bem, foste lá ganhar o teu, fizeste bem, fizeste como os outros, agora já tens o teu, estás bem, aproveita para curtir, deixa lá os gajos afundarem o resto desta merda. Não precisas daquilo para nada, não és como o Portas, o gajo é que precisa daquilo, já sabe que no dia em que vier para fora, vai de cana, tu não és como o Portas, tu és um gajo honesto, ninguém te pode apontar nada...

Zé - Honesto?... (risos)

C.S.S - Pá, honesto, é uma forma de dizer, mas tu não és o estilo de gajo que alguma vez fosse dentro, tu és um gajo que consegues dar sempre a volta, é ou não é verdade?... Por isso é que eu tenho muito orgulho em ti, mano, já sabes que comigo contas para o quiseres, para a Política não digo, mas podias apontar para uma coisa mais calminha, assim, no privado, como eu. Já fizeste a cena das energias alternativas, aquilo é um buraco do caralho, mas os gajos pensam que estão nas ecologias, e o pessoal, por trás, os testes todos falsificados, a faturar a dobrar, o Mexia já mexia nessas merdas no tempo do Cavaco, e encheu-se, ou não encheu?... Os plutónios também já não digo, por que essa merda queima, e pode queimar muito... e também andar em jogos com os iranianos... bom, isto até nem é conversa para telemóveis, que nunca se sabe se estão a ouvir, mas há aí umas cenas que o Amado uma vez me passou, do H.A.R.R.P., ou lá que merda é essa...

Zé- H.A.R.R.P.?... que é essa cena?...

C.S.S. - Não sei, mas acho que tem a ver com tempestades atmosféricas, tipo, um gajo altera o clima e aquilo começa a matar gajos... Uma cena bué grande e bué secreta. O pessoal de Caracas e de Bogotá deve saber dessas merdas, se quiseres, eu telefono, ou falas tu com o Amaro ou o Seixas da Costa, mas agora só depois de virmos, tá?... Mas agora, política, política, não estou a ver, a não ser que chutes para cima, pá, não sei,... tipo, já que estás numa de regresso, sei lá, ministérios já fizeste, também já deste a tua para governos, uns melhores que os outros, também não convém exagerar, da última vez, ficaram alguns rabos de fora, mas acima disso, pá, não sei, isto é um "supônhamos", podias fazer como o outro, do Alzheimer, o corcunda de Belém... sei lá, José Sócrates, candidato presidencial, hein?... que tal, levares os teus dotes e direitos políticos até bem alto... enfim, bem alto, nesta choldra?...

Zé - Não 'tá mal visto. Precisava é que pagassem uma cena dessas...

C.S.S - Pá, pagar, não sei, mas o Rui de certeza que, se falar com a família, te arranjam fotocópias, havia de ser uma cena do caralho, tu a concorreres contra, sei lá, não sei quem é que os gajos vão empurrar desta vez, o Marcelo não é, de certeza, que esse, se perceber que não ganha logo, atrapalha-se, e se não ganha logo, perde logo... Mas fazia-te bem uma cena dessas, com pose de estado à henrique santana..., o Senhor Presidente da República, José Sócrates Pinto de Sousa, parece que estou a ver... E já viste, os gajos do "Expresso" a fazerem-te o boneco e a manipularem as sondagens, e a entrevistarem-te, e tu a falares de cima (risos)

Zé - O "Expresso" não sei, mas eu ainda tenho umas cenas a ajustar com os gajos do "Sol"... Acho que precisava de lhes dar um bruto entalão... Uma daquelas feias, que ficam para o resto da vida..

C.S.S - Isso, estilo, tipo, método, sei lá, Rui Pedro Soares..., mão de ferro, Pinto da Costa: esse, para ganhar os jogos que não compra ameaça os gajos no balneário, se não ganhas, ponha a tua filha nas mãos dos McCann, foda-se, e a tua gaja numa casa de alterna, a dar serventia aos angolanos, fogo, isso não..., os gajos acagaçam-se logo, e ganham tudo. Ganham, ou não ganham?...

Zé - Sim, ganham, mas com os jornalistas é pior, um gajo tem de telefonar muitas vezes a ameaçar e há uns que não prestam mesmo, aquele cabrão do Saraiva foi levado pela reinserção social para uma cave, mas mesmo assim não aprendeu nada. Pá, esse está cá atravessado, e não perde pela demora, pá, juro-te, nem que seja a última coisa que eu faço na vida... E os badochas do "Correio da Manhã", pá, esses até os engolia vida, filhos da puta!...

C.S.S - Mano, está a ficar bué tarde. Vais fazer o quê?... Eu ainda vou enfardar uma sandocha...

Zé - Sandocha?... A esta hora uma sandocha não me mata a fome. Acho que vou antes nuns robalos...

C.S.S - Robalos?... (risos) Robalos simples?... (risos)

Zé - Simples, não, pá, robalos à minha maneira: robalos à moda dos livros (risos)



(Quarteto das belas providências acauteladas, ai, que desprezível que eu sou e ainda me publicam as fotos de vibrador todo enterrado nas bordas!..., no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")

24.10.15

Transcrições das Escutas da "Operação Marquês" - "As gajas andam cada vez mais exigentes, e um gajo tem de se pôr a pau..."






Imagem do Kaos




Do CD 12, da série "collector's prize" do procurador Rosário Teixeira

(2 da manhã, toca o telefone na Suite Rosa do "Sheraton Pine Cliffs")



C.S.S. - A gaja já está aí?...

Zé - Yep, ferradinha no sono. Nem os jeans tirou, virou-se logo para a parede e está a roncar. Queres ouvir?... Tadinha, parece uma porca... (risos)

C.S.S. - Deixa-te disso, pá... Olha, o Perna vai passar no monte, antes de ir para aí. Foi o que ele me disse.

Zé - E traz a carga?...

C.S.S. - Na boa, mano. É só livros.. (risos). Ele ainda não está certo de também virem alguns da estante da outra, da Fava. Mas parece que vais ter uma biblioteca toda só para ti, meu... (risos)

Zé - Tá-se bem (risos). Porreiro, pá... Eu nunca pensei que fosse gostar tanto de leituras (risos)

C.S.S. - Quando fores para França vais ser um "estrangeirado", ainda acabas a dar aulas ao pessoal, que a gente bem "precisamos" (risos)

Zé - Estudos é comigo. Estudos e livros... (risos)

C.S.S. - E comigo (risos) Sempre foi... (risos)

Zé - E já deste um toque para Paris?...

C.S.S. - Está tudo tratado, ou quase tudo. Os gajos dos... dos... (risos) "Negócios Traseiros" (risos) já falaram para a Embaixada, para o Seixas da Costa, mas a velha está esquisita, diz que fazer equivalências em Filosofia... pronto, não sei, parece que ela é daquelas ainda à antiga, que dão entrevistas na Antenne 5... Acho que ela acredita mesmo naquilo... Foi o que disseram

Zé - Na boa, mas o que o pessoal quer mesmo agora são gajas para dar crédito, gajas sérias, daquelas francesas, como nas séries, 'da-se, ando farto de jornalistas, gajas de pé descalço, até parece que vivem só para ser pagas à tarefa, como esta, que está para aqui esticada... No fundo, eu queria mesmo era uma Madame da Sorbonne, para fazer como na "Independente", mas com... sei lá, com estilo, com muito estilo... "glamour", estás a ver, "glamour". Se reparares, desde os calotes e as b'zanas de Coimbra, até... até Lisboa, o ISEL... Foda-se, que saudades, pá, a "Independente", tudo isso... mas um gajo tem de subir, acho que Paris até me assenta bem, não achas?... Parece que um gajo entra lá engenheiro e sai de lá doutor. Acho que a minha mãe ia gostar, vou fazer isto... é isso, vou fazer isto só por ela. Pronto está decidido... Agora, só falta convencerem a velha...

C.S.S. - Eu vou telefonar outra vez ao Seixas da Costa, mas o ideal era mesmo ires lá tu, pessoalmente, tipo, o gajo convida-a a ela, e... e... convida-te a ti, aquilo é serviço cultural, Paris é outra coisa, ele dá-lhe uns chás, sabes que essas gajas francesas gostam de ser bem tratadas (risos), não tomam banho, mas estão sempre a beber chá (risos)..., tu depois entras, como se fosse por acaso, ele apresenta-te, e diz à velha que é só para ela reconhecer umas equivalências... deixa cá ver... eu até tenho aqui uma cábula de umas merdas, de uns papéis, que trouxe... que trouxe... do teu processo na "Independente"...

Zé - Foda-se, afinal és tu que tens o meu processo?... As voltas que a velha já deu, lá em casa, para encontrar isso!... Tu queima-me já essa merda, por que se isso cai no "Sol", na "Sábado" ou no "Correio da Manhã" estamos lixados!... Não se arranja um Gago todos os dias para fechar uma merda de uma universidade!... As coisas agora estão muito piores, está tudo controlado, tudo apertado, um gajo tem de ter muito cuidado, senão ainda nos lixam a vida toda, e olha que eu já estou fodido com eles, os gajos são capazes de tudo, se pudessem, até nos prendiam, cabrões da merda... 

C.S.S - Não vou queimar nada, que isto tem de ir por fax, direitinho, para o Seixas da Costa, para ele mostrar à velha... Ou não queres fazer as coisas todas certinhas... (pausa) Deixa cá ver... que é isto de "Estruturas"?...

Zé - Não sei, mas se está aí no papel é por que devia ser do curso...

C.S.S. - ... tá bem visto, isto no fundo é como dizia o Godinho, os cursos são como os carros, a gente às vezes não percebe para que servem aquelas peças todas, mas se lá estão é por que são para alguma coisa..., portanto... "Estruturas"... Deixa cá ver... O Seixas disse para tu veres... Parece que a velha é mesmo troca por troca...

Zé- Mas é para trocar o quê?...

C.S.S. - Tanto quanto eu percebi, é para trocar os nomes que estão em português por nomes que vão estar em francês, e a tal velha assina por baixo e tu passas a ser filósofo... (risos) Grande filósofo que tu me saíste, meu cabrão... (risos) Ainda vais ser o Sócrates do séc. XXI, só sucesso e o passeio da fama, a dares autógrafos pelos Champs Elysées acima, para baixo e para cima, como um interruptor... que grande filósofo que tu me saíste, meu cabrão... (risos)

Zé - E que nomes é que é para a gente trocar?...

C.S.S. - Ó, Zé, isso já perguntei eu... já te disse... esta merda, "Estruturas".... "estruturas" diz-te alguma coisa?...

Zé - Pá, talvez, assim, de repente, não sei... Mas podes escolher uma francesa com um número parecido de letras...

C.S.S - Número de letras?... Só contando... "Logique"?... Não, é curto... "Ontologie"?...

Zé - Não, essa começa por "O"... Diz outra!...

C.S.S. - Não sei... Acho que vamos mesmo ter de nos encontrar, para ler isto em conjunto e depois mandar para o Seixas. Convinha mesmo tratar disto antes da velha morrer, não é, pá?... Vê lá... não sei... "Théorie de la Connaissance"?...

Zé - Ouve lá, isso é muito grande!... Arranja um curto e começado por "E", pá, é assim tão, tão, tão... difícil?...

C.S.S. - Não sei. Deixa ver... (pausa) Sei lá... "Épistémologie"... Tem muitas letras, mas começa por "E", não é?...

Zé - Isso, essa está boa, faz aí uma seta entre as duas, e diz-se depois à velha que é tradução portuguesa, ela também não deve pescar nada desse baralho, quando querem dar uma de intelectuais, o máximo que fazem é pôr a boca em bico e falar de "Saudade", a saudade que as pôs e mais um "zangado" atrás...

C.S.S. - E que vais fazer agora?...

Zé - Pá, vou ver um bocado a Teresa Guilherme e ficar à espera que o Perna apite. Ainda por cima esta gaja está para aqui deitada, a dormir... Acho que vou mesmo para o quarto ao lado... Fogo... Se não lhe estivesse a pagar... porra, às vezes só me apetece vingar disto, tirar umas fotos dela nesta posição e enviar tudo para a revista "Cristina", da outra gaja, no fundo elas deviam eram expor-se umas às outras, não valem um caralho, e nós temos de andar a reboque disto, só para as aparências, a ver se depois tiro a barriga de misérias em Paris...

(Fim da gravação)


(Quarteto do amanhã há mais, ah,pois há, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
Related Posts with Thumbnails