27.2.10

Tragédia na Madeira: Um desastre já anunciado há dois anos

Afinal há assassinos...



...silenciosos.

EU METIA UMA QUEIXA CRIME.
EU PEDIA UMA INDEMINIZAÇÃO AO TRIBUNAL EUROPEU.

Será que foi o PGR que avisou o pessoal corrupto?



MAIS NADA!!!
Dúvidas???

Novas Escutas do "Freeport": da Coleção de Rejeitados da Popota Cândida Almeida


CD 12 – 1h 12m 14 s
Elisabeth II – Ohhhh, darling… (smile)
Dona Adelaide Pinto de Sousa – Como está, minha querida?...
E. II – I am a bit of pain in the ass…
D.A.P.S. – Dores nas cruzes?... Isso já lhe passa, querida, quem me dera que as minhas dores fossem todas nas cruzes...
E. II – And your son?... Do you know that “eu já dei ordem” of blocking here “Freeport’s” process?...
D.A.P.S. – Sim, “my son” já me disse...
E. II – You know, I don’t want dirty things envolving MY son!...
D.A.P.S. – Nem o meu!... O meu Zé é tudo para mim, aliás, o meu Sócrates, e o outro, que se ia chamar Platão, e um terceiro, que se Jeová quisesse, seria Aristóteles...
E. II – So, what about “Freeport”, in Lisbon?...
D.A.P.S. – Cândida Almeida “is just trying” to arquivá-lo. Fique descansada, que já não aparece lá o nome nem do seu filho, nem do meu, nem do meu irmão, nem dos meios irmãos, nem dos meus sobrinhos, nem dos meios sobrinhos, nem de ninguém da sua família, nem da minha, e a palavra "off-shore" e "Parkinson" foi apagada de lá!...
E. II – God is great!...
D.A.P.S. – (silêncio) No, dear… Yahvé “is great”!...
E. II – Yes, yes, Yhavé too. And Allah, and all gods are great (smiles)
D.A.P.S. – Tudo, na Terra, é grande e grosso (risos)
E. II – So, now, we can begin thinking on something greater than “Freeport”… (silence)
D.A.P.S. – José “is trying to build the BIGGEST airport” no Mundo. (silêncio) Quer dizer, está a arranjar maneira…
E. II – “arranjar maneira” is what?...
D.A.P.S. – “He is trying”…
E. II – Ah, that’s all right, dear (smiles)
D.A.P.S. – … “He is trying” to have more robalos?...
E. II – What is that... “robalos”?...
D.A.P.S. – (silêncio)
E. II – (silence)
D.A.P.S. – (silêncio)
E. II – Is it what?... a fish?...
D.A.P.S. – “Well, IT is not fish, not… It is…”
E. II – Bass fish?...
D.A.P.S. – Não, not “snuff” (silêncio), é… (silêncio)… dinheiro
E. II – Oh, darling, I see, “dinheiro”, money… It' s so, so... sweet, money. I like money very much!... Money is my… blood!...
D.A.P.S. – Querida, não me fale de “blood”!...
E. II – Why not, my dear?...
D.A.P.S. – “Because I’m” Testemunha de Jeová. Posso receber dinheiro mas não posso receber sangue.
E. II – Ohhhh, I’m so sorry, darling, so I can imagine how you are “sofrendo”, now...
D.A.P.S. – Sim, sou uma sofredora, estão a tentar linchar moralmente o meu filho...
E. II – But your child has any morals?
D.A.P.S. – Não, mas uma mãe acredita sempre que sim
E. II – And he will get married now? ...
D.A.P.S. – (silêncio)
E. II – I’m not talking about gay marriage. I’m talking about a woman, you know you can allways buy a woman to pretend to be his wife. I’ve done the same, with Sophie and Edward… My son is also a… faggot...
D.A.P.S. – “So, you are a fag-mother…” (risos)
E. II – (silence)
D.A.P.S. – (silêncio)
E. II – No, I’m the Queen, and you are a… (silence)
D.A.P.S. – …
E. II – … anyone can help me?... Richard, please, call me the translater!... (silence)
D.A.P.S. – …
E. II – (silence) So... “Você é uma javardona transmontana, mãe dominadora, que fez a vida negra ao seu marido, antes de se divorciar, e o seu filho tinha de dar num paneleiro de Vilar de Maçada, o maior aldrabão que os Portugueses já tiveram como Primeiro-Ministro, portanto, “fag-mother” é a puta que a pariu, sua ordinária!...”
D.A.P.S. – (chora)
( Ouve-se outra voz na linha)
Cândida Almeida – Importam-se de manter alguma decência na conversa, porque isto está tudo a ser gravado?... E, já agora, ou falam em Português, ou é melhor estarem caladas, porque eu sou fraquinha em Inglês Técnico!...
E. II – Oh, yes, darling, of course!...
D.A.P.S. – Ai, sim, querida, pedimos já desculpa… Mas podemos continuar?...
E. II – What’s about raining, in Madeira?... And Cristiano... Cristiano Ronaldo?...
D.A.P.S. – “Do you love too” Cristiano Ronaldo?... Passo o dia a “dar ao dedo”, “esfolheando” revistas com ele…
E. II – “Dar ao dedo?...”
D.A.P.S. – “Yes, darling”, como é que se diz, em Inglês... esfregar o dedo no clítoris, com toda a força?...
(Fim da escuta)

26.2.10

Qualidade de vida do Rendimento Mínimo

Qualidade de Vida Do Rendimento Minimo                                                                   

Nem mais!!!!!!!

Eu bem os vejo!!!

Perguntem ao CAVACO!!!

Como não há santos neste altar...

Perguntem a Cavaco Silva                                                                   

25.2.10

Breve Ficha de Inscrição na Camorra




Imagem do Kaos

A primeira palavra vai, inevitavelmente, para a Madeira: pudessem os versos e as belas frases restituir a vida aos mortos e a beleza aos lugares. Não podem, e fica aqui o apelo ao Tempo.
Os velhos do restelo, aves agourentas, que todos detestam, têm agora a voz nos abusos do urbanismo, e mais não vou dizer. Cheia andou, a Bela Ilha, de belíssimos "engenheiros", daqueles, dos bons, da "Independente", que já não se fabricam, porque a fábrica fechou, e a coisa deu no que deu.
A segunda palavra é para aquilo que, se estivéssemos num País regular, minimamente sensato, e com alguma tradição de Opinião Pública, já teria limpo a Classe..., enfim, ia escrever "Política", mas isso só seria verdade no sentido lato, porque tudo é Político, portanto, escreverei, a Fachada do Regime, que deveria ter sido imediatamente limpa.

A memória, como sabemos, é coisa curta, sobretudo no país da "bica" e do Futebol, da Santa com Cara de Saloia, dos "Ídolos" e dos "Gatos Fedorentos": dura enquanto durar o esfregar a beata no cinzeiro, e logo a seguir, o português típico cospe para o chão e passa adiante, a olha para os cus de umas pitas boazonas do 8º ano, que ainda são menores, mas já se faziam.
O que mais me inquieta, sempre que regresso de viagem, é esta compulsiva necessidade de estar permanentemente a fugir de aqui, e a sensação seguinte, no âmbito da ressaca, que é a de que, de cada vez que volto, encontrar cada vez menos país e cada vez mais pântano.
Há um lado glorioso no "SOL", quando decidiu romper o silêncio das "Escutas", e chapar com alguns estilhaços da Realidade Oculta, mas imediatamente passamos para o patamar da inquietação seguinte, que é como estar a apanhar só três minutos entrecortados de um filme que nós sabemos ser infinito.
Quando António José Saraiva, que dirigiu o "Expresso", lugar de referência, pelos bons e maus motivos, começa a falar com voz grossa, é sinal de que apenas nos está a ser dado contemplar a ponta do icebergue, mas já repetimos isso infinitas vezes, por aqui.
Falou com voz grossa, e passou a editorial uma série de caras, muito nossas conhecidas, que sabemos que já deveriam ter "ido dentro" há muito tempo. Trata-se de associação criminosa, nepotismo, peculato, divulgação de informação cifrada, tráficos e compras de silêncio, tudo o que possamos, e, sobretudo, aquilo que nem sequer imaginamos.
É a vida: o próprio "Arrebenta", figura de ficção, e, ao que parece, de grande popularidade, começou a sua vida blogosférica, aquando de um valente chuto no cu dessas mesmas caixas de comentários do "Expresso", só deus saberá por que razões, mas que não serão alheias a muitas coisas sucedidas, já que se preparava para desmascarar um dos piores erros da Democracia Portuguesa, a eleição de Cavaco Silva para Belém.
Águas passadas.
Hoje, numa memorável intervenção, o atual Diretor do "Expresso", de novo, acusou o pederasta exaltado, colérico e vingativo, que (ainda) governa Portugal, de exercer pressões, desde as mais suaves às mais incómodas. Também não é de espantar, porque se trata de uma figura, como todas aquelas que não têm qualquer caráter, de ser capaz de tudo, e é. Utiliza uma velha tática, que vem em todos os manuais de sofística que é a de negar, com ar cândido, as mais evidentes evidências. Para os avisados, a coisa torna-se revoltante, e ainda exalta mais os ânimos. Para a enorme massa, inculta, inquieta e assustada, deste enorme divã de acomodados, que se chama Portugal, há uma sensação de curto-circuito, porque, herdeiros do culto do Respeitinho, no fundo, fica sempre uma séria dúvida, quando se ouve um homem, com o cargo de Primeiro Ministro, desmentir, desmentir, desmentir, que ele possa estar realmente a MENTIR.

Num terceiro tema, Manuela Ferreira Leite, que tantos ódios acumulou, tem revelado as virtudes da estadista, e mostrado como se pode ser excelente Chefe da Oposição, sem grandes esforços: basta chamar os bois pelos nomes, coisa que, nesta terra, é dos comportamentos mais temidos. Numa entrevista irrepreensível, dada a Judite de Sousa, tocou numa das teclas sensíveis do meu "ego": estar ali para servir, e não para fazer carreira, linha que perfeitamente se inscreve no manual do aristocrata, e ela bem o sabe.

Desconheço os limites constitucionais do ato, mas suponho que, brevemente se esgotarão os poderes da Coisa Triste, que ocupa Belém, para poder dissolver a Assembleia. Como isto está a a reboque do seu próprio fim, não é líquido que o faça, no momento ideal, quando o PSD definisse quem quer que seja o seu próximo rosto, e já houvesse um rumor parlamentar do que viesse a seguir.
A Esquerda continua a insistir em alcoólicos, que pactuavam com terroristas, em tempos de Guerra, e arranjou agora uma nova figura, equivalente às Tardes da Júlia, ou aos cozinhados da Maria de Lourdes Modesto, para tentar transformar a Presidência da República, já de si tão desacreditada, num novo poleiro da Ternura dos Sessenta, indiferente a um País que precisa de um Estadista de pulso orientador, mas nem me vou deter mais sobre isso, porque o cataclismo "ira de soi"...

A preceito, Sócrates já deveria ter ido para a rua, aquando do "Caso do Diploma", e, como já não sei, de há semanas para cá, em que águas navegamos, um brusco salto, nos contadores, de emails enviados, de material duvidoso, em redor da "Independente" (como poderão verificar), em redor da única contribuição, eventualmente interessante, a ser verdadeira, que a tal pécora de Gaia, que destruiu o nosso primeiro "Braganza", deixou como legado, está a acontecer diariamente.

Presentemente, não me atrevo a quaisquer previsões, tanto mais que o "SOL" deverá avançar, já nesta sexta, com mais lenha para a fogueira.
À maneira italiana, tudo isto deveria desembocar num "Mãos Limpas", que arrastasse consigo o Polvo inteiro, reabrisse, por exemplo, o "Casa Pia", fizesse uma limpeza dos magistrados conluiados com o tráfico, o futebol e a construção civil, e abanasse esta gente, mostrando-lhe que não é possível que haja sentinelas, como essa tal de Cândida Almeida, que acha importante é que se tapem os furos da panela de pressão, de onde ainda vai saindo algum vapor útil, em vez de se preocupar com a gravidade das coisas que vão saindo para a Opinião Pública. Suponho que seja isso que defina ser "la voix de son maître"...

Se me perguntassem o que hoje me satisfaria, seria elementar: Sócrates fora, eleições antecipadas, ou não, porque haveria maturidade suficiente na Assembleia, para organizar um Governo de Salvação Nacional, pluripartidário, que excluísse o PS, até que ele se purgasse, novo Procurador da República, e limpeza dos cavalheiros de Justiça, que passaram por tudo, até pelos célebres Tribunais Plenários, que a PIDE tanto adorava.
Obviamente, estou a sonhar alto.
Ficará tudo na mesma, Cavaco será reeleito, para acabar a babar-se, nos braços da sua mulher a dias; talvez se consiga calar Ferreira Leite, pondo-a na Presidência do Banco de Portugal, em vez de Manuel Pinho, e assegurando assim um "Centrão-Sombra", e Sócrates perpetuar-se-á, ele e o "Polvo", o pessoal do "Eleven", das saunas de Bruxelas, Berlim e Barcelona, e, passada a agitação da Madeira, nós poderemos voltar, calmamente, a concentrar as nossas baterias nas minúcias das pernas de senil depilado de Cristiano Ronaldo, porque isso é que é bom, e dá saúde e de comer a um milhão de Portugueses.
A Bem da Nação

(Quarteto brahmsiano, no "Arrebenta - SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")

24.2.10

Orçamento 2010 - Deputados bem tratados!!! E em crise!!!

Orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA para 2010
Inacreditável (ou não)!!!

Reparem no que se segue, façam as contas e digam-me para quantas variantes, estradas, escolas, hospitais etc, etc. não daria este orçamento cuidadosamente acautelado no Orçamento de Estado para 2010!
E chama-se a isto viver em Democracia quando uns comem tudo e os outros não comem nada!

Caríssimos:
Atentem BEM no valor que o Bolso dos Portugueses (ou seja, TODOS NÓS!)  terá de suportar para GARANTIR a existência e funcionamento (???) daquilo a que se chama ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.
Seguem-se ALGUMAS das rubricas Existentes no Orçamento que acaba de ser publicado em Diário da República.

Caso queiram consultar essa peça MARAVILHOSA e de  SONHO só terão de ir ao site WWW.dre.pt e acederem ao Diário da República nº 28 - I série- datado de 10 de Fevereiro de 2010 - RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.
Então DELICIEM-SE:
1 - Vencimento de Deputados...................................12 milhões e 349 mil Euros
2- Ajudas de Custo de Deputados..............................   2 milhões e 724 mil Euros
3 - Transportes de Deputados...................................   3 milhões 869 mil Euros
4 - Deslocações e Estadas.....................................    2 milhões e 363 mil Euros
5 - Assistência Técnica (?????)...............................   2 milhões e 948 mil Euros (deve ser para apertar alguns parafusos um tanto desapertados!)

6 - Outros Trabalhos Especializados (???????) .........    3 milhões e 593 mil Euros (resta saber quais!)
7 - SERVIÇO RESTAURANTE, REFEITÓRIO, CAFETARIA............. 961 mil Euros
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares................                      970 mil Euros
9 - Equipamento de Informática...............................    2 milhões e 110 mil Euros
10 - Outros Investimentos (??????).........................     2 milhões e 420 mil Euros
11 - Edifícios.........................................................     2 milhões e 686 mil Euros
12 - Transfer's (???????) Diversos (????)..................    13 milhões e 506 mil Euros
13 - SUBVENÇÃO aos PARTIDOS representados na Assembleia da República..........     16 milhões e 977 mil Euros
14 - SUBVENÇÕES ESTATAIS PARA CAMPANHAS ELEITORAIS ...........      73 milhões e 798 mil Euros

Isto são, então, ALGUMAS das rubricas do orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA!
Em resumo e NO TOTAL a DESPESA ORÇAMENTADA para "aquela casinha", relativamente ao ANO de 2 010, é: 191 405 356, 61 Cêntimos (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos) - Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 - 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.
Nos termos do disposto no Artigo 148º. da Constituição da República Portuguesa :"(...) A Assembleia da República tem o MINIMO de cento e oitenta deputados e o MÁXIMO de duzentos e trinta deputados, nos termos da Lei Eleitoral (...)".
Acho desnecessário dizer se, EFECTIVAMENTE, a dita Assembleia funciona com 180 ou 230 deputados... 

E por aqui me fico.
Façam umas "contitas" e tirem CONCLUSÕES quanto ao valor que suportamos, POR CADA DEPUTADO.

Quanto às restantes  outras CONCLUSÕES nem faço alvitres!
Ficam as mesmas ao VOSSO INTEIRO CRITÉRIO!
Boa disposição estomacal...  APÓS a leitura de tudo o acabado de expôr.

22.2.10

Líder confia muito em si próprio!!!

Uma pessoa que se considera líder, que afirma sê-lo, não exprime uma mensagem credível ao dizer com ar convicto e solene que «confia muito em si próprio». Isso pode ser interpretado como tratando-se de um vaidoso, deslumbrado, autoritário, ditador, etc.

O verdadeiro líder deve ser sentir que os seus liderados confiem nele, que estão dispostos a todos os sacrifícios por ele. Mas não deve ser ele a dizê-lo, não deve gabar-se disso.

Isto recorda palavras do nosso PM, mas ele não pode sentir nem afirmar com verdade que os portugueses confiam nele, nas suas ideias, nas suas palavras, nas suas qualidades. Não o consideram líder.

Basta ver a mensagem transmitida pelos resultados das últimas legislativas, em que obteve apenas os votos de cerca de 20% dos cidadãos inscritos nos cadernos eleitorais. Para quem está menos familiarizado com números, isso representa que em 100 eleitores, apenas 20 lhe demonstraram confiança, isto é apenas UM QUINTO deles o escolheu. Isto é, de CINCO eleitores houve QUATRO que o recusaram, numa família de 5 eleitores apenas um lhe deu o voto.

Mas, legalmente, juridicamente, como agora usa argumentar-se,ele é o líder, foi o escolhido, mas moralmente, na realidade, não se pode intitular líder dos portugueses. E o mais grave é que dos tais 20% nem todos ainda o consideram como tal, pois já há declarações públicas de figuras notáveis do seu partido que não o seguiriam «até à morte». E quantos aos que não são notáveis, o panorama é capaz de ser de menos optimismo.

Mas isto é um aspecto do regime, das disposições constitucionais, legislativas, jurídicas!!!

O que interessa sublinhar e reter é que qualquer pessoa, antes de falar, deve avaliar se a mensagem que pensa transmitir terá mais valor do que o silêncio, se vale mais falar do que ficar calado. E uma entidade com elevadas responsabilidades deve estar consciente de que qualquer coisa que diga, tem o peso de um recado, uma directiva, uma instrução e nunca será esquecida ou menos prezada, pelos que nela estão interessados. Convém por isso alinhar bem as ideias, medir as palavras com que as expressa, seja qual for o local e a qualidade da audiência. Uma pessoa inteligente deve demonstrar a todo o momento que o é.

Joãozinho......................contra Sócrates!!!

UMA DELÍCIA!



 

 
 
Quem disse que toda a piada de Joãozinho tem que ser indecente?
Sócrates foi a uma escola conversar com as criancinhas, acompanhado de uma comitiva.
Depois de apresentar todas as maravilhosas realizações de seu governo, disse às criancinhas que iria responder perguntas.

Uma das crianças levantou a mão e Sócrates perguntou:
- Qual é o seu nome, meu filho?
- PAULINHO. (lembre-se bem deste nome)
- E qual é a sua pergunta?
- Eu tenho três perguntas:

1ª)Onde estão os 150.000 empregos prometidos na sua campanha eleitoral?
2ª)Quem meteu ao bolso o dinheiro do Freeport?
3ª)O senhor sabia dos escândalos do Face Oculta?


Sócrates fica desnorteado, mas neste momento a campainha para o recreio toca, ele aproveita e diz que responderá depois do recreio.

Após o recreio, Sócrates diz:
- Porreiro Pá, onde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem perguntas?
Um outro garotinho levanta a mão e Sócrates aponta para ele.
- Pode perguntar, meu filho. Como é o seu nome?
- Joãozinho, e tenho cinco perguntas:


1ª)Onde estão os 150.000 empregos prometidos na sua campanha eleitoral?
2ª)Quem meteu ao bolso o dinheiro do Freeport?
3ª)O senhor sabia dos escândalos do Face Oculta?
4ª)Por que é que a campaínha do recreio tocou meia hora mais cedo?
5ª)Onde está o PAULINHO??

20.2.10

Corrupção Assassina 42 Pessoas

A cidade do Funchal, na Madeira, está a ser vítima de temporais, inundações e deslizamento de terrenos devido às grandes chuvas.

Não é uma catástrofe natural inevitável, mas apenas uma das consequências do mau ordenamento do território. Efectivamente, é absolutamente possível coordenar as consequências de acontecimentos naturais do género. Tem sido demonstrado em todo o mundo. Ainda que num grau bastante inferior, constata-se a diferença observada em Lisboa aquando de grandes chuvas. Antes dos trabalhos necessários terem sido efectuados, algumas zonas, como a do Baixa (que burros cheios de auto-estima de iletrados pedantes agora chamam de pombalina, como se houvesse outra), Cais do Sodré / Av. 24 de Julho e a de Benfica tinham inundações enormes mal chovia um pouco.

Os problemas do Funchal são bem conhecidos desde sempre. O temporal de 1993 foi um dos que causaram maiores estragos. O governo regional, constituído por indivíduos nascidos e criados nas ilhas está perfeitamente consciente dessa possibilidade de catástrofe. No entanto nada fez para o evitar. Ou melhor, fingiu fazer. Tanto que disso tem sido permanentemente acusado. O Bicho da Madeira respondeu às acusações de agora dizendo que se a cidade do Funchal não desapareceu por completo foi devido às canalizações feitas nas ribeiras.

Pelos resultados vemos como se comporta esse governo, que nem salvaguarda as vidas dos cidadãos. As obras necessárias deveriam ter sido efectuadas por gente competente e não contratados por modos corruptos. Assim, parte do dinheiro necessário para as ditas obras foi gasto em obras insuficiente e mal feitas, outra parte usada literalmente na corrupção e o restante para outros objectivos que davam mais votos.

No entanto, mesmo roubando, a Madeira é a segunda região nacional mais desenvolvida. Para poderem roubar mais dando menos nas vistas, o governo, porém, exige que o dinheiro que o país deveria dar a outras regiões mais necessitadas lhe seja entregue. Faz sentido?

Assim, concretamente e só desta vez, os políticos corruptos assassinaram 42 pessoas e destruiram propriedade de altíssimo valor ainda não calculado, o tudo em nome da corrupção e da conquista de votos. «Que morram os pacóvios, o que é preciso é não perdermos os tachos.» O futuro próximo nos dirá que os assassinos ficarão impunes, como de costume, ou ainda serão louvados por terem assassinado tão pouca gente. Só em Portugal! Só em Portugal, também, tudo passa e é perfeitamente admitido e aprovado pelos carneiros em que a própria «vontade popular» enunciada no Art° 1º da constituição não é ouvida nem exercida.


Nota: O número de mortos foi modificado porque ainda continua a aumentar. Apenas uma curta notícia foi ouvida sobre a causa desta catástrofe praticamente querida e praticada pelas associações de criminosos que compõem os partidos mafiosos políticos. Bem encobertos pela outra máfia de canalhas: os jornaleiros ignóbeis.

19.2.10

Vamos apoiar o referendo a favor da Monarquia!

Num momento de crise como o que o país atravessa é urgente encontrar alternativas politicas aos badalhos que nos tem desgovernado e saqueado " democraticamente" !

O PPM lançou recentemente uma petição publica no sentido de se fazer um referendo sobre a questão de regime.

Uma monarquia moderna com um rei capaz de planear e definir estratégias de longo prazo, um rei que defenda a restauração dos sectores produtivos e energéticos do país é a unica solução.

Portugal com estes desgovernantes, tornou-se um país incapaz de produzir e condicionado pelas regulamentações de Bruxelas é um poço sem fundo, onde toda a riqueza gerada se escoa para compra de bens que deixaram de ser produzidos, por actos de traição dos governantes contra a nação, qua não souberam proteger a economia nacional!

Destruiram a nossa agricultura, as nossas pescas e agora o nosso tecido empresarial, comprometendo dessa forma a própria existencia de Portugal enquanto estado.

Ao longo dos séculos Portugal e os Portugueses resistiram a todo o tipo de invasores, com a força, coragem e astucia das suas gentes.

Em 36 anos de " democracia" os partidos politicos rotativistas ( Ps e PSD) venderam o país às potencias do centro da Europa que sem dar um tiro conseguem hoje em dia deter poder soberano sobre a nossa secular nação, sem que ao povo tenha sido dado o poder de se expressar, tal como havia sido prometido nas eleições legislativas anteriores.

É pois a hora de restaurar-mos a dignidade e orgulho nacionais apoiando a restauração da monarquia:

Assina a petição http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=PPM e divulga a todos os teus contactos.

Vê também informação sobre a questão e a verdade dinástica: http://www.reifazdeconta.com

e os discursos de SAR. D. Rosário XXII duque de Bragança e pretendente ao trono de Portugal

http://www.monarquicos.com/forum/viewforum.php?f=20

17.2.10

Os Papagaios

Este post tem como base um comentário colocado pelo comentador dito Alfredo no post precedent, da mesma autoria.

De certo que muitos não lêem tudo o que tenho escrito, o que é normal, mas pode levar a conclusões erradas, como por vezes se lêem. (Descartando os comentários sectários, claro.) Porque a opinião certa é essa observação no seu comentário, de que "a generalidade dos políticos não serve[m] e vive[m] de esquemas para sacar do contribuinte. Que se estão nas tintas para o povo e para o país". Com efeito, não se trata de partidos nem de ideias, mas apenas disso.

Nenhum partido, neste momento, terá possibilidade nem capacidade de tirar o país da crise, tal a sua profundidade e raízes. Se o afirmarem, mentem seguindo os tais "esquemas para sacar do contribuinte."

Por isso que a questão de "que há cinco anos estão [o actual governo] a levar o país à ruína" não pode ser imputada senão ao verdadeiro autor que realmente roubou e doutros modos desbaratou os fundos de coesão europeus e não preparou o país para o futuro, aquilo a que esses fundos se destinavam. Foi esse o autêntico Coveiro de Portugal, nome original atribuído desde a sua eleição e que a Manela Leiteira se limitou a copiar, aplicando-a ao Sócrates, por falta de ter uma melhor ideia. São acontecimentos do passado, históricos, e não vamos agora reescrever a história como faz o Fernando Rosas.

Daí, actual governo não levou o país à ruína, não teve os meios e o presente é sempre consequência do passado. Poderá levá-lo se construir as linhas de alta velocidade, mas ainda não aconteceu. Tem cometido outros crimes horrendos e até bem piores (alguns deles nomeados nos links neste artigo), sim, mas desse não se pode gabar. Em que pode basear-se tal idiotice, ninguém o diz, só os papagaios o repetem, palavras no ar. Que avancem factos sólidos. O que tem verdadeiramente interesse sobre as causas da ruína do país são os eventos publicados nos blogs da Mentira e do Leão Pelado e no site da Mentira, este último há já muitos anos na internet. Não, nada mudou entretanto. Esses acontecimentos, sim, que arruinaram o país, como lá entava previsto e de que maneira, como vemos.

Não obstante, o Sócrates é um traidor, não só dos Direitos Humanos como acusado pela Human Rights Watch, mas também um maldito iberista traidor e ignóbil que põe tudo nas mãos da raça amaldiçoada dos castelhanos e a quem deviam enforcar como exemplo. Provavelmente, irá remeter os heróis bascos à sanguinária Espanha – acusada múltiplas vezes por todas as organizações de Direitos Humanos existentes e pela ONU, de torturar os presos do estado praticar políticas e métodos terroristas e de outras barbaridades do género – quando a constituição nacional o proíbe. A verificar-se, será mais uma traição, esta não só aos Direitos Humanos, mas ainda à constituição. Recorde-se a base da decisão judicial de há cerca de dez anos pronunciada sobre um caso semelhante.
[ Clique no link abaixo para continuar a ler ]

12.2.10

Problema
A Privacidade Devassada

João Paulo Guerra é um jornalista que foge à actual regra do bando dos rascas desinformadores que infestam a paisagem desinformadora nacional. Uma das raras excepções.

O seu artigo, transcrito abaixo e publicado no Económico de ontem, é a sua análise às escutas telefónicas que actualmente fazem o furor da jornaleirada e da podridão política, de que todos procuram tirar o máximo de dividendos, tudo atropelando no seu caminho como os selvagens e incivilizados que são. Todavia, é disto que o Zé Povinho gosta e aprecia, o que dá votos e que a canalha política não desperdiça para os sacar aos mentecaptos. Com grande êxito, pelo que se observa.

----------     ----------     ----------

O problema das escutas é que as escutas são várias ordens de problemas.

Um problema de privacidade devassada, a que se recorre por tudo e por nada e fora de controlo judicial razoável, e que raramente se contém nos seus limites judiciais, em particular em casos mediáticos. E também porque o conteúdo das escutas pode gerar situações em que o direito à informação se sobrepõe à privacidade, o que poderá ser motivo de problemas para os escutados.

Em geral os visados pela divulgação de escutas sobrepõem o segredo de justiça à própria justiça. E assim, em vez de se discutir e esclarecer se o Governo teve ou não teve um plano para o controlo dos media, ou se os árbitros de futebol foram ou não presenteados com cabazes de "fruta", por quem e com que fim, passa a discutir-se como é que as escutas aparecem transcritas nos jornais ou em exibição no Youtube. Cada discussão tem a sua razão de ser e o seu lugar. Mas nenhuma pode ou deve anular a outra. E responder sobre o conteúdo de uma questão alegando vício na forma é escamotear os problemas.

E há mais. A divulgação de certas escutas, ou de outros meios, que depois por artifícios legais não servem como elemento de prova, suscitam diversas perplexidades. Se não servem como elemento de prova, quem as fez, com que autorização e com que fim? Porque se é verdade que há escutas a mais e fora de controlo, também é certo que há muita porcaria que vem à superfície nas escutas sobre a qual o quadro legal passa uma esponja.

A tudo isto, o poder prefere discutir de onde e como é que fugiu determinada escuta em concreto, procurando que tudo acabe com a decapitação do mensageiro. Em geral não é possível saber. Mas sempre se deixa de falar na letra para trautear apenas a música do costume.

----------     ----------     ----------

Porém, nada disto é novo e a legislação, parida por incapazes calões parasitas, dos quais uma maioria são advogados falhados, não é estranha a esta situação. Veja-se outro artigo do mesmo autor já antigo, de 31-10-2007, mas que nos revela algo de interessante nesse sentido.

----------     ----------     ----------

Em Portugal, em matéria de escutas telefónicas, as coisas passam-se da seguinte maneira: há sofisticado equipamento destinado a escutas, telefónicas e outras, cuja comercialização está devidamente autorizada mas cuja utilização é considerada ilegal.

Nesta espécie de democracia e de Estado de Direito, tudo se passa como numa rábula do Gato Fedorento. Pode comprar-se equipamento para escutas? Pode. Mas as escutas depois são ilegais? São. Mas com o equipamento que é permitido comprar podem fazer-se? Podem. Mas não são legais? Não. E podendo comprar-se equipamento para escutas há quem o compre? Há. E quem depois o utilize para escutas ilegais? Sim. E depois o que é que acontece? O procurador-geral da República ouve ruídos no telemóvel. E que acontece mais? Mais nada. Mas podia acontecer? Podia. Mas não acontece? Não.

Mas porque não se interdita a venda de equipamento destinado a fazer escutas ilegais? Porque não. E porque se mantém à venda equipamento destinado à prática de uma ilegalidade? Porque sim. E é assim que o negócio e as comissões vão prosperando e as escutas ilegais proliferando. O “Público” de ontem identificava nove instituições, civis e militares, que poderão entregar-se actualmente à prática de escutas telefónicas e outras, desde as polícias ao Fisco, dos serviços secretos às alfândegas, sendo que algumas dessas instituições o fazem abusivamente.

Acresce que o poder em Portugal é uma espécie de pescadinha de rabo na boca. À alternância do “centralão” soma-se o alterne de um elenco que reparte o direito de admissão pelas câmaras e antecâmaras do poder. E é assim que todos praticam os mesmos actos e que todos ficam reféns uns dos outros. Chama-se a isto cumplicidade.

----------     ----------     ----------

Há muitos a que convém que se acredite que isto seja uma democracia, e até há muito carneiro que acredita. É que não é só isto...

Outros artigos também publicados nos blogs do autor (1 e 2).

11.2.10

Pela Liberdade de Expressão, a Blogosfera Futura

Há quase três anos, em pleno conflito entre a máquina do Sr. Sócrates, os instalados do "Sistema", os insultos da rameira Clara Ferreira Alves e as provocações saloias de Paulo Querido, as vozes livres da Blogosfera sentiram a necessidade de tipificar e delimitar a sua ação.
Três anos depois, voltámos a ser atuais, e a luta continua a ser exatamente a mesma, com a agravante de três vezes 365 tristes dias decorridos.
Aproveita-se esta noite, que antecede a contestação de 11 de Fevereiro, que será tão só aquilo que dela conseguirem fazer, para republicar o que então propusémos.
Àparte alguns delírios legalistas, epifenoménicos, o blogue "BLOGOSFERA FUTURA" continua a tocar no essencial do debate, que aqui vos convidamos a reiniciar, num país muito mais triste, mais pobre e mais desiludido.

Força, porque o Futuro será sempre da Luz contra as Trevas :-)




A BLOGOSFERA É UM NOVO MEIO DE PRATICAR A LIBERDADE DE PENSAMENTO E EXPRESSÃO, FRUTO DAS SOCIEDADES AVANÇADAS










1) A Blogosfera é um espaço virtualmente virgem, não-poluente, e imediatamente acessível, no presente, ou futuro próximo, a qualquer habitante da Aldeia Global.


2) As informações veiculadas na Blogosfera devem tender para assegurar o máximo de dados, alertas e felicidade aos seus usuários.

3) Qualquer recurso inserido na Blogosfera faz imediatamente parte do Património Comum do habitante da Aldeia Global, e, como tal, deve ser o mais amplamente difundido, e referenciado.

4) A Blogosfera rege-se pelo aforismo de "Máxima informação = Máxima protecção".

5) A Blogosfera deve formar, informar e divertir.

6) Está a Blogosfera, por princípios genéticos, imunizada contra quaisquer tipos de poluição, que nos tornaram o Mundo insuportável, nomeadamente, filtragem de informações, servilismo a grupos, políticos, económicos, de pressão, ou simplesmente destinados a manipular, ou intoxicar, a opinião própria de qualquer aldeão global.

7) O seu único vector condutor chama-se "Liberdade de Expressão", e está tipificado e exemplificado em todos os mais altos momentos em que ela se exerceu, na História Pública da Humanidade.

8) Em cada Cultura e Regime, reserva-se a Blogosfera o direito de exercer o dever de informar os outros, sempre que se tenham esgotado, ou se suspeite de que se vão esgotar, os meios tradicionais de transmissão da Verdade, e só da Verdade.

9) A propriedade da Blogosfera é das gerações presentes, assim como a responsabilidade de assegurar o seu máximo usufruto por todas as gerações seguintes.

10) Os princípios atrás expostos são propriedade intelectual de todos os seus leitores, que devem ter, em cada instante, o direito de os invocar e o dever de os fazer chegar ao maior número de Concidadãos Globais, podendo, em qualquer instante, ser reescritos, no sentido da economia e da Perfeição, e inseridos, então, na Declaração Global dos Direitos do Universo.


10.2.10

Alguém para derrotar este PS que afunda o país?

Paulo Rangel é Candidato à liderança do PSD.
Acho bem.

Já mostrou ser capaz de derrotar este PS. Acho bem.
Na sua apresentação de Candidatura a palavra mais falada foi ruptura. Ruptura com esta política e com este Ps. Acho bem.
É alguém que nos tem habituado a dizer verdades incómodas para este governo. Acho bem.

Concordo com o título do último post do nosso colaborador "Mentiroso" mas não concordo com todo o conteúdo...
...concordo quando diz que o PSD tem muita culpa na situação em que se encontra o país. Acho que todos os políticos (menos o que caiu no avião) desde o 25 de Abril foram maus. Uns menos maus do que os outros.
Acho que "o pior, mais ordinário, mais rasca, mais sacana e mais antidemocrático político nacional" é o actual "manda chuva" do rectângulo. Mais provas do que as que são reveladas aqui neste blog não há!

Acho que o atraso mental deste povo se vê no facto no masoquismo demonstrado na últimas legislativas. Este PS de novo!!! Este PS!!!

Portanto.............................acho bem.

...

Mais uma Prova Real do Atraso Mental do Povo

A apresentação da candidatura do pior, mais ordinário, mais rasca, mais sacana e mais antidemocrático político nacional mostra o estado da mentalidade do povo. De outro modo, um animal que berra, gesticula e esperneia como um capado na Lavandaria Nacional, que mais mente e é impostor nas suas alocuções, que vomita as maiores irracionalidades, jamais ousaria avançar com tais pretensões. Aliás, foi o mesmo atraso mental, anteriormente citado, que o elegeu ao PE.

No enaltecimento ao seu partido ao anunciar a sua candidatura, obliterou completamente o que originou a miséria, a pobreza e a desgraça actuais. Como se destruíram as indústrias, a agricultura e as pescas. Como os seus pares enriqueceram roubando descaradamente os fundos europeus e extraviando o restante, provocando uma inflação de mais de 5%. Foi obra!

Tudo isto se passou enquanto os outros países aproveitaram os mesmos fundos para se prepararem para o futuro. A falha de Portugal neste ponto produziu a miséria que se conhece. Os paspalhos que viveram esse tempo já se esqueceram de tudo! Deixaram que lhes lavassem a memória e emprenham agora pelos ouvidos em lugar de usar a sua própria mioleira.

Acreditando na passividade dum povo embrutecido por uma jornaleirada desinformadora, tem razão em pretender poder ganhar a simpatia dos tolos.

Um facto é certo e a pouco e pouco os políticos o reconhecerão, pois que as circunstâncias o transformarão no seu interesse. Afinal, só os interesses deles para eles contam. A miséria que levou tantos anos a implantar-se não vai desaparecer por toque de varinha mágica. A miséria implantou-se para durar décadas, mais tempo quanto aquele que demorou a implantar-se.

Todos estes factos eram bem previsíveis na altura. Outras consequências seriam impossíveis dado o sistema que os governos do Cavaco seguiam. Não era preciso ter qualquer dote especial para o compreender, mas apenas não emprenhar pelos ouvidos, observar e comparar o que se passava em Portugal com os outros países. Parece que ninguém viu, mas isto foi escrito logo depois de ter acontecido e encontra-se há anos publicado na internet.

Portanto, o que diz o título do presente não pode ser considerado como uma novidade, mas apenas uma continuidade lógica e normal, tal como aquando da preparação da nossa miséria. Porque será que o povo tão atrasado prefere ser dominado pelas corjas de ladrões corruptos e desinformadores reles? Será por masoquismo?

Este e outros artigos também publicados nos blogs do autor (1 e 2).


9.2.10

Liberdade de Expressão




Isto é uma vergonha, e mete cada vez mais nojo.
São anos e anos de cansaço, a repetir as mesmas coisas, e um poderoso abafador, cada vez mais impertinente, a tentar que a Verdade vá ao fundo.
Tenho, na minha vida, uma coisa, que é simultaneamente a minha maior sorte e o meu pior azar, e que é a de me cruzar, quando não devo, com quem menos deveria.
Para que não fique pela charada, já muitas vezes me sentei em frente de gente que conhece alguns meandros desta porcaria que se instalou me Portugal. Toda a gente sabe que não é nova: novo é o despudor com que se exibe, desmente, e candidamente rebate agora o que se tornou evidente.

Venho de uma família, que, no tempo dos afonsinos, andou de armas na mão, para que se separassem os Três Poderes, e isso parece agora Bolor da História, não se tivesse voltado a tornar... impertinente, e isnsolente.
Na minha passagem pela Democracia Portuguesa, houve dois momentos que considero os mais deploráveis de sempre: 10 anos de Cavaco Silva, acrescidos agora destes cinco -- já são cinco, não é?... -- do Sr. Sócrates, Agente Técnico de Engenharia, à pressão, e conotado com tudo o que é Corrupção, em Portugal.
Aníbal vinha de um tempo da província e da chico-espertice, que nos custou que os fundos que a então CEE enviava, para que acertássemos o passo com ela, acabassem nos bolsos dos amigos de Mira Amaral, de Ferreira e Costa, de Torres Couto, de Oliveira e Costa, de Cardoso e Cunha e de Dias Loureiro, entre outros nomes terríveis, que tanto envergonham a nossa História recente.
Com Sócrates, passámos para o provincianismo expandido aos meios da Net.
Sou do tempo do arranque da Rede, em que o Sr. José Magalhães, renegado do PCP, se pavoneava como alta autoridade para o novo meio de lavagem dos cérebros. Não por acaso, deram-lhe o nome àquela sucata informática, em que as crianças vêem pornografia, e que vende bem por cá, e na terra do Ditador Chávez, mas isso era só a aparência, porque esse cavalheiro foi posto num alto posto da Administração Interna, de maneira a pôr-nos o Big Brother dentro de cada ligação, email, e depois "post", que fazíamos.
Não me apetece voltar a essa contabilidade, mas ela fica, outra vez, feita: foderam-me o computador quando me atirei, com unhas e garras contra o maçónico Carrilho, quando ataquei, com tudo o que tinha à mão, a recandidatura do Saloio de Boliqueime, e, mais recentemente, quando contribuí, com o que podia, para que Sócrates perdesse a Maioria Absoluta. Pelo meio, vários ensaios, inclusivé uma tentativa de liquidação física, que não vou rememorar aqui, mas que deixou rastos, e anos e anos de telefones em escuta.

Nada do que vem a público é, para mim, novidade. Novidade talvez seja a amplitude que a coisa está agora a ganhar, e essa onda devemos nós, independentes, aproveitar, para a cavalgar e marcar posição, e dizer, decididamente "NÃO".

Portugal não é, nem pode continuar a ser, esta farsa de medíocres que diariamente ocupa o tempo inteiro dos Órgãos de Comunicação Social, este lixo cultural, político e social com que somos bombardeados, estes gajos, que não têm onde cair mortos, e passam, horas e horas, a tentar contornar o problema, e a evitar que se obtenham respostas para as perguntas que cada vez mais se nos avolumam.

Quem é esse Procurador-Geral da República que se preocupa com terem posto no "Youtube" as Escutas do Pinto da Costa, mas não com se terem arquivado processos com provas daquele teor de escândalo?...

Que Justiça e que País são aqueles que permitem que se feche apressadamente uma Universidade, só porque se tornou evidente que o Primeiro-Ministro tinha "contornado" o percurso académico que o conduziu a um... "diploma"?

Quem são essa Cândida Almeida que mandou arquivar um escândalo evidente, e essa Sónia Sanfona, que disse que o BPN não tinha relevância?... Quem são e a quem servem?...

Onde anda o "Casa Pia", depois DISTO continuar a receber centenas de milhar de visitas?... Quantos ficaram de fora, enquanto nós éramos assustados, e nos desviavam a atenção para o "parasistismo" da Saúde, da Função Pública, dos Professores, entre tantos enxovalhos sociais que sofremos?...

Mário Crespo começou a avisar que "devíamos, a partir de hoje, começar a trazer o guarda-chuva".
Nós sabemos, vários guarda-chuvas, aliás, porque aquilo que vem à superfície não é mais do que uma neblina de uma máquina infernal, que nos rege na sombra, e que não hesitará em nos liquidar, quando se sentir ameaçada, como agora se sente, porque esta gente MATA e mata mesmo.

São tantas coisas, e tão más, que me reservo o direito de que outros as desvelem, e pararei por aqui, porque sei que as notas e o clima já são formidavelmente negros, e que as pessoas, pobres pessoas, incultas, desinformadas, e manipuladas, intoxicadas pela permanente fachada cor de rosa das aparências, dificilmente engoliria, por exemplo, viver numa sociedade onde é a rede da Coca que manda, e que o sigilo da Pedofilia, esse pavor de Estado, que fazia o Miguel Sousa Tavares, esse traste, encolher-se todo, sempre que o tema era tocado, ter uma explicação simples.
Em que estado ficaria a Opinião Pública, se soubesse, por exemplo, que lhe pesava o que sabia da mãe -- coitada, já lá está... -- Sophia de Mello Breyner, que também tinha vivido, no corpo, esse sinistro fio negativo que ligou os "Ballet-Rose" ao "Casa Pia"?...
É mau, não é? eu sei, mas não é mais do que uma ponta, das muitas pontas enevoadas deste icebergue em cima do qual hoje somos obrigados a viver.

Compete-nos a nós, que não somos pagos para escrever, que somos livres de pensar e que adoramos saber a Verdade, por mais que isso nos doa, alinhar nesta corrente profunda, que agora despertou, para que a Liberdade de Expressão tenha sentido em Portugal, e não nos transforme, inevitavelmente, numa Venezuela europeia, gerida por um pederasta, sem qualquer pudor, nascido, ou registado, ou lá o que foi, em Vilar de Maçada, e a quem convenceram de que podia calar  e enganar 10 000 000 de bocas.


(Profundamente indignado, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino", e em "The Braganza Mothers")

8.2.10

As escutas Face Oculta "Operação TVI"


O Sol revela algumas escutas sobre o plano de controlo da Comunicação Social.
Afinal o Cavaco tem o rabo preso por causa do genro? Percebi bem? Será por isso que não fez/faz/fará nada?

6.2.10

O Segredo de Justiça É Querido para Encobrir a Corrupção Política e a Incompetência Arrogante dos que Administram uma Justiça Podre

Democracias não podem tê-lo. Não, não é preciso mais texto a explicar ou justificar. Todos sabem como é. Só que ninguém reage, tudo aceitando.

Nem tudo é mau nas politicas tugas

  • Ainda há quem pareça estar com vontade de mudar as vidas dos cidadãos para melhor...
  • Ainda há quem retire aos ricos para dar aos pobres...
  • Ainda há quem combata a crise com medidas acertadas...
Parabéns Vidigueira.
Bom exemplo a seguir pelos restantes governantes...
...DUVIDO!!!

NÃO ACREDITO. OS POLÍTICOS SÃO HONESTOS.

Corrupção
Cravinho diz que políticos estão no centro da corrupção grave
O ex-ministro socialista João Cravinho afirma que «o centro da corrupção grave em Portugal» está «no sector político». «Isso é o grande problema que nós temos pela frente», declarou o autor de um pacote anti-corrupção recusado pelo Governo

Em entrevista à Rádio Renascença, Cravinho considera que «as redes de tráfico de influências são o principal problema do país» e acusa a classe política de não enfrentar o desafio.
«Isso hoje é o grande problema que nós temos pela frente, que é essencialmente um problema político, da classe política, e a classe política em Portugal, hoje, afasta toda e qualquer possibilidade de se considerar sequer o problema», diz.
«Podemos fazer uma experiência, vão agora à Assembleia e ponham as coisas preto no branco, numa linguagem muito simples. Onde está o centro da corrupção grave em Portugal? Eu digo, está no sector político. Perguntem aos líderes políticos e vão ver se eles não assobiam para o ar», afirmou o ex-ministro, numa entrevista que será transmitida este sábado no programa Res Publica.
SOL

COMENTÁRIO: Este não foi aquele que incomodou com uma dita proposta de combate à corrupção e foi "exilado" num tacho dourado? 
Concordo com o que ele vem dizer. Acho que é de louvar. Mas...
...por que aceitou ser posto de parte e se calou na altura? Solidariedade partidária? Bolsos cheios?



Déficit afinal será 8,7%.................para já............até aos 10% é um tirinho...

Submarinos
Alemães entregam primeiro submarino mas não há verba para o pagar
O construtor alemão confirmou ao SOL que o primeiro dos dois submarinos será entregue ao Estado português na Primavera – a 10 de Maio entrará na barra do Tejo. E uma das novas fragatas adquiridas à Holanda deverá chegar também a Portugal no final do primeiro trimestre do ano, avança a ediçaõ do SOL desta sexta-feira.
Isto apesar de nem  o novo submarino Tridente nem a  fragata terem verbas previstas no Orçamento do Estado. O registo na contabilidade pública deste novo equipamento militar, no total de 620 milhões de euros, implica que, em vez de uma previsão de défice para 2010 de 8,3%, o Governo deveria ter inscrito no OE um défice de 8,7%.

COMENTÁRIO: Apenas mais uma MENTIRA do Governo Sócrates.

VERGONHA (apenas mais uma)

O ‘plano’ de Sócrates à beira das eleições
O SOL revela os despachos dos investigadores do ‘Face Oculta’, em que estes defenderam um inquérito ao mais alto nível: estava em curso um ‘plano’, com o primeiro-ministro à cabeça, para controlar a TVI e outros media

A explicação surge de forma simples e sem margem para dúvidas: surgiram «indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o senhor primeiro-ministro» , visando «a interferência no sector da comunicação social e afastamento de jornalistas incómodos». Isto a três meses das eleições legislativas e com «prejuízo» para a PT.
Os órgãos e as pessoas visadas nesse «plano» eram, em primeiro lugar, a TVI, José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes. Mas mais: «resultam ainda fortes indícios de que as pessoas envolvidas no plano tentaram condicionar a actuação do senhor Presidente da República».
Estas são as palavras usadas pelo procurador da República e pelo juiz de instrução do processo ‘Face Oculta’ para fundamentar os despachos que deram, em final de Junho do ano passado, mandando extrair certidões para que fosse instaurado um inquérito autónomo ao referido «plano», que consideravam consubstanciar um crime de «atentado contra o Estado de Direito».
São estes despachos – até agora desconhecidos, do procurador João Marques Vidal e do juiz de instrução António Gomes – que o SOL revela e publica nesta edição. A sua leitura integral, bem como das principais escutas telefónicas que os suportam, permite perceber as razões por que dois magistrados consideraram que devia ser instaurado um inquérito que visaria directamente o primeiro-ministro e vários gestores da área do PS, alguns já arguidos no ‘Face Oculta’.
O aviso da PJ
O primeiro alerta foi dado no dia 12 de Junho por Teófilo Santiago, director da Polícia Judiciária de Aveiro e coordenador no terreno das investigações do ‘Face Oculta’. Entre as vigilâncias e escutas telefónicas montadas aos arguidos Armando Vara e Paulo Penedos – suspeitos, juntamente com altos quadros de grandes empresas públicas, de colaborar nos crimes de corrupção e tráfico de influências que permitiram ao empresário de Ovar, Manuel Godinho, ganhar uma série de concursos na área dos resíduos industriais – tinham surgido «situações» que lhe suscitavam «sérias dúvidas quanto à sua legalidade».
Em causa estavam as conversas de Paulo Penedos, dirigente do PS e assessor da PT, e de Armando Vara, antigo dirigente socialista e então vice-presidente do BCP. O primeiro falava com o administrador executivo Rui Pedro Soares – seu superior hierárquico e que no dia 3 de Junho fora a Madrid num avião a jacto, falar com a Prisa, proprietária da TVI – e outros altos quadros da empresa. Vara falava com empresários e com o primeiro-ministro, José Sócrates. Percebia-se que havia já um «negócio» com contornos definidos, de aquisição de parte da TVI pela PT, de uma forma encapotada.
No dia 23 de Junho, o procurador Marques Vidal mandou extrair certidão para se abrir um inquérito a estes factos. E justificou: há «fortes indícios da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo para interferência no sector da comunicação social visando o afastamento de jornalistas incómodos e o controlo dos meios de comunicação social». Um plano que se «concretizaria através de uma rede instalada nas grandes empresas e no sistema bancário» e que recorria até «a prestação de informações falsas às autoridades de supervisão».
O magistrado explicava ainda que a precipitação dos acontecimentos (o negócio iria ser assinado daí a dois dias) obrigava a avançar com urgência para a investigação. Para isso, pedia ao juiz de instrução que autorizasse a extracção de cópias das escutas, bem como dos relatórios policiais com os respectivos resumos. Nestas estavam incluídas as conversas de Vara com Sócrates.
O juiz, António Gomes, aceitou esta valoração das provas e disse mesmo que existiam «indícios muito fortes» – autorizando as cópias dos documentos e das escutas.
Estas duas certidões foram de imediato remetidas «em mão para superior apresentação», uma vez que o Ministério Público (MP) de Aveiro não tinha competência territorial para tal, além de estar em causa o primeiro-ministro. Seguiram-se, nos meses seguintes, mais seis certidões, que incluíam outras escutas telefónicas entretanto surgidas sobre o assunto e também documentos pedidos pelo procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro. Daí se ter assistido ao que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Noronha Nascimento, qualificou a certa altura como «certidões aos bochechos».
Contraste e mistério
Como se sabe, estas certidões foram apreciadas pelo PGR e por Noronha Nascimento, por estar em causa José Sócrates. Em Setembro e em Novembro, ambos consideraram não haver razão para instaurar um inquérito – um contraste muito grande com as argumentações do procurador e do juiz de Aveiro.
Pinto Monteiro, que nunca divulgou os seus despachos e respectiva fundamentação, anunciou em dois comunicados sucessivos (14 e 21 de Novembro passado) que «não existiam indícios probatórios» e que as matérias oriundas de Aveiro padeciam de «irrelevância criminal». Isto além de não poderem ser usadas como prova, pois só o presidente do STJ pode autorizar escutas que envolvam o primeiro-ministro. Noronha mandou destruir essas escutas e foi mais longe, num despacho divulgado em Dezembro: «O conteúdo [das escutas] em que interveio o primeiro-ministro, não revela qualquer facto, circunstância, conhecimento ou referência, susceptíveis de ser entendidos ou interceptados como indício ou sequer como sugestão de algum comportamento com valor para ser ponderado em dimensão de ilícito penal».
Além do contraste, existe um mistério sobre o que se terá passado ao nível do MP, que resultou na existência de decisões díspares. Como o PGR já revelou, houve reuniões «entre Maio e Junho», ao mais alto nível (Pinto Monteiro, João Marques Vidal e Braga Themido, procurador-distrital de Coimbra) só para discutir o ‘Face Oculta’.

COMENTÁRIO: Sempre o disse: este 1º Ministro deveria ter sido afastado/demitido/... logo quando foi o caso do seu famoso curso de Engenharia. É vergonhoso ver que se passa uma esponja em tudo o que este homem faz:
  • Curso da Independente
  • Fecho da Faculdade Independente e destruição de possíveis provas...
  • Cova da Beira
  • Pensão vitalícia da Mãe que não se sabe de onde veio pois era doméstica
  • Freeport
  • Face Oculta
  • Processos a jornalistas e bloggers (todos perdidos)
  • TVI
  • Mário Crespo
Já para não falar no que tem sido a sua governação:
  • Caso OTA e o deserto
  • Caos na Saúde e despesa com a mesma
  • Novas leis penais que soltam criminosos a torto e a direito
  • Caos na Educação e insulto/descrédito/desrespeito aos Professores
  • Déficit público controlado com o peso de impostos GIGANTES
  • Caos nas finanças públicas
  • Nova leis de ajustes directos (sem concurso) para obras públicas
SE O BENFICA NÃO É CAMPEÃO ESTE ANO.................É O CAOS NO PAÍS!!!

Como continua a ser possível não have uma revolução já???

Que país de cobardes é este???

Que pais somos nós que não cuidamos do futuro dos nossos filhos???

ACABEM-SE COM TODAS AS MORDOMIAS DOS POLÍTICOS E ADMINISTRADORES PÚBLICOS:
  • Carros
  • Motoristas
  • Cartões de crédito
  • Subsídios de residência
Não chegam os ordenados???

Para quando gente competente a gerir este país???
Os melhores Licenciados (verdadeiros) das faculdades!!! Aqueles que são acima da média!!! Quantos destes há na política??? ZERO???

Sr. Presidente da República, acabe com este sofrimento JÁ.
Related Posts with Thumbnails