30.4.10

GOVERNO PS adora pedófilos , violadores e assassinos

SUPREMO REDUZ PENA A PEDÓFILO
Uma menina de oito anos foi raptada no caminho para a escola, fechada dentro da bagageira de um carro e abusada por um operário fabril num sítio ermo, em Cantanhede. Jaime Fernandes, o pedófilo, de 30 anos, viu agora os juízes do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) reduzirem-lhe a pena de oito para seis anos de prisão efectiva. E com o novo Código de Execução de Penas poderá sair em liberdade dentro de um ano e meio.

A redução da pena aplicada pelo Tribunal de Cantanhede, por rapto e violação agravado, em Novembro de 2009, deve-se ao facto de os juízes conselheiros terem substituído o segundo crime pelo de coacção sexual agravado.
A 1ª instância tinha dado como provado que, em Novembro de 2008, Jaime Fernandes, após o rapto e, num sitio isolado, despiu a menina e mandou-a deitar-se. Depois "despiu as suas calças, deitou-se em cima da vítima" e beijou-a na boca enquanto "friccionava a vagina da criança com os dedos". Para os juízes de Cantanhede estes factos configuram um crime de violação agravado, mas o STJ teve um entendimento diferente e reduziu o tempo de prisão em dois anos.
Com o novo Código de Execução de Penas, em que é possível requerer a liberdade após cumprir um quarto da pena, Jaime Fernandes poderá sair da cadeia dentro de um ano e meio. Mas, como apurou ontem o CM, há a possibilidade de até acontecer antes. É que o advogado do pedófilo já fez entrar no Tribunal de Execução de Penas um requerimento para que o seu cliente cumpra a decisão do STJ em prisão domiciliária, com pulseira electrónica, alegando motivos de saúde. Jaime Fernandes foi ainda condenado a pagar 20 mil euros à vítima e 2500 aos pais da menor, além de despesas hospitalares.

De 8 anos (que já é uma MERDA DE PENA) passou para 6 anos por raptar e violar uma MENINA DE 8 ANOS...

E pode até só cumprir ano e meio!!!!

CABRÕES!!!
Estes FDP não tem filhas?
Eu tenho e mato o Juiz que aplique uma pena destas a uma filha minha...

29.4.10

Violência nas escolas? Não.........!!!







Muito bom Paulo

+ dois golpes na Democracia Socrática


José Sócrates voltou a perder o processo contra João Miguel Tavares. Um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa deu razão ao jornalista e colunista, autor do artigo de opinião ‘José Sócrates, o Cristo da Política Portuguesa’, publicada a 3 de Março de 2009 no ‘Diário de Notícias’.

Pode ler-se no documento que “o texto em causa é um mero artigo de opinião e não uma notícia ou uma crónica. Ou seja é um texto no qual o seu autor apenas exprime uma opinião e, como tal, não está sujeito à regra da prova da verdade dos factos.”
Ao CM, João Miguel Tavares diz que nunca teve dúvidas sobre esta decisão: “Fez-se justiça! A tese de que um opinion maker tem de provar o que diz é absurda. Afinal qual é a liberdade de opinião?”
O primeiro-ministro apresentou uma queixa-crime contra o colunista depois deste, no referido artigo, tê-lo acusado de falta de “decoro” e de “moral”. João Miguel Tavares apontou ainda “a sua licenciatura manhosa”, “os projectos duvidosos de engenharia na Guarda”, “o apartamento de luxo comprado a metade do preço” e o “cada vez mais estranho caso Cova da Beira”.
José Sócrates já tinha apresentado o caso ao Ministério Público e ao Tribunal de Instrução Criminal, onde acabou por ser arquivado.

Médicos multados em milhares de euros por escreverem a Sócrates em papel do hospital - Em 2006, com a polémica do encerramento de maternidades ao rubro, dois médicos do Hospital da Guarda - agora Unidade Local de Saúde da Guarda (ULSG) - escreveram a José Sócrates pedindo que clarificasse a sua posição quanto à situação que envolveria este hospital, assim como os de Castelo Branco e Covilhã.
Na altura questionava-se se alguma das maternidades fecharia e, se sim, quais estavam em causa.
Para o primeiro-ministro seguiu essa missiva com um abaixo-assinado subscrito por 56 clínicos e, um dia depois, a iniciativa foi reportada pelos médicos a mais 17 entidades.
Uma dessas entidades era a direcção do próprio hospital que, ao tomar conhecimento do conteúdo dos envelopes, ordenou que fossem retidos e enviados para o Ministério Público (MP) com uma queixa por «burla e/ou abuso de poder» e uma outra por «difamação e injúria».
Fernando Girão, que se mantém à frente da ULSG, alegava que tinham sido usados indevidamente recursos do hospital e instaurou, internamente, processos disciplinares aos dois clínicos, acusando-os também de induzirem Sócrates em erro, dando a entender que as dúvidas que levantavam eram também do hospital.
Segundo o Público, os médicos defenderam-se dizendo que o assunto era profissional e por isso usaram os recursos da instituição, mas Girão não entendeu assim e sancionou-os com multa e demissão. A segunda pena fica, para já, suspensa, mas as multas de 17.766 euros a um e de 15.106 euros a outro mantêm-se.
Entretanto, o MP concluiu a sua investigação e aponta num sentido diferente, dando razão aos médicos que «usaram o papel timbrado para assuntos relacionados com a sua profissão e não para questões particulares». Por outro lado, o despacho citado pelo Público refere ainda que o presidente da ULSG foi acusado por violação de correspondência.

26.4.10

Se for verdade é boa pessoa e bom político (CASO RARO)

MOITA FLORES - FINALMENTE UM EXEMPLO DECENTE

Enquanto autarca aceitarei prendas que possam ser encaminhadas para o Banco Alimentar contra a Fome.
Quando tomei posse como presidente da Câmara de Santarém fui confrontado com a quantidade de prendas que chegavam ao meu gabinete.
Era a véspera de Natal . Para um velho polícia, desconfiado e vivido, a hecatombe de presuntos, leitões, garrafas de vinho muito caro, cabazes luxuosos e dezenas de bolos-rei cheirou-me a esturro. Também chegaram coisas menores. E coisas nobres: recebi vários ramos de flores, a única prenda que não consigo recusar.
Decidi que todas as prendas seriam distribuídas por instituições de solidariedade social, com excepção das flores . No segundo Natal a coisa repetiu-se. E então percebi que as prendas se distribuíam por três grupos. O primeiro claramente sedutor e manhoso que oferecia um chouriço para nos pedir um porco. O segundo, menos provocador, resultava de listas que grandes empresas ligadas a fornecimento de produtos, mesmo sem relação directa com o município, que enviam como se quisessem recordar que existem. O terceiro grupo é aquele que decorre dos afectos, sem valor material mas com significado simbólico: flores, pequenos objectos sem valor comercial, lembranças de Natal .
Além de tudo isto, o correio é encharcado com milhares de postais de boas-festas que instituições públicas e privadas enviam numa escala inimaginável. Acabei com essa tradição. Não existe tempo para apreciar um cartão de boas--festas quando se recebe milhares e se expede milhares.
Quanto às restantes prendas, por não conseguir acabar com o hábito, alterei-o. Foi enviada nova carta em que informámos que agradecíamos todas as prendas que enviassem. Porém, pedíamos que fosse em géneros de longa duração para serem ofertados ao Banco Alimentar contra a Fome. Teve um duplo efeito: aumentou a quantidade de dádivas que agora têm um destino merecido. E assim, nos últimos dois Natais recebemos cerca de 8 toneladas de alimentos.
Conto isto a propósito da proposta drástica que o PS quer levar ao Parlamento que considera suborno qualquer oferta feita a funcionário público. Se ao menos lhe pusessem um valor máximo de 20 ou 30 euros, ainda se compreendia e seria razoável. Em vários países do mundo é assim. Aqui não. Quer passar-se do 8 para o 80. O que significa que nada vai mudar. Por isso, fica já claro que não cumprirei essa lei enquanto funcionário público. Enquanto autarca aceitarei prendas que possam ser encaminhadas para o Banco Alimentar. E jamais devolverei uma flor que me seja oferecida.

Francisco Moita Flores, Professor Universitário

Doidos!!!! Somos todos doidos...


Empresa pública endivida-se para comprar imóveis ao Estado - É esta a forma de baixar o deficit..........Agora mostram serviço e milhões a entrarem e depois quem vier a seguir que pague.............OS NOSSOS FILHOS E NETOS!!!

Violência doméstica - 156 querem aulas em vez de cumprir pena na prisão - E que tal PRISÃO e aulas??? Este país está mesmo feito para os criminosos!!!

21.4.10

Notícias do dia (21/04/2010)

Faro: Traficante detido pela PSP
EUA: Homicida executado
Porto: Carro incendiado

Carlos Encarnação: Facebook cortado
Inês de Medeiros: Viagens pagas

Grupo têxtil Maconde está cada vez mais perto da falência
Governo alicia funcionários públicos em mobilidade especial a trabalhar nas IPSS
PSD tem "plano B" para poupar 1700 milhões

Défice do trimestre fica um pouco abaixo do de 2009
PEC e ajuda aos gregos não afastam cenário de falência em Portugal

Incêndio causa alarme na Baixa
Recuperadas peças de ferro roubadas
PT negociou TVI três vezes com Pais do Amaral

PSD apresenta plano B do PEC e garante poupança de 1700 milhões

Castigos corporais. Reguadas fazem bons alunos
Pais do Amaral: "A PT não informaria o governo"
Terminal de Alcântara. Concessão à Mota-Engil é inconstitucional
Dois adolescentes morrem afogados em lagoa artificial
Avastin pode ser usado pelos hospitais mas só para cancro do recto

Inapa acorda compra de unidade de distribuição de papel espanhola
Último ditador argentino condenado a 25 anos de prisão
Como se processa a doação de órgãos em Portugal
Heathrow volta a receber voos após 6 dias de paralisação
Jovens de todo o mundo dão cor a nova iniciativa da Benetton


Portugal leiloa mil milhões de euros em Bilhetes de Tesouro
Barril de Brent abre a subir 0,62 dólares para 85,42 dólares
Bolsa de Tóquio fechou sessão em forte alta
Wall Street encerra em alta animada por resultados positivos
Portugal já é 2º maior risco na Zona Euro

Super Inter verga o campeão Barça por 3-1 antes da segunda mão
Preservativos nas missas de Bento XVI
Decisão de voar deve privilegiar segurança e não questões económicas
Ministra promete melhorar a resposta ao problema dos casais inférteis
Maniqueísmo Judiciário

20.4.10

Atenção, Alerta de Ataque na Blogosfera!...








Pois aconteceu: você, que costuma ir ver dois dos grandes criadores de imagens satíricas da Blogosfera, o "We Have Kaos in the Garden" e o "Portugal dos Piqueninos", ao entrarem lá, apanham agora com a chancela da censura em cima.
Cauda da Europa, chiqueiro de Sócrates e Cavaco...

(Trombetas de alerta, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")

Violador libertado............SÓ FALTA DAREM-LHE UMA MEDALHA

Li algures que ontem num tribunal de Braga um violador de crianças foi libertado.
Foi APENAS condenado a uma pena SUSPENSA e a pagar à família da vítima 35.000€.
"O colectivo de juízes decidiu pela suspensão da execução da pena por o arguido se ter manifestado arrependido e não ter cadastro".

Ora bem, fica então aqui estipulado o PREÇO a pagar por sexo infantil. 
Por 35.000€ pode-se VIOLAR uma criança desde que seja a 1ª vez e se arrependa (ou diga que sim).


Estes Juízes não tem filhos? E netos?
FDP!!!**#*#%//?!!

CAMBADA DE POLÍTICOS PEDÓFILOS QUE PERMITEM ESTA MERDA!!!!

"Everybody Hurts" music by REM

Beba mas não conduza!
Conduza mas não beba...

...beba com moderação pois o alcool também é um grave problema no nosso país. Há muitos lares destruidos pela bebida. Muitas crianças violadas pela bebida. Muitas mulheres espancadas pela bebida. 

A Viagem a Praga (d'après Morike)

Imagem do Kaos

Para os mais inocentes, convem recordar que a Viagem a Praga começou em 1985.

Era uma vez um saloio, filho de um homem de uma bomba de gasolina, que tinha ido tirar um canudo lá fora, e, por isso, se "achava".
Naquelas eras, pagar um curso a um saloio, em Inglaterra, não era para todos, mas, nem por isso, deixava de ser mais uma manifestação de saloice.

Partiu saloio, saloio voltou, e saloio se meteu num célebre Citroën, que foi à Figueira da Foz fazer a chico-espertice de uma rodagem saloia: lá dentro, ia um saloio, apostado em trair um Bloco Central, chefiado por Mário Soares, pessoa que nunca foi muito boa em contas, mas tinha acabado, com Ernâni Lopes, de equilibrar Portugal, à justinha, muito à justinha, na beira de um abismo pré-Europeu.

O saloio era eurocético, o que quer dizer que não sabia onde ficava a Europa... não, estou a ser injusto... quando submetido a testes de aptidão, sabia dizer, dez vezes mais rápido onde ficava Boliqueime do que Praga, e eurocético continuaria, se não tivesse havido uns javardolas, da sua área de adoção -- qualquer servia, já que o Antigo Regime estava extinto... -- que lhe assopraram aos ouvidos de saloio que Europa=Dinheiro. Ora, o saloio tinha um doutoramento em dinheiro, e achou que era a altura de dar a facada na Política, para que os compadres enchessem os bolsos de matéria prima.
Como qualquer saloio, era menos de roubar do que de deixar roubar, e, em seu redor, reuniu todas as estratégias que permitissem ordenhar o último Brasil e as últimas Especiarias que Portugal conheceria.

Deixou obra feita: estradas com curvas da morte, linhas férreas arrancadas, o litoral cheio de casinhas de pacóvios, as esquinas, onde antes havia pastelarias, infestadas de bancos, ladrões, drogados e polícias. Como só conhecia a posição do seminarista, alinhou, com o seu amigo, Reagan, a sopeira Tatcher e o mineiro Ratzinger, numa coisa que matava os seres contra a Natureza, e que se chamava Sida. De caminho, foram alguns hemofílicos, mas a co-culpada foi ilibada e promovida, já que num país de cegos, o melhor é mesmo chefiar um instituto para os olhos. Inaugurou a roleta russa da Bolsa do toca e foge; abriu a banca aos apaniguados de S. Balaguer, roubou no alcatrão das estradas, e tornou célebres nomes dignos da Chicago dos Anos 20. Os Tribunais, que vinham dos tempo dos Tribunais Plenários, do Sr. Salazar, adoraram, e, em vez de prender, tornaram heróis caras muito conhecidas, como Ferreira do Amaral, Mira Amaral e o célebre Cardoso e Cunha, muito conhecido dos tráficos e da falência. Foi a era gloriosa do "Major", do satélite português e do Centro Cultural de Belém, que custou duas vezes o Guggenheim, de Bilbao. Na Cultura, pontuava do alto do Órgão Oficial da Coisa, o "Expresso", uma rameira, Ferreira Alves, cuja incultura ditava os "nóbèles" da casa, uma bichona, o Melo, que percebia tanto de Pintura quanto eu de Futebol, e mais uns merdas afins. Santana Lopes chegou a ser Secretário de Estado desse bolo; Ferreira Leite, da Educação (!), e os Ministros e Secretários de Estado iam caindo, ou à pala de taveiradas, ou de Pedofilia, ou com anedotas sobre o alumínio da hemodiálise, ou, tão-só, porque sim.
Com Cavaco, passámos das árvores de plástico do Setor Primário para os depósitos diretos na Suíça, do Terciário, e quem os não fez é porque foi parvo.
A Função Pública era então feliz, porque não se chegava a reformar: apenas se esperava que morresse, na paz do senhor Ratzinger.

Cavaco era um cobarde, mão sempre suadas, e, pela primeira vez, desde Salazar, mandou disparar sobre uma multidão, pelo gatilho de Dias Loureiro, um gajo que o Sistema adorava e que depois chegou onde chegou, passando por onde passou. Foram os dias em que mais suou, e, quando os Portugueses se livraram da Praga, já estavam irremediavelmente na Cauda da Europa.

O resto é ainda mais público: veio o Guterres, que achou que um país lá progredia com generosidades, e deixou crescer todo o tipo de monstros, desde Fundações a Redes Pedófilas, beatizando o Estado através do crime de colarinho branco, reciclando Comunistas mal paridos, e atirando os Portugueses para dívidas perpétuas a Bancos e Construtores Civis.

Com Cavaco, fora o direito ao frigorífico; com Guterres, inaugurava-se o direito ao friso de azulejos, na Brandoa; para os poucos outros, era o alegre viajar pelos "off-shores".

Um dia, caiu uma ponte, em Entre os Rios, felizmente, por causas naturais, e o ciclo inverteu-se, com o último Ministro a demitir-se, e o Picareta Falante a fugir, depois de perceber quem eram Ferro Rodrigues, Jaime Gama e o Paulo Pedroso.
Chamou-lhe "pântano", porque estava com a boca pegajosa, nesse dia: eu chamar-lhe-ia hoje outra coisa bem pior...

Inaugurado o Declínio, Barroso, um dos mais sinistros invertebrados de Cavaco, proclamou a Tanga do Livrinho Vermelho, e o Portas entretinha-se com renegociar submarinos, onde tanta a gente metera a unha que também a unha achava dever seu meter, e lá meteu.
A viuvinha, Nobre Guedes, abatia sobreiros, e inaugurava a substituição do Banco de Portugal pelo BES.
Um dia, à medida que as cinzas vulcânicas iam encobrindo os céus, desataram todos a fugir: um Maçon cor de cenoura a dar golpes de estado palacianos, e a surgir da sombra o derradeiro Carrasco de Portugal.
Sócrates não era um Político, era um emissário do Fim da Coisa, não fosse a mãezinha dele daquelas de bater às portas, a anunciar o Fim dos Tempos. Brevemente, até disso ficará desempregada.

Entre estas pragas, prosseguíamos para Praga, o Saloio de Boliqueime já senil, convencido de que estava no Estado Novo, pôs a Maria a subir-lhe as bainhas para dois mandatos, até que o Senhor Havel, na República Checa, lhe perguntou se não estava assustado com o estado do País dele, que, por acaso, até é o nosso, mas o outro não percebeu, porque, mesmo sem país, o segundo mandato é mesmo para cumprir.

Feitos a caminho, já de "caminhete", voltaram aos tempos áureos da sua essência, o sacolejão de estrada, a valise atada com cordões, a água-pé que oscila de boca em boca, a corcunda com a cabeça deitada nos joelhos dos fatos vincados do seu Aníbal, outra vezm vinte aninhos, cantarolando musiquinhas do tempo em que as moçoilas eram virgens, e perguntando, "amor, não percebi aquela do devermos estar preocupados?... Eu não vou voltar a ser Primeira Dama para o ano"?
Pois é, claro que vais: estás à distância disso de um telefonema para o Garrafão de Águeda, que quer pôr o vinho a substituir a gasolina nas rodagens dos citröens, benzó-deus, e mesmo que não telefones, a Irmã Lúcia obrará esse milagre para ti.

Na Alemanha, mandaram parar as "caminhetes", convencidos de que ali vinha mais um bando de Turcos, para poluir as "banlieux" de Berlim, mas a Maria acenou lá do fundo, e, depois de encostada ao compartimento das bagagens, revistada, e apalpada em todas as partes -- as Turcas e as Romenas traficam coca na Boca da Servidão... -- foram reconhecidos "Portugueses", pelo passaporte da mulher de bigode da Saúde, e deixados seguir viagem -- quanto mais depressa fora de aqui, melhor!... -- , a caminho da Bancarrota. Só a Katia Guerreiro ficou com o telefone dos "Polizei", para o caso de precisar de algum cilindro desentupidor da garganta.

Nós, por cá, todos bem.
Escapámos, como escapamos sempre, às cinzas, e o Figo já começou a limpar a imagem, dizendo que "tem orgasmos com o Messi", na velha tradição portuguesa do homoerotismo do "Esférico".

Assim terminou a Viagem a Praga.

Durou 26 anos, e foi um pouco como Marco Polo, partiu ainda de Veneza próspera, mas, já chegado, tinha, à sua espera, uma bela e justificada Bancarrota.

(Quádruplo vómito, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino", e em "The Braganza Mothers")

17.4.10

"Mansa é a (puta) da tua tia!..."

Imagem do Kaos

Eu sei que estão à espera de que eu fale do assunto, e eu falo.
Conheço a tia de Louçã, há muitos anos, e é uma senhora muito decente, Carmelita Descalça, e ex colega da Santa Lúcia, que viu o solzinho a dançar, mas, antes de mais, um esclarecimento: os microfones da Assembleia da República, dado o nível duvidoso das pessoas que frequentam o antro, têm filtros de linguagem, tal como o "Sol".
Assim, o que Sócrates, o Provinciano de Vilar de Maçada, realmente disse a Louçã, não foi "manso é a tua tia", mas, sim, "manso é a (****) da tua tia", onde, em ****, deverá ler-se "puta".

Falei, hoje mesmo, para a senhora, que estava muito transtornada, já que é virgem consagrada, como a Senhora de Mota Amaral, e nunca viu o padeiro, ao contrário do Presidente da Comissão de Inquérito do Caso... já não me lembro de qual, mas aquele último..., pronto, o próximo, no qual Sócrates vai ser inocentado.
Chamar-lhe "puta" é, pois, indecente, ainda que isso venha da boca de um indivíduo sem estudos e com uma educação de rua, de uma aldeola de Trás-os-Montes.
Não se espantem, todavia, os Portugueses: apesar de estar a subir nas sondagens, onde se prova que um taberneiro é o máximo a que devemos aspirar politicamente, nesta fase terminal da nossa existência, Sócrates foi hoje para a Assembleia, muito perturbado, porque Angela Merkl, retida em Lisboa, lhe repetiu exatamente o que já corre na Imprensa Mundial:


Mais, Merkl disse-lhe que, neste momento, Portugal só tem três saídas: ou opta pelo Modelo Grego, e fica, muito caladinho, à espera da hora do Fim, já expulso da Zona Euro, ou escolhe o Modelo Islandês, que é muito moderno, contamina a Europa toda com pós vulcânicos, depois de estoirar em Bancarrota, ou... e agora vem a bomba, ou enveredava pelo Modelo... Polaco.

O olhar de angústia de Sócrates cortou-me o coração, tanto mais que a fria Merkl, olhando-o fixamente nas pupilas, lhe deu a entender que essa era a solução do seu agrado: mal fosse restabelecido o tráfego aéreo, embarcariam, num Tupolev, Sócrates, a Câncio, Vítor Constâncio, António Vitorino, Isabel Alçada, os lindos olhos de Mariano Gago, António Mexia, Joe Berardo, José Miguel Júdice, Emídio Rangel, Proença de Carvalho, Durão Barroso, a Maria Cavaca, o trio Jaime Gama, Paulo Pedroso e Ferro Rodrigues, Pinto da Costa, o "Major" e muita mais da fina nata da Contemporaneidade (por favor, não exagerem, porque os aviões têm lugares limitados...)

É certo que o Fim do Mundo vem aí, e os sinais estão a multiplicar-se, mesmo que coloquemos apenas como hipótese o abate de Ratzinger, em Fátima, e a demissão do Martim Avillez, um subproduto de família, que não deixará rasto, excetuada a anedota do "Jumento", o fim do patrão da "Fernandes", e o negócio dos submarinos, onde meio Portugal Indecente está implicado.

Felizmente, já queimaram as escutas do "Face Oculta", porque era uma vergonha andar a deixar arrastar o caso, e espero que sejam ainda mais rápidos, quando estoirar o próximo escândalo, do Grupo "Lena", onde Sócrates também está "inocente", garanto-vos.

Aliás, este país até devia chamar-se "O Silêncio dos Inocentes", tal é o nível de canibalismo que anda à solta, e por que acabarão, mais tarde ou mais cedo, por se comer uns aos outros.

Para que não digam que sou um pessimista, gostaria de terminar este texto com um parágrafo de ternura, dedicado a Maria Cavaco Silva, uma das luminárias do séc. XXI: ontem, sem saber ainda que ia ficar retida em Praga, e com o Vaclav, a perguntar ao Homem da Bomba qual era a sensação de ser Presidente de um País que já não existia, e o outro a remoer a queixada, com o ar de néscio de quem já está no nirvana do seu Alzheimer, a Maria, dizia eu, parou na Ponte Carlos, onde tocava uma banda de músicos ambulantes. Foi bonito, vê-la a dar que dar, com a corcunda, a marcar o ritmo: sempre foi uma wagneriana, e, depois, com aquele ar de sopeira que ela põe, como se o Mundo estivesse vidrado nos seus pequenos gestos, abriu lentamente a valise de carton e tirou de lá um porta moedas, ou lá o que era aquilo, fê-lo passar pelas garras do cheché, e, numa câmara lenta, para que aquilo ficasse para a História, como os gestos de César, grafados por Suetónio, tirou uma coisita qualquer, que colocou no púcaro das esmolas dos músicos. Cheira-me a que foram cinquenta cêntimos, quantia que está ao nível típico da criatura.

O resto é ficção: mal ela virou as costas, o saxofonista jogou a mão à moeda, mordeu-a, para ver se era falsa, e atirou-a ao rio, longe da vista dos jornalistas, soltando, entre dentes, "vai lá dar esmolas à (****) da tua tia, minha saloia!..."

(Quadrilátero da Bancarrota, no "Arrebenta-Sol", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino", e em "The Braganza Mothers")

15.4.10

22 cêntimos para o PS...........................troca por troca!!!!!!!!!


Ainda pensavam que atestar nas bombas dos supermercados era uma grande vantagem! 
Vejam, agora na Galp e façam a conta 50 litros x 0,22€ = 11,00€. É verdade!... Só para os militantes do PS!..........................0,22€/Litro de desconto em combustível!! Dá para acreditar?! 
Assim, percebe-se porque pagamos os combustíveis mais caros!
É para outros, sem um pingo de vergonha, terem estes esquemas e os pagarem mais baratos. 
E Ainda vão dizer que está a aumentar o número de militantes no partido... Porque será??!!!




A PETROLÍFERA NACIONAL!!!!


Isto sim é que é um PAÍS! Até dá gosto pagar impostos!...

Eu EXIJO um desconto igual!!!
Também pago impostos. E muitos!!!

"Governo recorreu à Golden Share que detém na Galp para proporcionar melhores condições de vida a outros portugueses..."

Que é isto???


Eu não sou Português???


O governo governa o PS ou o país???


Eu sou o país!!!

Eles querem é ser também libertados cedo...

Graças ao Partido Socialista e ao seu director-geral dos Serviços Prisionais, Rui Sá Gomes - e digo seu porque foi nomeado pelo partido do governo -, Marcus Fernandes, que em 2005 assassinou brutalmente dois polícias poderá ser posto em liberdade já em 2011, quando completar apenas 6 anos e três meses dos 25 anos de pena a que foi condenado, e como este, variadíssimos outros animais da mesma estirpe podem usufruir da lei.
È bom lembrar que o Código de Execução de Penas que entra em vigor na próxima segunda-feira e que permite este tipo de habilidade foi aprovado pelo Partido Socialista e só pelo Partido Socialista.

Para quem já não se lembra, este belo exemplo que será posto em liberdade brevemente, além de ter um mandado de captura internacional, devido a um homicídio cometido no Brasil e a suspeita de ter sido autor de outros quatro, acabou mesmo por matar dois policias em Portugal e ser condenado á pena máxima de 25 anos prisão por um colectivo de juízes em tribunal que agora vêem um administrativo que tem a cargo a direcção geral dos serviços prisionais desautorizá-los e decidir livremente quem deixa preso e quem solta.

È inadmissível, é nojento pensar que um qual quer incompetente e mal formado, nomeado por um grupo de amigos em que o líder é alguém chamado Sócrates, tenha em mãos a segurança de um país.

Transcrevo trechos da notícia que refere a sentença de que este animal foi alvo para relembrar de quem se trata.

“O Tribunal da Boa Hora condenou Marcus Fernandes à pena máxima (25 anos) de prisão pela morte de dois agentes da PSP e pela tentativa de matar um terceiro. O colectivo de juízes considerou que o arguido executou os crimes "com frieza" e não mostrou arrependimento.”

“O arguido foi condenado a 23 anos de prisão pela morte de cada um dos agentes - António Abrantes e Paulo Alves -, e a 14 anos de prisão por tentativa de homicídio do agente Pedro Pereira, tendo, em cúmulo jurídico, sido aplicada a pena máxima.”

“O tribunal deu como provado todos os factos que constavam da acusação do Ministério Público (MP), entendendo que o arguido teve "uma conduta especialmente censurável e perversa" e "executou os factos (criminosos) com frieza". Considerou ainda que o arguido, de 31 anos, teve a "noção clara de que matou duas pessoas", mas que, apesar disso, "só pensa em si". "Não teve um momento de arrependimento. A sua consciência não lhe pesa", declarou a juíza Ana Paula Conceição, que classificou o homicida como um indivíduo "frio e perverso". “

“Marcus descarregou todas as 45 munições da sua pistola Glock em cima de três agentes que simplesmente lhe tinham pedido a identificação. A violência, a frieza, a destreza com que efectuou o acto foram destacadas pelo tribunal que o condenou.”

Agora vejamos:

É condenado a 60 anos de prisão, mas em Portugal como se respeita mais os criminosos do que as vitimas, apenas é condenado em cúmulo jurídico a 25 anos de prisão efectiva, - pena máxima em Portugal -, ora se não me falham as contas, a besta já teve de lucro 35 anos de liberdade e como se não bastasse vai ter a oportunidade que lhe ofereçam mais 18 anos e 9 meses.

Fantástico!


Obrigado Socialistas.



Gostam? Então votem neles outra vez.

Em Inglês Técnico e enviado por fax num Domingo

Sócrates disponível para responder por escrito sobre compra da TVI

14.4.10

Cá era lindo.................SOMOS DE 3º MUNDO!!!

Deputada Estadual Cidinha Campos fala sobre os ladrões...

No Brasil (país onde a corrupção brota em todos os poros políticos) o silêncio foi ensurdecedor...
...
Por cá alguém teria coragem para chamar os bois pelos nomes?
...
Alguém permitiria?
...

13.4.10

Contra Ratzinger, seguido de uma incurável genética nacional de Autos de Fé



Imagem do Kaos

Vamos começar por cima, e descer até à pocilga, o que, de acordo com Hermes Trimesgisto, é exatamente o mesmo.

Sou Europeu, Português, Maior, Adulto, Vacinado, Não-Ateu e Não-Cristão, ex-votante, para nunca mais, do Partido Socialista, e venho, ao abrigo dos valores do Iluminismo e da Liberdade de Expressão, arrasar duas detestáveis figuras da nossa contemporaneidade.

Joseph Ratzinger é um Alemão, o que já não augura coisa boa, para nós, que gostamos muito mais das brisas do Mar Latino.
Da Alemanha, vieram os três pretextos para os maiores holocaustos do séc. XX: Duas Guerras Mundiais, que quase iam irradicando, da Europa, a Humanidade e a Cultura, o flagelo de Marx, o flagelo das sequelas de Nietzsche e o horrível Mito da supremacia do Caucasiano.
Faltava-nos, ainda, esta cereja, chamada Ratzinger, que, à medida que se vai tornando evidente, foi, nada mais, nada menos, do que o cérebro negro e a eminência parda que esteve por detrás de todo o progressivo e irrecuperável divórcio entre a Igreja do pós-Guerra e a Humanidade.

Ratzinger está para a Igreja como Rasputine esteve para os dias finais do Czarismo: move os cordéis da sombra e é totalmente insensível às marionetes que os seus gestos fazem sucessivamente arder.
A Igreja apenas conheceu um Papa grandioso, enorme, generoso e vidente, na segunda metade do séc. XX, Chamou-se João XXIII, o Cardeal Roncalli e, infelizmente, durou pouco.
Não é do meu tempo, mas tenho, por ele, a mais sincera das reverências, e talvez houvesse conseguido o difícil milagre de me fazer Cristão, tivéssemos nós sido contemporâneos.
Compreendeu, pela emoção, e pelo pragmatismo, duas coisas que nos parecem imediatas, mas não o são: 1) que a Igreja é uma invenção do Homem; 2) Que a aparente incompatiblidade entre Crentes, Agnósticos e Ateus se resume afinal a arranjos linguísticos elementares. Para o Crente, Deus existe mesmo; para o Agnóstico, ou, melhor, para o Humanista, para tornar a base mais lata, Deus é aceite como uma necessidade humana da infinita miséria do macaco nu; para o Ateu, Deus é uma excrescência do percurso para a Razão, mas não mata, nem mói ninguém, e é compatível com o são convívio das sociedades.
Creio que o que acabei de escrever não justificaria quaisquer guerras religiosas, quaisquer perseguições, nem quaisquer fundamentalismos: como pregou o Profeta Jesus, nos seus espantosos Evangelhos, "Não chateies e também não serás chateado".

A seu modo, e muito à maneira grega, João XXIII compreendeu que o Homem estava no centro do processo, e, discretamente, colocou "Deus" e a Igreja ao serviço do Homem, o que faria o simultâneo contento de Crentes, Agnósticos e Ateus.
Morreu precocemente, e foi substituído pela "Marquesa" Montini, usualmente conhecido por Paulo VI, nascido em berços de seda, e totalmente alheio à Modernidade, convencido de que podia integrar a longa linhagem de aristocratas sumos-pontíficies, como era tradição italiana.
Caiu no erro, e já na sombra minava Ratzinger, de inverter os termos, e de tentar colocar a Igreja e o Homem ao serviço de Deus, sabendo já que "Deus" pouco tinha, nos conturbados Anos 60, de consensual.
Foi a época dos anátemas contra os divórcios, as derivas sexuais, e quem lhe deu o bem justo cheque-mate foi Peyreffite, uma "madame", escritora e diplomata parisiense, que lhe chapou na imprensa com o nome do amante, se não me engano, o filho varão de um industrial italiano. (A coisa vem toda contada em "Propos Secrets", e quem ainda souber francês neste miserável país, que o leia).
Acobardado, e caçado na sua varanda de S. Pedro, Paulo VI caiu no erro de o ameaçar de excomunhão, naquelas feiras do relógio a que a Basílica do Vaticano assiste todos os domingos.
Dizem os contemporâneos que nunca choveram tantos telefonemas em Paris, e Peyreffite subiu à glória, enquanto "Madame" Montini mergulhava nas trevas, dizendo que "os homossexuais deviam ser todos lançados aos ratos (!)"

Creio que o que queria era ser comido por um rato, mas morreu antes disso.

A conspiração da sombra continuou então, com a execução, à velha maneira renascentista e borghiana, do Cardeal Luciani, Patriarca de Veneza, que queria abandonar o Palácio Papal, e vir viver para um apartamento de Roma, com "jeans", e na boa linha de despojamento do Cristo.
Durou um punhado de dias, enquanto a Igreja saltava de escândalo em escândalo, assassinatos de Aldo Moro, enforcamento do Presidente do Banco Ambrosiano, colocação a nu das ligações entre a Mafia Episcopal e as Lojas Maçónicas viradas para o Crime, como a célebre P2.

Ratzinger, um cobarde, que tinha tido o pavor de que as sequelas de Maio de 68 destruíssem, de vez, o peso opressor da Igreja sobre os Povos, enveredou então pelo Fundamentalismo, aproveitando a boleia do que se estava a passar no Irão.
Como intelectual, sibarítico, inteligente e florentino, entendeu que a melhor maneira seria transformar a Fé numa Crendice, para anestesiar as bases, e evitar sobressaltos de cúpula: a sua genial invenção apareceu através de um rústico, ex-mineiro polaco, João Paulo II, que, ao longo do seu sinistro Pontificado, permitiu a propagação da Sida, pelo aconselhamento do não-uso do preservativo, em pleno auge da epidemia, esmagou as subtis conquistas da sociedade civil, e, definitivamente, incompatibilizou o livre pensamento com os chavões da Igreja.

Os grandes tempos do Culto tinham terminado, e começavam os miseráveis tempos da Crendice, com pastorinhas santas, balas perdidas, transformadas em milagres, uma chusma de merceeiros elevados à categoria de beatos, e sempre um severo "não" a tudo o que não fossem as aberrações comportamentais da castração do corpo humano, composto por todas as suas partes, exceto pelo... sexo.
A sua maior criação, para o meu gosto pessoal, foi a do preservativo de rendas (!), ao qual a Igreja, e creio que a Joana Vasconcelos também não, não se opunham...
Fosse Breton vivo, e esta ia diretamente para a "Antologia do Humor Negro".

O que Ratzinger fez com João Paulo II roça a imoralidade, a indignidade, a impiedade e o sadismo: sabendo da estrutura primária do Polaco, utilizou-o em todas as frentes, vendendo viagens, banha da cobra e sorrisos, enquanto inoculava nas multidões os mais perversos princípios contra-natura a que a Humanidade assistiu, em pleno séc. XX. Para o fim, fê-lo sofrer, enquanto corpo, oferecendo-nos horríveis imagens desumanas de um homem em sofrimento, às ordens da impiedade de uma sombra, sempre de nome Ratzinger.
Após vinte anos desta monstruosidade, como muito bem diz Laura "Bouche", não havia onde arrumar o carcinoma, tais eram as suas metástases, e o Conclave resolveu então empurrar a vérmina Ratzinger para o lugar onde menos poderia provocar estragos, paradoxalmente, a Cadeira de São Pedro.

Retomando a metáfora, era Rasputine que passava de Monge a Czar.

Vamos agora subir um patamar: muitas vezes, a História tem sido injusta nos seus processos: a Revolução Francesa deveria ter sido contra Luís XV, e não contra Luís XVI; o 25 de Abril deveria ter ocorrido contra Salazar, e não contra Caetano; a queda do Comunismo deveria ter ocorrido com Estaline e não com Gorbachov, "and so on".

Hoje, quando diversas vozes se erguem na Grã-Bretanha, para uma condenação do ser que se intitula "Bento XVI", mas continua a ser o homem Joseph Ratzinger, cabeça de todos os males que entretanto ocorreram dentro da Igreja, na estrutura social, e na destruição do nível emocional que deveria ligar os Cristãos à sua Fé, uma culpa com meio século de prolongamento e agonia, essas vozes britânicas estão, por uma das raras vezes da História, a exigir que a Culpa caia sobre o verdadeiro Culpado.

A personalização do Problema Ratzinger na Pessoa Ratzinger é dos momentos mais oportunos da nossa Contemporaneidade, já que se trata de caçar o rato no momento em que julgou atingir o instante mais alto da sua impunidade.
Nunca a Humanidade, desde os Bórgias, assistiu a este escândalo de se ver, ela própria, Humanidade, mais a Igreja, e "Deus", seja Isso o que for, ao serviço de um mortal, de ar maligno, fisionomia de cadastrado, com Lombroso o leria, e de seu nome Josef Ratzinger.
Nós precisamos de ar puro, e não podemos aceitar que nos venha visitar um réptil, com palavras de condenação sobre a vida sexual dos outros, os divórcios, a liberdade de nascer e morrer, o puritanismo da condenação do outro, quando encobriu um dos mais miseráveis crimes de que o Homem é capaz: a violência das pulsões sexuais da Besta Pénis sobre o frágil corpo das crianças, dizendo, ao mesmo tempo "que os pedófilos deviam ser todos afogados", não, alma negra, Ratzinger, nós, esse nível, de impiedade e hipocrisia, não permitimos, e esperamos que tenhas, já em Lisboa, o ensaio daquilo que te espera na tua visita (?) ao Reino Unido: condenação, rejeição e profundo mal-estar.
Pela minha parte, tudo farei para que tal suceda.

O final é um pouco mais abaixo: é por Igrejas como a de Ratzinger que assistimos a autos-de-fé.
O Sistema Judicial Português, inquinado por uma revolução que nunca sofreu, pelo menos, desde os tempos da Santa Inquisição, está-se a preparar para afrontar a Opinião Pública através de uma das mais escandalosas provocações a que teremos assistido: na véspera da constituição de uma Comissão Parlamentar, para chamar à pedra o cidadão José Sócrates, por presumíveis atos de Lesa-Estado, vai haver peões que, no Baixo Vouga -- lamento, mas não tem metro perto, logo, não sei onde fica, nem sequer se existe... -- vão destruir provas e testemunhos da nossa História presente.


Cidadãos, a iniciativa é vossa.

(Quarteto sinfónico "a la Brahms", no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")

10.4.10

Os Projectos "Fabulosos" do Pinóquio e suas Desculpas esfarrapadas mas engolidas

Projectogate - Parte II .


Ver o resto (muito bom) deste post AQUI.
...

Os últimos dos derradeiros dias de Portugal: Santa com cara de saloia foge definitivamente de Fátima!...




Imagem do Kaos

Este é um texto lançado, como anátema, contra Joseph Ratzinger, culpado de meio século de ideologia criminosa da ICAR, e dedicado a todos os espíritos livres do meu país, Portugal

O dramatismo destas coisas é as fontes terem de ficar secretas, e só posso dizer que são muito próximas da Cova da Iria, mas Portugal vive o momento mais grave da sua história recente, e que se sintetiza assim: a Santa com Cara de Saloia, Padroeira de Portugal, embarcou, no final do dia 7 do corrente, com destino a Roma.
Resumindo: a Senhora de Fátima, pura e simplesmente, fugiu de Portugal.
Para mim, que odeio ídolos de mau gosto, com ar de terem sido comprados na loja dos chineses, a coisa é um alívio: exportassem o Futebol e cosessem a boca à Mariza com fio de sola de sapateiro, tipo o Hannibal, e o ar ficava mais fresco, mas temos de ser pragmáticos e analisar as coisas, friamente, porque em tudo há um sentido e o sentido do tudo é que nos governa, nesta angustiante época de aflição, em que nos encontramos nos braços das "Doce", de Maria Cavaco Silva, e de bichas ávidas de casamento.
Reunido o meu Conselho de Estado, as hipóteses divergiram: houve quem adiantasse que 2012 já estava a caminho, e Portugal estava, assim, a salvaguardar as suas coisas mais preciosas, o que é bem possível. Nesse caso, devem ter enviado, conjuntamente com a porcelana, um exemplar do "Equador" e um episódio dos "Gatos Fedorentos" (parece que cada país só tem direito a salvar três relíquias, e estas parecem-me razoáveis e equiparáveis).
Outras vozes, mais sérias, ergueram-se, lembrando que Ratzinger, um jovem (de)formado nas hostes da Juventude Nazi, Protetor dos Pedófilos, com a sua célebre Crimen Sollicitacionies, senhor dos fretes da Opus Dei, e o Papa mais nefasto, reacionário e inumano do pós-guerra, estava realmente em apuros, e, embora as pessoas normais não acreditem em poderes sobrenaturais de bonecas de porcelana, a Santa lá ia a Roma, para um "tête-è-tête" com o Vigário de Cristo, para que, num diálogo surdo com aquelas bochechinhas falsas e rosadas, a Mãe do Céu o aconselhasse em como sair do atoleiro em que está metido. Coisa difícil, mas os milagres são mesmo para estas ocasiões, e ele, ao contrário de mim, ainda acredita neles.

Vieram depois as hipóteses tenebrosas: a AL-Qaeda, e muito bem, estava a preparar-se, no dia 13 de  Maio, para colocar num sítio bem posicionado, um daqueles atiradores furtivos, que fazem estoirar as tropas do Nobel da Paz, e disparar uma rajada contra a boneca de cerâmica, provocando o caos e o pânico, no Idolatrário de Fátima, com muitas centenas de vítimas, por esmagamento, e o fim abrupto e sangrento do Festival da Crendice. Salvaguardava-se, assim, o original, e quem apanhava com a rajada era uma cópia, vinda de Roma, enquanto a própria ficava bem guardadinha num cofre. Com reservas, adianto que esta versão me chegou via Mossad, pelo que não é de desprezar... Custam-me que se protejam ídolos em troca de massacres de multidões, mas a Igreja sempre funcionou assim. E será só mais uma vez.
Tudo isto poderia ser verdade, se, na altura do embarque, difarçada de mercadoria comum, o raio-x do aeroporto Sá Carneiro, que vasculhou a porcelana, sem vísceras nem alma, não tivesse revelado outros pormenores: primeiro, a tal bala que nos poderia ter atempadamente livrado do Woytilla, e que, consta lá ter sido incrustada, era... mentira, e não está, assim como já tiraram o "chip", que um dos nossos mais estimados leitores lá colocou dentro (!), para ser localizada, caso alguém se lembrasse de roubar aquela... porcaria.

A parte pior vem agora: a radiografia indicou que a Santa estava de barriga, e o feto apresentava fortes semelhanças com Ratzinger.
Gostaria de ouvir Dom António Marto e os profundos bastidores do Vaticano sobre isto, mas não me apetece que me façam o cházinho da meia noite, como fizeram ao Cardeal de Veneza, João Paulo I, mandado assassinar pelas trevas da Igreja, pela Loja Maçónica P2 e pela Opus Dei, e, portanto, deixo ao vosso cuidado investigarem, mas, mesmo assim, levanto a hipótese: há rumores, na Cova da Iria, de que as múltiplas visitas de João Paulo II, o Papa da Sida, a Fátima, tiveram como objetivo tentar procriar com a porcelana, embora incompatibilidades sanguíneas tivessem impedido a coisa, por muito que ele a tivesse... "coberto".

Com Ratzinger, um pastor alemão, as coisas terão corrido diferentemente, e a Santa terá mesmo emprenhado do Santo Padre.

A ser isto verdade, seria um ovo colombiano, e a viagem para Roma da Saloia nada teria a ver com fugas, nem com atentados, mas tão só para fazerem na tal Clínica Agnelli, onde o outro, para o fim, fazia figuras do comboio fantasma, à janela, submetido às torturas da mafia de Ratzinger, dizia eu, fazerem os testes do ADN, para ver se o nascíturo seria mesmo filho de Ratzinger e da... Louça.
Perguntar-me-ão qual o interesse de um jarreta daqueles, com ar de facínora decidir emprenhar um pedaço de porcelana?...
A verdade é que o casamento é para procriar, e Ratzinger procriou.

Conhece algum narcisista que não queira deixar pela Terra uma imagem sua, à imagem e semelhança da imagem do original?

O terror vem a seguir, e é contado por fontes ainda mais secretas.

É sabido que o Vaticano se tornou num albergue de condenados pedófilos de todo o Mundo. Deus tudo perdoa, sobretudo se não for informado dos acontecimentos, e a velhice do Padre Eterno é um facto, pelo menos, desde Nietzsche e Guerra Junqueiro. Ora uma padre pedófilo não vive sem alimento, e a suprema monstruosidade -- estas almas vestidas de corvo são capazes de tudo -- era pedofilizar um filho do Santo Padre, e passamos já ao relatório secreto, escrito em Latim, da Santa Sé, tal como nos chegou:

"Chegada a Senhora de Fátima ao Vaticano, foram os especialistas chamados a assistir ao parto do filho do Bispo de Roma, Ratzinger, com o nome de Bento XVI, porque nascido a 16 de Abril, dia de São Bento, Patrono da Europa, e do ídolo, a seguir designado por "Fátima", e executado por artesão que pediu o anonimato. A criança nasceu saudável, e logo decidiram os membros da Cúria em que lugar da Cidade do Vaticano se consumaria a profanação. Muitos sugeriram a Capela Paulina, mas assentou-se, pelo seu renovado estado de conservação, e lugar simbólico, a Capela Sixtina, para a qual se levou o nascíturo, embrulhado em rendas do espólio de São Pio IX. Aí, foi apresentado ao Cardeal XXXXXX, em cujo processo de condenação, e autos apressadamente arquivados, em Melbourne, constavam gostos sexuais por recém-nascidos, tendo, na presença do Santo Padre, do Grande Camerlengo, do Portador dos Selos, do Bispo resignatário do XXXXXX, do Mordomo de Castel Gandolfo, do Marquês dela Pxxxxx e do Duque de XXXX, muito afetos à Obra, sido cometidos os atos.
Levantou o Cardeal XXXXXXX as vestes, e mostrou um pénis flácido e atrofiado, do qual só se viam as peles, tendo-o aproximado da boca da criança e proferido as seguintes palavras: "este é o meu corpo, que dele tomes e comas", tendo encenado uma mímica de vitelo que fosse amamentado, e tendo a criança, por choro, protestado, se lhe apertou o braço, entre força e ternura, repetindo, com a "Imitação de Cristo" aberta, "que assim sempre tinha sido, e assim sempre seria".

Fez-se então descer a Duclos, 48 anos, grandes traços de beleza, muita frescura, o mais belo cu que se possa imaginar; a Champville, de 50 anos, magra, olhos lúbricos, e tríbade. Fora loura, o clítoris longo e fremente, e um cu largo, à força de tanto uso; a Martaine, de 52 anos, muito acostumada a suportar os maiores instrumentos, e ainda com belos traços, embora já tivesse começado a decair; a mais velha, a Desgranges, tinha 56 anos, e a maior celerada que jamais existiu: era a imagem do crime personificado. O seu cu, flácido, parecia papel marmoreado, dotado de um buraco imenso. Tinha uma mama, três dedos e seis dentes a menos, fructus belli, e, como decana, foi-lhe dada a palavra, pelo que se dirigiu ao Bispo de Roma, Joseph Ratzinger dizendo-lhe: "eu tenho o poder de acrescentar e diminuir a idade ao teu filho, pelo que, numa só tarde, poderás entregá-lo às sevícias e desmandos de todos os celerados que protegeste sobre estes tectos, e poderás assistir, como se de uma missa negra se tratasse, a todas as ignomínias, perversidades e aberrações, tais como te foram relatadas nos autos levantados, por práticas pedófilas, sobre jovens de todas as idades e de todas as Nações do Mundo, Gog e Magog, de onde os recebeste e aqui os protegeste, para que melhor se pudessem entregar às suas inclinações e tendências, sob a proteção, e o sigilo, da Santa Sé".
Disse então a Duclos: "O Abade SXXXXX, aqui presente, consumado no vício da Sodomia, após acariciar e penetrar o ânus das crianças, por mais de um meia hora, era conhecido por lhes enfiar, em seguida a língua, empurrando-a, como um dardo, uma seta de Santa Teresa de Ávila, torcendo-a e retorcendo-a, com tanta arte que os jovens julgavam senti-la, bem no fundo das entranhas. Podes dar-lhe, assim, o teu filho, e pedir-lhe que repita com ele o que fez com tantos outros", e tendo acedido Joseph Ratzinger com a cabeça, o seu filho e da Senhora de Fátima foi iniciado nos prazeres da sodomia passiva.

Passou depois a Desgranges, e recordou os atos do Bispo de MedXXXXXX, cujo vício era que os jovens de cinco anos carregassem os intestinos durante uma semana, para depois lhe descarregarem, com lentidão, as fezes na boca, e tendo todos concordado com a justiça da prática, se fez com que o filho de Ratzinger obrasse na boca do Bispo, entre muitos "ai jesus, ai meu deus, que eu não aguento tanto prazer", mas aguentou, e quereria repetir.
E, estando o sol a pôr-se, se achou por bem entregar o corpo da criança a todos os presentes, para que lhe usassem o vaso bocal e o vaso anal, com exceção do Marquês dela Pxxxx, que preferiu manipular-lhe o pequeno pénis, e apenas continuar a narrativa no dia seguinte, concedendo à criança e aos presentes um justo momento de pausa, e, tendo-se todos retirado, o Padre Lawrence C. Murphy ficou só com a criança, levantando a batina, e pedindo-lhe que brincasse um pouco com o seu pequeno sexo ereto. Após ter descarregado a sua semente, e limpado os líquidos ao hábito, olhou para o jovem e disse-lhe: "sabes quem é o teu pai?", ao que ele respondeu, "O meu pai, em Cristo, é o Cardeal Joseph Ratzinger, Bispo de Roma, e ducentésimo, sexagésimo sexto Papa do Ocidente, o Número da Besta..."
"E a tua mãe?..."
"A minha mãe é um ídolo fabricado num país miserável, onde apenas serve para extorquir dinheiro e manter esmagadas, e na obscuridade da crendice, as consciências de alguns milhões de pessoas. Fosse vivo o Cristo original e seria desfeita à martelada, por idolatria"
E tendo os olhos do Padre Murphy brilhado com a maturidade destas respostas, virou-se para a criança, e fez-lhe a derradeira pergunta:
"E tu, como te chamas?..."
"Eu sou o Anticristo, e venho hoje inaugurar aqui o Meu Reyno, e anunciar-vos o final e a consumação de toda a infinita sordidez a que conduziste a vossa precária Civilização... Podes, pois, retirar-te, pois tudo já está consumado"

(Quatro cavalos de Apocalipse, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
Related Posts with Thumbnails