29.2.08

Dicotomia entre privilegiados e segregados

Vivemos num dilema desestabilizador entre a realidade quotidiana e a fantasia dos governantes, puramente virtual. Se fecharmos os olhos e ouvidos, ficaremos apatetados e deixamos de estar preparados para o nosso dever cívico de democraticamente participarmos na vida do País, mas se os abrimos, ficamos num estado próximo da loucura, pois deparamos com uma vala, um fosso medieval, entre a vida real e aquilo que se ouve dos governantes.

Por um lado, onde quer que se juntem duas ou mais pessoas, vem o choradinho das dificuldades da vida, nomeadamente do aumento do preço do pão, que é mais do que a base da alimentação de muita gente.

Por outro lado, tanto o primeiro-ministro como, por exemplo, o ministro do trabalho e segurança social falam do sucesso das medidas levadas a cabo, das promessas cumpridas, ao arrepio das sensações generalizadas dos portugueses não amarrados às benesses do PS, e dos relatórios de organizações internacionais a quem se atribuem dotes de seriedade e isenção.

Quando eles falam, parece que estamos a ouvir seres alienígenas alheios às realidades deste rectângulo, onde as pessoas quase já não têm cintura após três anos de aperto do cinto sem verem para quê a não ser que disso têm beneficiado os governantes e os que os cercam – aumento do número de assessores, dos conselheiros dos deputados, dos carros novos comprados para vários ministérios, da continuação da acumulação de reformas milionárias ganhas com poucos anos de serviço, de viagens de ostentação turística e pouco mais, etc, etc.

A barreira que separa os bafejados pela política e pelos negócios mal esclarecidos, dos pobres, principalmente idosos e pensionistas, mulheres e crianças, é de tal dimensão que a própria Comissão Europeia exorta Portugal a implementar medidas intensivas de apoio financeiro às famílias em risco de empobrecimento. Estamos perante a dicotomia que já não é apenas entre o interior e o litoral mas, de forma mais gritante, entre ricos e pobres, entre os que brincam com milhões e os que mendigam uns míseros cêntimos para enganar o estômago.

No campo oposto a esta miséria demasiado espalhada pela população, a CGD, banco do Estado e abrigo luxuoso de amigos do Poder, anuncia os maiores lucros da sua história, e faz saber que, para fazer face à crise internacional e para obter resultados semelhantes no próximo exercício, será forçada a extorquir mais àqueles que a ela recorrerem, aumentando o preço do dinheiro. Até já se fala de taxas sobre a utilização do cartão Multibanco o tal que foi criado para benefício dos bancos, que dessa forma puderam reduzir pessoal das agências, que foi impingido gratuitamente a todos os clientes, e que, depois de as pessoas se habituarem, passou a ter uma taxa anual e que agora parece ver também taxados os levantamentos de dinheiro nas caixas automáticas.

Mas, além da escandalosa distribuição da riqueza, em que na Europa só temos atrás a Letónia, há os maus resultados do sistema de ensino, em que o diploma não representa saber, a justiça demorada e com prescrições e arquivamentos de processos de gente de colarinho branco, a insegurança nas ruas e já nas casas, os deficientes cuidados de saúde para os mais necessitados e desprovidos de rendimentos, as carências na protecção social, etc.

Algo há a fazer para tornar a população mais confiante no Poder, para criar mais justiça social , mais moralidade nas fracturas sociais.

Novo Partido

Declaração: eu, Tiago Carneiro, não sou filiado em nenhum partido político.

Um Professor Universitário (descontente) está a criar um novo partido político.

Algumas das suas ideias:

SISTEMA POLÍTICO
-Redução do número de deputados para 150;
-Reduzir o número de Câmaras Municipais das actuais 307 para 100 - Uma Câmara por aprox. 100.000 habitantes;
-Alteração das regras de governação autárquica: quem ganha governa;
-Limitação do número de nomeações para cargos na administração pública que cada eleito pode realizar;
-Eliminação da possibilidade de um eleito se candidatar a outra eleição antes do final do mandato;
-Alteração do sistema de remuneração e de imunidades dos eleitos;
-Proposta de composição de governo é apresentada antes das eleições e como tal vai a votos;
-Maior profissionalização da administração pública;
-Introduzir a prática da avaliação, dentro das “Medidas” adiante indicadas, de desempenho das instituições – Comparar entre si câmaras municipais; tribunais; hospitais etc, criando desta forma centros de observação das melhores práticas;

EDUCAÇÃO
-Escolaridade mínima obrigatória até ao 12º ano;
-Escolaridade especial para os menos dotados;
-Aprovação a Matemática, Língua Estrangeira, Informática, Português, Comportamento e Cidadania – incutir nos estudantes uma mentalidade de responsabilidade e comportamento social;
-Criação de escolas de talentos;
-Criar uma via profissionalizante a partir do 10º ano;
-Bolsas de Estudo especiais para os alunos aplicados, de fracos recursos económicos, e para os super dotados. A partir dos 15 anos, e até ao ano de finalização do 12º ano, introdução no plano curricular de1 mês de trabalho comunitário remunerado.

JUSTIÇA e segurança
-A rapidez na resolução dos processos passa essencialmente pela simplificação das práticas, pela especialização das estruturas e intensificação de rotinas de jurisprudência, pela limitação dos recursos e pela disciplina na procura.

-É desejável diminuir a estrutura humana e focar na simplificação de processos nos tribunais, introduzindo métricas na avaliação de eficácia. Para uma maior rapidez, agilidade e garantia de resultados justos, é também adequado aproximar as estruturas de segurança das de justiça.

-Para que se aumente o nível de segurança e civismo é necessário reforçar o conceito de segurança de pessoas, bens e meio ambiente na sociedade portuguesa. Nesta área é imprescindível o aumento dos recursos técnicos e humanos, bem como dos instrumentos legais.

SAÚDE

-Assegurar investimento para qualidade e quantidade nas unidades de saúde;

-Aumentar o número de escolas médicas e paramédicas;

-Fomentar e controlar o rigor na gestão das unidades de saúde;

-Avaliar e auditar com regularidade as unidades de saúde

-Introduzir o conceito de factura indicativa no SNS (para médicos e utentes);

-Desmedicalizar obrigações burocráticas dos cidadãos;

-Reforçar a tendência para as unidades de cuidados de saúde primários;

-Estabelecer métricas de avaliação e comparação.
video

Chapada de luva branca no Pinóquio

Que grande chapada de luva branca que o Pinóquio acaba de levar!!!
É espectacular o resultado do processo que o PM moveu contra o Dr. Balbino Caldeira.
Resultado - arquivada a queixa por falta de fundamento.
O que significa que...??? É TUDO VERDADE!!!

MBA - não tem!!!

"Centro Governamental de Comando e Controlo dos Média" - realmente é um facto.

E a Licenciatura? Aí o Pinóquio não se meteu a processar pois deve ser muito fácil de provar e era chacota a mais.
Ver mais AQUI

Jumbo vai abrir rede de creches

O grupo Auchan, que detém os hipermercados Jumbo, está a preparar a abertura de uma rede de creches junto a estas grandes superfícies.
Mais AQUI
É assim que pensam as grandes empresas. "Trabalhador feliz, é trabalhador mais produtor."

28.2.08

Inscrições Transportes 8 de Março - "Mega de Lisboa"

Marca até 5 de Março em:

http://www.spn.pt/?aba=1

Cumprimentos,

JE

Manif de Viana - pela Educação

Recebido por SMS

"Professores em luta pela dignidade e respeito a que temos direito. Todos à Praça da República - VIANA DO CASTELO, próximo sábado, dia 1 de Março, às 16h. Reencaminha"

Isto está a aquecer. Agora já não há desculpas para dizer que as manifestações são todas em Lisboa. Temos agora a oportunidade de mostrar quantos somos e o que valemos.

27.2.08

Pela Educação dos seus filhos

Eu vou.
Eu não sou sindicalizado.
Eu detesto TODOS os partidos políticos.
Eu pago impostos.
Eu tenho filhos.
Eu quero um Portugal que tenha futuro.
Eu quero um povo que sirva para mais do que apoiar a selecção da bola.
Eu vou a Lisboa num SÁBADO!!!
Vou do Porto!!!
Vou gastar o MEU dinheiro e o MEU tempo.

P.S. - todos os que não são professores DEVEM ir tb. Só quem se importa com a Educação...

PORQUE NÃO...

Porque não, sermos integrados na Espanha? Porque não, termos o mesmo crescimento económico? Porque não, a mesma saúde, Justiça e Educação? Porque não o mesmo nível de vida?

São quatro questões, que todos os dias me coloco. Sim, quando o poder capital, nomeadamente na maioria dos sectores da nossa economia, os "Nuestros Hermanos", são os grandes impulsionadores, na Banca, 40% desta, já tem capitais Espanhóis, a empresas de grande porte nacional, já são controladas a nível ibérico. Então, não fará sentido, nós também o sermos, adjudicando daí os benefícios para a população em geral. Sim porque com esta política de treta, onde os nossos governantes caíram no descrédito total, onde a nossa justiça desacredita qualquer cidadão de recorrer a esta, a Educação está pela hora da morte, e a Saúde, meus amigos, esta se não morreu já, estará com os dias contados.

Ter políticos de algibeira, que erram em prol dos mesmos, saqueiam os cofres do estado em proveito próprio, serve a quem? Aos Patriotas? Mas os Patriotas são quem afinal? Eu não vejo assim tantos pobres na miséria a serem patriotas, não vejo os trabalhadores com ataques à sua sobrevivência a serem tão patriotas, vejo sim os bem de vida, aqueles que lucram milhões de contos ao ano (como a banca), para esses que tudo está bem, embora a desgraça alheia prolifere, esses são os patriotas. Eu também defendo que Portugal, deve ser sempre Portugal, e com Gestão Ibérica, onde é que o deixaria de ser? Não se apagava a história com um simples clic. Mas tudo isto não passa de uma mera opinião, opinião essa crescente a nível nacional, que um dia, se calhar, se tornará realidade. Não podemos viver sempre nesta aflição, neste indeterminação, neste gamanço contínuo, sempre aos mesmos, já basta.

Eu gosto muito do meu país, mas esta "Maçonaria", este "Opus Dei", esta a dar cabo dele, disso não tenho dúvidas. Os Portugueses, tem de abrir os olhos rapidamente, ou se calhar já vão tarde, mas como diz o ditado, "Mais vale tarde, que nunca."

Agora, aqueles que manipulam os números do desemprego, sabem que se está a esgotar a manipulação, pois grande parte dos desempregados de Portugal, rumou à GALIZA, de onde estão a regressar em massa, segundo o sindicato dos trabalhadores da construção. E Agora? Como vai ser Sr. Sócrates? Como vai desmentir com números falsos como o tem feito até agora, este crescimento do desemprego? Com esta já você contava, ora diga lá? Por isso, anda a inventar novas Oportunidades.

Quero ser Português, mas quero ter e exijo um Governo capaz, nem que para isso tenha de ser Governado por outro qualquer estado da UE, incluindo a Espanha. Sim Porque qualquer dia os Srs. de BRUXELAS, fecham a torneira, e terão eles de arranjar um governo de gestão.

Carlos Rocha


Powered by ScribeFire.

26.2.08

De luto pela Educação

Passa já a palavra!!! Estamos de Luto pela Educação

Se és professor, educador ou te identificas com a causa defendida por esta classe de trabalhadores:
Coloca uma bandeira preta na janela da tua casa (pode ser pano de forro preto, leve para voar e sinalizar), como sinal de solidariedade e de união.
Passa a palavra por msg, sms, jornais locais ou até nacionais e também na blogosfera.

Não te esqueças…
Passa a palavra

25.2.08

A SAÚDE VISTA POR FORA...

Portugal tem falta de médicos generalistas e concentra demasiados recursos nos hospitais mas, o Estado garante normas de qualidade na prestação de cuidados, conclui o Relatório Conjunto de 2008 sobre Protecção e Inclusão Social, divulgado em Bruxelas.

No documento são identificados como obstáculos ao acesso da população aos cuidados de saúde "a falta de médicos generalistas e de certos especialistas nas zonas rurais e em determinadas regiões, a concentração de recursos nos hospitais, nas grandes cidades e na faixa costeira e a falta de cobertura de certos serviços por parte do Serviço Nacional de Saúde (designadamente os cuidados dentários)".

Bruxelas considera ainda que esta situação "interfere com o funcionamento de um sistema nacional de saúde assente nos cuidados de saúde primários e gera uma utilização desnecessária de cuidados hospitalares e de emergência dispendiosos".

O relatório destaca ainda que, em Portugal, "as crescentes assimetrias sociais e as desigualdades no acesso geraram uma maior prevalência de estilos de vida menos saudáveis, condições de saúde precárias (tuberculose) e desigualdades ligadas à saúde".

Por outro lado, é positiva a reestruturação dos centros de saúde para criar "pequenas unidades de saúde familiares mais próximas do domicílio ou do local de trabalho dos utentes e mais correctamente sincronizados com os hospitais e as unidades que prestam cuidados prolongados".

A Comissão Europeia sublinha ainda que "o Estado [português] garante normas de qualidade nas instituições públicas e privadas", tendo criado uma autoridade independente para questões de qualidade.

O relatório destaca entre os desafios a que Portugal terá que dar resposta a melhoria da provisão de cuidados de longa duração e a redução das disparidades geográficas da oferta.

in Jornal de Notícias

Ver aqui o Relatório: "Relatório Conjunto sobre Protecção Social e Inclusão Social 2008"

Afinal, parece que Bruxelas discorda da política de saúde deste governo. O fecho de Maternidades, Sap's e outros centros de saúde, pelo interior veio acentuar a já má qualidade dos serviços de saúde, ao contrário do que afirmava o Ministro "coveiro" Correia de Campos. Neste relatório pode-se ler que o Estado se preocupou em políticas meramente economicistas, em detrimento das necessidades reais da população. Mas os nossos governantes pouco se importam, também será difícil importarem-se, se por um lado temos BRUXELAS a exigir o cumprimento do déficit, e por outro a dizer que o estado está com políticas meramente economicistas. O mal, é que BRUXELAS, não diz, e isso é que devia ser dito, que este pacto de estabilidade e crescimento (PEC) deve ser tomado nas áreas onde afectem menos as populações, que é para os governos não se agarrarem a isso e depois pratiquem estas políticas, que interessam a todos menos aos cidadãos. "Depois da casa roubada, trancas à porta." E oxalá, não venham os nossos Governantes, futuros, fazer demagogia com este relatório como o já fizeram com tantos ouros, tirando proveito político dos mais incautos.

O Mesmo relatório, agora segundo a notícia do Correio da Manhã, aponta para “Portugal tem mais desigualdades” onde consta, e passo a citar:

«Portugal é um dos Estados-membros da União Europeia (UE) que apresenta maior risco de pobreza e mais desigualdades na distribuição dos rendimentos, revela esta segunda-feira o Relatório Conjunto de 2008 Protecção e Inclusão Social.»

Poderá ler também este artigo em : ...beezzblog...

Powered by ScribeFire.

24.2.08

Clube de vídeo da Amazon

Quem não tem tempo para ir ao cinema já pode ver os filmes no sofá (legalmente). A Amazon acaba de criar um clube de vídeo online onde tb estão as últimas estreias. Lá pode-se comprar ou alugar quase todos os filme imagináveis. Vale a pena.

PARA MEDITAR...

Um texto muito oportuno, de Eduardo Prado Coelho, publicado no Público, que todos devemos meditar sobre o mesmo, deixo-vos então com o dito:

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que Foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais Apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros. Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é 'muito chato ter que ler') e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações Médicas podem ser 'compradas', sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma Criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a Pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes. Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como 'matéria-prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa. Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte...

Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados... igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa Portugalidade autóctone Começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos Mandam um Messias. Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses Nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!

EDUARDO PRADO COELHO

Manif de ontem no Porto (Jornal Público 24-02-2008)

Manifestação de Professores na Avenida dos Aliados - Porto no dia 23 de Fevereiro de 2008:
Sem comentários... não vá pedirem-me a identificação...

Os políticos conhecem-se muito bem!!!

José Sócrates aproveitou o Fórum Novas Fronteiras para listar os ‘grandes êxitos’ do seu governo e atirar setas a comentadores e ao líder do PSD referindo-se à quebra de acordos parlamentares por parte deste. Disse que essa quebra revela o "descrédito" de Luís Filipe Menezes e que a sua atitude "se distingue pelo tremendismo, pela desorientação, pelo ziguezague e pelo descrédito". E foi mais longe, afirmando "quem não sabe honrar os compromissos que livremente assumiu, os acordos que livremente celebrou e que demonstra uma tal falta de sentido das responsabilidades que não hesita em faltar à palavra dada".

Mas eles conhecem-se e, pelos vistos, nenhum deixa de merecer estes mimos, pois Menezes não demorou a dizer os numerosos casos em que Sócrates, primeiro-ministro, faltou à palavra dada, aos compromissos livremente assumidos perante o povo português. Deve ter enumerado mais de uma dezena de casos.

Eles são todos uns bons malandros, mas são sabedores dos podres dos outros e não os ocultam do povo, quer durante os debates na AR, quer durante as campanhas eleitorais, quer nos comícios ou em outros locais em que tenham gente a ouvir. Não podem, por isso, espantar-se que os populares os apupem e lhes chamem os nomes que eles toleraram aos seus pares!

Porém, nos mimos de ontem, há uma diferença muito importante: Menezes não está sujeito a juramento de lealdade no cumprimento das funções que lhe foram confiadas, mas Sócrates está comprometido a um desempenho leal, assim o jurou e devia e deve cumprir a palavra dada, o que não tem acontecido, conforme foi dito publicamente pelo seu oposicionista, e como tem sido do conhecimento dos portugueses.

Isto é muito grave Sr. Primeiro-ministro. Quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras aos telhados dos outros.

23.2.08

...Porque eles também votam....

Um amigo meu comprou um frigorífico novo e para se livrar do velho, colocou-o em frente do prédio, no passeio, com o aviso: "Grátis e a funcionar. Se quiser, pode levar".
O frigorífico ficou três dias no passeio sem receber um olhar dos passantes.
Ele chegou à conclusão que as pessoas não acreditavam na oferta.
Parecia bom de mais para ser verdade e mudou o aviso: "Frigorífico à venda por 50,00 €. No dia seguinte, tinha sido roubado!
Cuidado! Este tipo de gente vota!
Ao visitar uma casa para alugar, o meu irmão perguntou à agente imobiliária para que lado era o Norte, porque não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. A agente perguntou: "O sol nasce no Norte?"
Quando o meu irmão lhe explicou que o sol nasce a Nascente (aliás, daí o nome e que há muito tempo que isso acontece!) ela disse: "Eu não estou actualizada a respeito destes assuntos".
Ela também vota!
Trabalhei uns anos num centro de atendimento a clientes em Ponta Delgada - Açores. Um dia, recebi um telefonema de um sujeito que perguntou em que horário o centro de atendimento estava aberto.
Eu respondi: "O número que o senhor discou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana." Ele então perguntou: "Pelo horário de Lisboa ou pelo horário de Ponta Delgada?" Para acabar logo com o assunto, respondi: "Horário do Brasil."
Ele vota!
Um colega e eu estávamos a almoçar no self-service da empresa, quando ouvimos uma das assistentes administrativas falar a respeito das queimaduras de sol que ela tinha, por ter ido de carro para o litoral.
Estava num descapotável, por isso, "não pensou que ficasse queimada, pois o carro estava em movimento."
Ela também vota!
A minha cunhada tem uma ferramenta salva-vidas no carro, para cortar o cinto de segurança, se ela ficar presa nele. Ela guarda a ferramenta no porta-bagagens!
A minha cunhada também vota!
Uns amigos e eu fomos comprar cerveja para uma festa e notámos que as grades tinham desconto de 10%. Como era uma festa grande, comprámos 2 grades. O caixa multiplicou 10% por 2 e fez-nos um desconto de 20%.
Ele também vota!
Saí com um amigo e vimos uma mulher com uma argola no nariz, ligada a um brinco, por meio de uma corrente. O meu amigo disse: "Será que a corrente não dá um puxão cada vez que ela vira a cabeça?"
Expliquei-lhe que o nariz e a orelha de uma pessoa permanecem à mesma distância, independentemente da pessoa virar a cabeça ou não.
O meu amigo também vota!
Ao chegar de avião, as minhas malas nunca mais apareciam na área de recolha da bagagem. Fui então ao sector da bagagem extraviada e disse à mulher que as minhas malas não tinham aparecido. Ela sorriu e disse-me para não me preocupar, porque ela era uma profissional
treinada e eu estava em boas mãos."Agora diga-me, perguntou ela... o seu avião já chegou?"
Ela também vota!
À espera de ser atendido numa pizzaria observei um homem a pedir uma pizza para levar. Ele estava sozinho e o empregado perguntou se ele preferia que a pizza fosse cortada em 4 pedaços ou em 6. Ele pensou algum tempo, antes de responder: "Corte em 4 pedaços; acho que não estou com fome suficiente para comer 6 pedaços."
Isso mesmo, ele também vota!

Agora já sabem QUEM elege tipos como o Sócrates !...

"O cérebro é uma coisa maravilhosa. Todos deveriam ter um!!!"

22.2.08

Concentração de stores

Amanhã (23/02/2008) concentração de professores na Avenida dos Aliados (Porto) às 16h para mostrarmos o nosso descontentamento. Um pouco por todo o país estão marcadas outras acções de protesto. Vamos ver se conseguimos travar as atrocidades que têm sido dirigidas aos professores e à escola pública. PARTICIPA!

Mulher do Costa da SIC (entrevistador do Sócas) tem empregão

Os tachos são para quem se porta bem!!!

Nem Interior nem Litoral

Do Diário Digital extrai-se este artigo que levanta a questão da complexidade geográfica do rectângulo, apesar da sua escassa dimensão, devida à administração territorial inadequada.

PR preocupado com regiões que não são nem interior nem litoral

O Presidente da República disse hoje estar muito preocupado com os problemas específicos das regiões do país que não são interior nem litoral e que, por isso, «não têm merecido o apoio necessário para modernizarem o seu tecido económico».

«Já há algum tempo que o meu gabinete está a recolher o máximo de informação sobre esta zona do país, que atravessa grandes dificuldades para enfrentar a concorrência de outros mercados, com o objectivo de organizar em breve uma visita», disse o chefe de Estado, reportando-se ao Vale do Sousa, Baixo Tâmega e Vale do Ave, onde vive cerca de um milhão pessoas.

Cavaco Silva, que falava durante a inauguração de um centro comunitário na freguesia de Lagares, Penafiel, disse que o país deve ter uma atenção especial para com as zonas que enfrentam problemas mais preocupantes, a maioria de natureza económica, mas que se traduzem em situações de exclusão social.

«Quero ajudar a região a alertar os poderes públicos, mas também as forças locais, para que se mobilizem no sentido de inverter os problemas«, destacou na sessão solene.

O Presidente respondia à intervenção do autarca de Penafiel, que alertara para «os indicadores preocupantes» da região do Tâmega, no interior do distrito do Porto, que enfrentam taxas de desemprego elevadas, baixos índices de poder de compra e altas taxas de abandono escolar precoce, apesar de ser das regiões mais jovens do país.

Cavaco Silva disse estar atento aos problemas de todos os portugueses, frisando que continuará a visitar todo o território nacional, incluindo os lugares mais pequenos, «para conhecer as inquietações, os problemas e as ambições de quem aqui tem as suas vidas».

O Presidente inaugurou o Centro Comunitário de Lagares, da Associação para o Desenvolvimento de Lagares, um equipamento que vai apoiar dezenas de idosos e crianças do concelho de Penafiel.

Cavaco Silva tinha estado na freguesia, em 1993, então como primeiro-ministro, inaugurando o centro social, onde hoje foi recebido em sessão solene.
Diário Digital / Lusa

20.2.08

Marinho ataca - Parte II

O Bastonário da Ordem dos Advogados disse na Assembleia da República:

  • "os juízes e procuradores do Ministério Público devem fazer uma declaração de património e de interesses"
  • “cerca de 99 por cento” dos juízes sejam classificados com notas de ‘excelente’ e ‘muito bom’
  • o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), os juízes serem “só idosos”.
  • opôs-se também à presença de juízes no futebol
Notícia completa AQUI

18.2.08

Jovens cientistas portugueses

Quando a generalidade das pessoas se confina a dizer mal de todos os aspectos do País, considero de suma importância alargar o foco de visão por forma a observar o que existe de positivo, mesmo que seja pouco. Temos que fazer um esforço para notar e valorizar os sinais positivos que possam contribuir para alimentar a nossa auto-estima. Seria interessante que S. Exa o Presidente da República nas sessões em que homenageia alguns portugueses inserisse na lista gente nova que se destaca no aproveitamento escolar, nas pesquisas científicas e nos negócios, enfim, naquilo que se oriente para fazer maior este País de «heróis do mar».

Há poucos dias, no post intitulado Jovens com prémios científicos internacionais, referi Henrique V. Fernandes, investigador do Instituto de Medicina Molecular que é o único investigador português a receber uma bolsa no valor de 1,9 milhões de euros do European Research Council, ao mesmo tempo que também salientava o prémio concedido pela UNESCO, relativo às celebrações do Ano Internacional do Planeta Terra, que se comemora em 2008, a Diana Carvalho de apenas 20 anos, aluna finalista do curso de Comunicação e Multimédia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real.

Hoje, com o título «Porto organiza encontro de ciência jovem», o jornal «Público», pela prosa de Sandra Silva Costa, diz-nos que cerca de 300 estudantes, vindos dos diferentes continentes, tomarão parte, terça e quarta-feira, no Porto no primeiro encontro de Investigação Jovem. Ao longo desta "maratona de ciência", que vai decorrer na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (UP) e é exclusivamente dirigida a alunos dos 1.º e 2.º ciclos (licenciaturas, pós-graduações e mestrados), os estudantes vão debater e apresentar mais de 180 projectos de investigação gerados em contexto académico em vários pontos do globo.

O mesmo jornal, em artigo de Teresa Firmino, diz-nos que a equipa de Helena Santos, do Instituto de Tecnologia Química e Biológica, em Oeiras, encontrou a resposta a como se protegem os microrganismos capazes de resistir a temperaturas elevadas, graças à descoberta de dois compostos químicos nunca antes observados. Este trabalho é distinguido hoje com o Prémio Câmara Pestana, no valor de 2500 euros, atribuído pelo Instituto Bacteriológico Câmara Pestana, de Lisboa. As duas moléculas descobertas estão patenteadas e as aplicações de uma delas foram vendidas a uma empresa de biotecnologia alemã.

E assim se aumenta o prestígio de Portugal, mais do que com os autódromos, ou os jogos olímpicos, ou os mundiais de futebol, ou a maior árvore de Natal.

E roubam... e roubam... e roubam...

Obras públicas derrapam para o dobro
In JN
Mas nada acontece. Minto!!! Os impostos sobem.

Governo rouba os funcionários públicos... e o povo.

Governo reduz os gastos com salários mas aumenta a aquisição de serviços.
AQUI
Só assim se assegura um tacho depois de sair da política.

1º Deputado com vergonha na cara

Deputado vai doar 10% do salário
Está no Parlamento há apenas quatro meses e já conseguiu marcar a diferença.

André Almeida, que foi repescado entre os eleitos sociais-democratas por Aveiro para substituir Marques Mendes, é o mais jovem deputado da bancada do PSD. E tem um projecto inovador: doar 10% do seu vencimento a instituições de solidariedade do distrito pelo qual concorreu, «Jornal de Notícias».

«Quando cheguei à Assembleia da República fiquei surpreendido com o vencimento. Vi que as ajudas de custo chegam perfeitamente para o que um deputado faz, porque temos condições excelentes», confessa.

Convencido de que o dinheiro que recebe todos os meses, «se calhar faz mais falta a algumas instituições», André Almeida começou a esboçar um projecto.

Notícia aqui.

AFINAL HÁ 1 que tem alguma vergonha. É novo... não pensa.

17.2.08

Negociar, coligar em vez de utilizar as armas

No jornal Público de hoje, vem uma notícia, de Jorge Heitor, que talvez seja de bom augúrio, pois poderá significar uma mudança da visão de Bush sobre o mundo. O título é significativo «Presidente Bush defende no Benim uma solução partilhada para o conflito no Quénia» Segundo ela, os EUA gostariam que o chefe de Estado queniano, Mwai Kibaki, entregasse uma parte do poder à oposição, o Movimento Democrático Laranja (ODM) , para se acabar com a violência. Ou será que esta intenção pacífica se deve a não haver ali petróleo?

Hoje a secretária de Estado, Condoleezza Rice, faz uma visita a Nairobi, levando a mensagem de que Washington deseja o fim da violência e um acordo de entendimento entre as partes em contenda.

Mas um alto funcionário norte-americano observou, segundo a Reuters, que a partilha do poder deverá demorar algum tempo a preparar. O anterior secretário-geral da ONU, Kofi Annan, desde há semanas no Quénia, e mesmo muitos quenianos crêem que uma grande coligação seria a melhor solução. Porém na origem do conflito está a dúvida sobre quem, na verdade, venceu as presidenciais de 27 de Dezembro, muito disputadas entre Kibaki e o líder do ODM, Raila Odinga.

A oposição gostaria de ver redigida uma nova Constituição, tomar parte num Governo provisório e realizar novas eleições dentro de dois anos; mas o poder não se mostra com vontade nenhuma de que se volte às urnas antes de 2012.

Esta atitude dos EUA, no sentido da resolução do diferendo pela negociação, pelas conversações, de forma pacífica, constitui a melhor alternativa à luta armada que destrói vidas, património e o ambiente de confiança no futuro. Muito aqui tem sido publicado, de que selecciono os seguintes posts:

- Relações internacionais são interesseiras
- A Paz pelas conversações
- Ausência de autoridade internacional. ONU ineficaz
- Vulnerabilidades da ONU
- Crises em África

As soberanias dos Estados da UE estão em risco

Do escritor Manuel Amaro Bernardo, transcrevo aqui mais um tema "fracturante" que recebi por e-mail e que faz meditar sobre a leviandade com que são decididas questões contraditórias que criam situações de conflito entre a legislação europeia e as dos países membros, retirando a estes e às suas populações valores tradicionais, culturais e sociais que lhes são próprios e integram a sua soberania. E, o que é espantosamente grave, é que isto se passa com o consentimento dos deputados eleitos pelos referidos povos, que neles delegaram a defesa dos interesses nacionais. O caso concreto aqui referido pode permitir opiniões opostas, mas sobre o papel dos deputados em relação aos seus eleitores não poderá haver divergências.

Coitadas das Crianças e dos Pobres de Espírito…

(…) Em Portugal, como em França, não é admitida a
adopção por casais de pessoas do mesmo sexo (…)
António Marinho, Bastonário da Ordem dos
Advogados, in Diário Notícias de 23-1-2008.

Durante a segunda quinzena de Janeiro os portugueses foram praticamente atropelados por esta notícia dita fracturante, que me incomodou de maneira especial.

Com o título “Tribunal Europeu condena França por negar adopção a lésbica”, a jornalista Fernanda Câncio veio dar destaque ao sucedido com uma decisão do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (!?), que, com base no art.º 14.º da Convenção Europeia dos Direitos Humanos, condenou a França por ter recusado a possibilidade de adoptar a uma mulher, que “vivia em união de facto lésbica”, e obrigou este país a pagar uma indemnização de dez mil euros.

Esta incrível situação foi criada por um Tribunal, em que o representante de Portugal votou contra a lei em vigor no seu País. O dispositivo legal da “união de facto” entre lésbicas ou gays em Portugal, como em França, exclui a adopção para os casais do mesmo sexo.

Depois, ao longo de uma página, aquela jornalista espraia-se na defesa dos direitos dos homossexuais, expondo as posições da ILGA (que raio de nome!; alguém me explica o que querem dizer estas iniciais?: o L será lésbicas e o G, gays, e o resto?) que considera ter ficado em causa a lei nacional, com esta decisão do Tribunal Europeu, pois é considerado haver discriminação… E as crianças meu Deus! Quem as defende? De acordo com a prática utilizada em Portugal e bem visível no caso Esmeralda, os tribunais têm que se basear em exames regulares dos técnicos (psicólogos, pediatras e psiquiatras), para defenderem as condições do desenvolvimento natural das crianças. Muitos destes elementos consideram indispensável a presença da figura parental para a sua evolução harmoniosa.

E, como aquele tribunal internacional não estava em condições de fazer esse acompanhamento regular de criança, os seus juízes deviam ter considerado esse órgão judicial incompetente (sem competência) para julgar aquele caso. Assim é que era feita a defesa da criança, que não deve estar sujeita a situações incompatíveis com a natureza humana. Até porque existe e está em vigor uma Convenção Europeia dos Direitos da Criança, que todos os intervenientes nestes processos devem ter em conta e que alguns jornalistas e juízes costumam ignorar. Quando estes assuntos são abordados na Imprensa, vêm-me logo à memória as imagens das comunidades de gays e lésbicas dos Estados Unidos, difundidas há tempos num programa da SIC Notícias, em que as crianças apenas se movimentavam naqueles guetos e ambientes, acabando, a maioria, por se tornarem homossexuais como os seus “educadores”.

Entretanto, Fernanda Câncio, depois de salientar exaustivamente a referida discriminação dos homossexuais sem escrever uma palavra na defesa dos direitos das crianças, volta no dia seguinte, em “página nobre” (última) com uma entrevista ao desconhecido juiz Ireneu Barreto, que tivera aquela “brilhante” actuação juntamente com o seu colega grego e sérvio (além dos da Suécia, Holanda, Reino Unido, Dinamarca, Bélgica, Áustria e Noruega). Sobre o assunto ele diz que “nenhuma decisão interna de um país pode negar direitos que estão consagrados a nível interno com base numa discriminação fundada na orientação sexual”.

Depois de afirmar que apenas seis países europeus admitem, na sua legislação, a adopção por casais do mesmo sexo, faz a seguinte advertência:”Em termos práticos só vincula a França. Mas é um sinal claro e forte. (…) Porque é possível, mas não é provável que o Tribunal (Europeu dos Direitos Humanos) venha a decidir de forma diferente em casos semelhantes.”

No entanto, colocado perante a contradição das legislações existentes na maioria dos países europeus contra tal adopção, admite-a e diz: “(…) Se um dia houver uma maioria de países europeus que consagre a adopção por casais homossexuais poder-se-á dizer que há uma opinião jurídica predominante e nessa altura o tribunal poderá aceitar como norma a seguir pelo Conselho da Europa.” O que, esperemos, nunca lá se chegue, acrescentaria eu…

Então em que ficamos? A Justiça deve ser ministrada com lógica e com senso, e não ao sabor das opiniões individuais e circunstanciais dos juízes… Como atrás referi, os juízes do Tribunal Europeu deviam era terem-se declarado sem competência para julgar estes casos de crianças, que devem ter um acompanhamento técnico regular e adequado ao seu normal desenvolvimento. Na minha opinião, tal apenas poderá ser conseguido nos tribunais nacionais de cada país.

Cor. Manuel Amaro Bernardo

Fevereiro de 2008

16.2.08

CUSTA A ACREDITAR...


Será que o Marinho Pinto se estará a referir a algum destes ???? Eles não andam nus, andam cobertos pelo manto diáfono da fantasia... e nós não há maneira de dizermos que estes reis vão nus!





Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do BCP Angola

José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP

Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de "trabalho", Saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer…)

António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas "patacas" como comentador RTP)

Celeste Cardona:
Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD

José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES

João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.

Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação -
Agora - Vogal do CA do BES

Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.

etc etc etc...

O que é isto ?
- Não, não é a América Latina, nem Angola. É Portugal no esplendor do gamanço e da cunha !!!

Depois deste relambório todo, ainda vem mais este seguinte, que quase dá para rir, não fosse a gravidade da situação, pese embora que quando a alma sair do governo passará para o lote dos descritos anteriormente, isto vai longe, ai vai vai...


José Sócrates tem, como devem saber, um assessor cultural. Trata-se de um típico intelectual luso, minimalista, de negro sempre vestido, triste e crítico de todas as artes, em tempos assessor de... Manuel Maria Carrilho. Chama-se Alexandre Melo, pertence como não podia deixar de ser, ao lobby gay e é grande amigo de outro célebre crítico de arte, também de negro sempre vestido, cujo nome é ANTÓNIO PINTO RIBEIRO, antigo funcionário da Culturgest e hoje em dia da Gulbenkian. Sócrates telefonou ao seu assessor a quem pediu que lhe indicasse o nome de alguém para substituir Isabel Pires de Lima no Ministério da Cultura e o seu assessor, sem hesitar, indicou António Pinto Ribeiro. Logo a seguir, telefonou o Melo ao amigo Pinto Ribeiro a quem preveniu que logo lhe telefonaria o Sócrates a convidá-lo para Ministro da Cultura. Exultaram os dois, e o indigitado futuro ministro ficou de olho e ouvido no telefone à espera de um telefonema que não havia maneira de chegar. Entretanto, Sócrates, no seu gabinete, solicita que o ponham em contacto com o Dr. Pinto Ribeiro. A telefonista procede com prontidão visto ter à mão uma lista de todos os funcionários superiores de todos os ministérios, um dos quais é o Dr. JOSÉ ANTÓNIO PINTO RIBEIRO, advogado de formação e profissão mas exercendo as funções de Presidente da Colecção Berardo no CCB, lugar para onde fora nomeado por ter sido o advogado intermediário entre o Joe Berardo e o Primeiro-Ministro por alturas da escandalosa história da transferência da chamada Colecção Berardo para o Centro Cultural de Belém! Sócrates cumprimenta-o calorosamente e convida-o para Ministro da Cultura, julgando estar a falar com o outro Pinto Ribeiro, o 'agente cultural' que lhe havia sido calorosamente recomendado pelo seu diligente assessor cultural. Muito à portuguesa o interlocutor a quem por equívoco o Sócrates estava a convidar para Ministro da Cultura respondeu imediatamente que aceitava SEM FAZER QUALQUER PERGUNTA a Sua Excelência. Sócrates desliga o telefone e informa o assessor do facto de ter o Pinto Ribeiro aceite o convite. O assessor dá-lhe parte do seu regozijo e telefona logo a seguir ao amigo para o felicitar e só nesta altura se apercebem ambos de como de enganos é feita a vida política em Portugal a tal ponto são ignorantes, trapalhões e imbecis os políticos lusos.

Esta história parece uma página arrancada a um romance do Eça de Queiroz.

E o Pior, é que estes senhores, saem sempre impávidos e serenos como se nada tivesse passado, triste PORTUGAL...

Professora violada. Bem feito!

Juiz liberta violador de professora
Um jovem de 19 anos que terça-feira violou uma professora de 53 anos foi libertado depois de ter assumido à PJ do Porto a autoria do crime.
In Correio da manhã

É uma professorzeca!!! (segundo a Lurdes)

Não queria ser avaliada... BEM FEITO.

COMENTÁRIO: este é o novo código penal. Assumiu? Sai em liberdade. QUE GRANDE MERDA. E se o marido da "colega" matar o FDP do violador? Irá preso. Pois.

ESTA NOTÍCIA VAI SER DIVULGADA PELA IMPRENSA CORRUPTA??? não me parece.

Novo colaborador

Bem vindo Jorge Esperança.

12.2.08

(des)motivação dos professores

De autor desconhecido, recebido por e-mail de pessoa de confiança. Merece atenção devido ao bom português e ao pormenor da análise de um problema de relevância.

E se ela (*) fizesse uma mínima ideia do que está a fazer?

(*)... ela e a União Europeia. De facto ela não passa de uma lacaia da U.E.

O sistema educativo não estava famoso, mas não precisava, Senhora Ministra da Educação, de aparecer para estragar o resto!

Vem, V/ Exa., perguntar agora o que estão 30 professores a fazer numa sala de professores?
Sabe que também me coloco (e coloquei aqui) essa questão muitas vezes? E sabe o que estão lá a fazer?
O que V/ Exa. mandou: a cumprir horário!
Não aumentou a carga horária dos docentes?
Esqueceu-se, foi?

Tal como as utilíssimas «aulas de substituição» em que V. Ex.ª coloca um professor de Matemática a substituir um de Educação Física e vice-versa.
V/ Exa. Manda e os professores obedecem! Não têm alternativa, não é verdade?

Pode, portanto, V/ Exa. orgulhar-se dos resultados obtidos!
Eles são a consequência da sua «reforma»!

Mas não se preocupe pois vão piorar!
Com o escabroso Estatuto da Carreira Docente que V/ Exa. inventou, os resultados só podem evidentemente piorar! Nenhuma reforma, nunca, se conseguirá impor por decreto-lei nem contra a vontade da maioria dos envolvidos!
Os professores, obedientemente, cumprem e cumprirão sempre as suas ordens! Contrariados… muito contrariados… mas cumprirão! Não lhes pode é pedir que, apesar de tudo, as cumpram de sorriso nos lábios, felizes, contentes e totalmente envolvidos com as suas orientações! Não há milagres!
Cumprirão e ponto final! Que é o que V. Exa. quer?
Não se pode, portanto, queixar.
Continue a mandar assim e verá a tal curva de crescimento em queda absoluta.
É que não pode V/ Exa. exigir que se cumpram 35 horas de serviço na escola e se venha para casa preparar fichas de trabalho… apontamentos… actividades…estratégias… visitas de estudo… grelhas… avaliações… relatórios… currículos alternativos…programas adaptados… trabalhos em equipa… etc.… etc.… etc.•
V/ Exa. Tem família?
Saberá, porventura, o que é a dor de um pai que se vê obrigado a negligenciar a educação e o crescimento do seu próprio filho para acompanhar os filhos dos outros?
Esquece V/ Exa. que os professores também são pais?
Também são pais, Senhora Ministra! Pais!

Que estabilidade emocional pode um professor ter se V/ Exa. resolve, 30 anos depois de Abril, impedir os professores de acompanharem os seus próprios filhos ao médico … à escola… aos ATLs?
Não têm os pais que são professores os mesmos direitos dos outros pais?

Conhecerá V/ Exa. a dor de uma mãe que se vê obrigada a abandonar o seu filho, prometendo-lhe voltar dali a uma semana?
E quer V/ Exa. motivação natural?
Com a vida familiar desfeita?
Não é do conhecimento público que os professores são os maiores clientes dos psiquiatras?
E que é entre os professores que se encontra a maior taxa de divórcios?
Porque será, Senhora Ministra?
Motivação?
Motivação, como? Se V/ Exa. obriga os professores a fazerem de auxiliares de acção Educativa?
Motivação, como? Se V/ Exa. obriga os professores a estarem na escola mesmo sem alunos?
Motivação como se V/ Exa. obriga a cumprir 35 horas na Escola mesmo não tendo esta os meios essenciais para que se possa trabalhar.
Motivação, como? Se temos que pagar fotocópias, tinteiros para as impressoras da Escola… canetas… papel?
Motivação, como? Se o clima é de punição e de caça aos mais frágeis?
Motivação, como? Se lava as mãos como Pilatos e deixa tudo à deriva passando toda a responsabilidade para as escolas?

Não é função de V/ Exa. resolver os problemas?
Não seria mais produtivo trabalhar ao lado dos professores?
Motivação, como? Se de cada vez que abre a boca para as televisões fá-lo para tentar virar toda a sociedade portuguesa contra a classe?
Motivação, como? Se toda a gente percebe que o seu objectivo é dividir para esfrangalhar a classe e poupar uns cobres?
Quer lá V. Exa. saber da qualidade do Ensino para alguma coisa!.... Quer é poupar!
O que vale é que por todo o país a opinião pública – e principalmente os Pais – já se estão a aperceber disso.

Motivação, como? Se V/ Exa. tem feito de tudo para isolar os professores dos alunos, dos pais, dos Sindicatos, da sociedade em geral?•
E fica V/ Exa. admirada com os resultados?
Não eram estes os resultados que esperava obter quando tomou posse e iniciou a sua cruzada contra os professores?
A sua estratégia é a mesma daqueles professores que V/ Exa. acusa de não estarem preocupados com os resultados escolares dos seus alunos.

Sabe, Senhora Ministra da Educação?...
O sucesso não depende do manual… como não depende de decretos-lei!
O sucesso depende do envolvimento que o professor consegue com os seus alunos!
Depende da capacidade de motivar!
Depende da capacidade de o professor ir ao encontro dos interesses dos seus alunos.
Depende da relação professor-aluno! - a tal que V/ Exa. queria que fosse avaliada por alguém de fora da escola!
A mesma que, se fosse feita a V/ Exa., daria nota zero.

E, já agora, Sra. ministra, já que a esmagadora maioria (quase totalidade) dos seus colegas de governo são reformados – alguns até duas vezes – siga-lhes, por favor, o exemplo.
Eu não me importo de trabalhar até aos setenta se V. Exa. se reformar já - mas da política!
Pode ser?

Publicado também em Do Miradouro

Discurso de Sócrates - mais sacrifícios...

Sócrates estava num dos seus famosos discursos:
- E a partir de agora teremos de fazer mais sacrifícios!
- Trabalharei o dobro! - diz alguém da multidão.
- E teremos de entender que haverá menos alimentos!
- Trabalharei o triplo! - diz a mesma voz.
- E as dificuldades vão aumentar! - continua Sócrates.
- Trabalharei o quádruplo!

E pergunta Sócrates ao chefe de segurança:
- Quem é esse sujeito que vai trabalhar tanto?
- É o coveiro, Senhor Sócrates.

11.2.08

Copiem a EDUCAÇÃO dos outros

(Clica na imagem para aumentar)
DESAFIO ao Governo
Vou fazer aqui várias propostas sérias para o nosso Governo melhorar a Educação em Portugal:
(É um facto que a Educação na Finlândia é a melhor da Europa)
Copiar TODO o sistema de ensino da Finlândia.
a)- Copiar o sistema de Avaliação dos Professores na Finlândia (onde não são avaliados pelo desempenho dos seus alunos);
b)- Copiar os vencimentos dos Professores, Auxiliares, Educadores da Finlândia (tendo em conta a percentagem dos seus ordenados com os dos Ministros);
c)- Copiar o sistema de colocação dos Professores na Finlândia;
d)- Copiar o nº de Professores/Psicólogos/Ensino Especial por aluno na Finlândia;
e)- Copiar o nº de alunos por sala nas escolas da Finlândia;
f)- Copiar os Edifícios Escolares da Finlândia com tudo o que de equipamento têm (não esquecer de retirar os suportes dos skis);
g)- Copiar a responsabilização dos pais Finlandeses na Educação e Acompanhamento Escolar dos seus filhos;
h)- Copiar as regras de conduta de todos os intervenientes no Processo Ensino/Aprendizagem (na Finlândia);
i)- Copiar as penalizações/sanções a que todos os Finlandeses estão sugeitos quando não cumprem com as suas Obrigações para com a Escola.

Fácil!!! Copiar é Fácil!!!
Copiem quem sabe.
Os Finlandeses sabem o que é EDUCAÇÃO. Copiem.

Novo desafio: vamos fazer uma permuta de governo entre os países. EU PROMETO QUE APRENDO FINLANDÊS.
Abraço
Tiago Soares Carneiro

10.2.08

MAIS UM ROUBO...

Bem, isto vai de mal a pior, após receber este e-mail de uma pessoa devidamente identificada, fiquei com um pouquinho de gosto satânico na alma, é inacreditável, o que os Bancos, sob a égide destes pulhas do BANCO DE PORTUGAL e o Governo da treta, liderado pelo Pinóquio Mentiroso e aldrabão, fizeram a este cidadão, e não faltará muito, será na generalidade, ou seja a todos nós com PPR's. Leiam pf com muita atenção:

Em Março de 2002 comprei um PPR a um balcão do banco TOTTA. Abri com 1000€ e era tirado da minha conta á ordem 50€ todos os meses que eram acrescentados à conta do PPR. Achei que era boa ideia pois alguma coisa que acontecesse no futuro tinha ali um pé de meia onde me agarrar. Até porque não era o primeiro que fazia(noutras instituições) e nunca tinha tido problemas.

Li o contrato, ficando com as condições gerais em meu poder, as quais dizem bem explicito que não posso levantar o PPR em caso algum, antes de 5 anos, a menos que me encontrasse no desemprego de longa de duração ou doença que me impossibilitasse de trabalhar.

Ora em Fevereiro de 2004 fiquei desempregada! Fui vivendo tapando dum lado, destapando do outro. Até que cheguei a um ponto que em Outubro de 2006 tive que recorrer ao PPR pois estava em risco de perder a minha casa.

Nessa altura tinha depositado no PPR á volta de 4000€ e dirigi-me a um balcão do TOTTA para fazer um resgate de 1700€ o qual foi feito sem qualquer problema nem perguntas nem pedido de qualquer documento que provasse a minha situação de desemprego(ainda perguntei se devia entregar alguma prova e disseram que não precisava, é que o PPR só fazia os 5 anos em Março de 2007,daí a minha pergunta)

Em Janeiro, e como a situação subsistia, dirigi-me novamente ao Balcão para fazer novo resgate, desta vez de 1000€, e cancelar as entregas periódicas de 50€, pois não podia continuar a faze-lo. Demoraram quase um mês para transferir o dinheiro para a conta á ordem. O DINHEIRO NÃO APARECIA!

Nessa altura estavam lá cerca de 2450€ (4000-1700=2300+150(3 meses de entregas de Outubro a Janeiro)= 2450€) assim que os 1000€ entraram na conta,1 mês depois do pedido, e achando estranho a demora, desconfiei que se passava qualquer coisa e mais uma vez dirigi-me ao balcão a saber o que se passava. Pedi o resgate do restante dinheiro(que seriam 2450€)e o encerramento do PPR, e qual não é o meu espanto!.... a transferência para a conta à ordem foi de..... 239€

Pedi explicações e ninguém sabia responder. Dirigi-me então, a concelho do gerente do Balcão, ao TOTTA SEGUROS na Rua da Mesquita em Lisboa. Uma vez ali, fui recebida no Hall de entrada, depois de passar por um detector de metais(eu pergunto? quem são os LADRÕES nesta história) onde me foi pedido que fizesse uma carta a pedir as devidas explicações, o que eu fiz ali mesmo.

Quinze dias depois recebo a resposta em casa! Uma carta cheia de equações matemáticas, a justificar o porquê de chegarem aquele valor(239€). Não ficando satisfeita com aquela explicação, até porque não percebia nada daqueles hieróglifos, enviei várias cartas registadas a pedir explicações. Cartas essas que nunca obtiveram resposta da parte do TOTTA SEGUROS.

O tempo ia passando e resposta nada! Decidi então apresentar queixa no INSTITUTO PORTUGUÊS DE SEGUROS. Aí fiz uma carta explicando a situação e entregando fotocópias de todos os papeis, inclusive as condições gerais que tenho em meu poder e pelas quais me regi para comprar aquele produto.

Quase um mês depois, recebo resposta do IPS, que me dava total razão mas como mediador apenas podiam tentar resolver as coisas pela via do diálogo e me aconselhavam a dirigir-me a um advogado pois só pela via judicial seria possível de resolver.

Dirijo-me então à DECO, primeiro por email depois pessoalmente. Mais uma vez conto toda a minha história. Eles receberam a queixa, avaliaram e o departamento jurídico deu-me razão. A DECO fez várias tentativas de contacto mas o TOTTA SEGUROS nunca se dignou responder, até que a DECO me enviou uma carta a informar-me que tinha que encerrar o processo visto o TOTTA não responder ás cartas por eles enviadas (a uns sócios expõem os casos na comunicação social, a outros fica por isso mesmo) e eles (DECO) apenas funcionam como moderadores e não têm poderes jurídicos para resolver as situações. Mais uma vez me aconselham a ir para tribunal.

Acontece, meus amigos, que pelo valor em causa(1300€ que o TOTTA me ROUBOU) nenhum advogado quer pegar no assunto e como não tenho dinheiro(o TOTTA ficou-me lá com o resto) para fazer pagar esta injustiça não consigo pôr as coisas a funcionar.

Este é o País que temos meus amigos!

Contra os grandes como é que nos defendemos? Já pensaram o quanto somos frágeis em relação aos bancos? Eles põem e dispõem do nosso dinheiro como muito bem entendem, tiram
dinheiro das nossas contas, dizendo que são taxas daqui e dali sem nos darem cavaco.

Já pensaram nisso??

Hoje foi comigo!

Amanhã pode ser com vocês!

Vamos alertar as pessoas, para evitar que sejam enganadas e não comprar estes produtos a estes LADRÕES que têm cada vez mais lucros á nossa conta...


Após este relato, acho que já não me espanta nada destes sangussugas, destes pulhas, destes bandalhos (Advogados incluídos), que tanta "FILHA DA PUTICE" junta fazem. MAS A MIM NINGUÉM ME CALA!!!


E para memória futura, aqui fica este vídeo, atentem:

IUC - IMPOSTO ÚNICO DE CIRCULAÇÃO

O estado (esta vergonha de estado) procura incessantemente pagar as suas exuberâncias, as suas extravagâncias, desta feita à custa de quem, de todos nós, claro. O príncipio da legalidade e da lógica, que para as SCUT assim funciona, o tal utilizador/pagador, no IUC não se procede dessa maneira, pode ser um galinheiro (carro velho) e estar parado à 20 anos, que se o livrete e registo existir, o seu dono terá de pagar o dito IUC. E só para dificultar, se a pessoa quiser anular as matrículas, só com o documento para abate, caso contrário a extinta DGV, nega-se a tal acto, tudo, é claro, em prol de mais uns euritos para os cofres do estado.

Mas se porventura, o dito veículo tiver sido vendido à mais de 10 anos, a um fulano(a) que se esteve a borrifar para o registar em seu nome (qual adivinho Zandinga) antevendo esta situação, e para agravar, se não se souber o paradeiro da dita viatura, nem quem a possui, aí tudo se torna mais difícil, ou direi mesmo impossível de nos desenvencilharmos deste imbróglio fiscal.

Passa-se comigo, uma situação caricata, e certamente se irá passar com muitos mais portugueses e contribuintes nos próximos meses, pois não irei pagar o imposto, visto ter anulado a matricula duma viatura que vendi à mais de 10 anos, e não sei onde esta se encontra, tendo pelo menos à 8 anos emitido um mandato de apreensão da mesma. A polícia, entretanto, não a encontrou, sei por fontes travessas que esta viatura não possui seguro válido à 10 anos, o último registo de seguro válido foi em meu nome, e a extinta DGV, diz-me que não me cancela as matriculas, e eu tenho as finanças à perna para pagar o IUC.

Depois, dizem-me que se não pagar, na altura de receber o IRS, este será retido por falta de cobrança do imposto em falta. Bom mas afinal de contas, o que vem a ser esta palhaçada?

Que o estado anda aflitinho, por culpa própria, como é óbvio, para pagar o IRS deste ano, visto já ter até dado instruções para as empresas descontarem menos neste imposto aos trabalhadores, eu sei, agora misturar alhos com bugalhos... meus senhores, ide todos para a PATA QUE VOS PATOU.

Ah... e não pago, disso podereis ter a certeza, ainda vai dar pano para mangas, nem que vá até ás últimas consequências, mas pagar por uma merda de um imposto (10€) por uma lei feita por incompetentes, disso podem tirar o cavalinho da chuva...

VAMOS A VER QUEM GANHA SR. MINISTRO, EU SOU O MAIOR TEIMOSO QUE EXISTE, TENDO A RAZÃO DO MEU LADO, E A MIM NINGUÉM ME CALA!!!


ACTUALIZAÇÃO EM 12/02/2008

Após ter ido á repartição de finanças da minha área de residencia, o chefe de serviços, depois de lhe explicar o facto, e ter exposto a minha situação, aconselhou-me a não efectuar o pagamento do referido IUC, motivado pela confusão geral que se está a gerar nestes serviços de finanças um pouco por todo o país. Afirmou, no entanto que os serviços centrais estarão a proceder às correcções necessárias face ao aumento de reclamações de contribuintes lesados.

Vamos ver no que vai dar...

Post em actualização permanente.

Nova ponte sobre o Tejo sem concurso público?

Embora seja muitas vezes criticado, continuo a esforçar-me por analisar as coisas à distância sem partidarismos, sem atacar as pessoas, mas apenas as palavras e os actos. E de todos os pontos do quadrante saem coisas mais e menos positivas, pelo que a isenção obriga a falar de umas e de outras.

Francisco Louçã, o tal com «voz de cana rachada» como diz Miguel Júdice (ao que chega a baixeza de pessoas de valor!), segundo notícia do Público, pede concurso público para a nova ponte sobre o Tejo. Achei estranho tal pedido, pois não me passaria pela cabeça que um empreendimento público de tal dimensão não fosse entregue a uma empresa vencedora de uma corrida entre vários concorrentes nacionais e estrangeiros. Considero que até a admissão de um funcionário para os ministérios devia ser escrutinado entre vários concorrentes, segundo normas previamente publicadas.

Como fiquei espantado com o título do artigo, fui ler e fiquei a perceber as preocupações do político que defende um concurso público para que todo o processo "seja transparente, para que seja o melhor consórcio, nas melhores condições, para a melhor utilização do dinheiro que é de todos". Esta intenção só merece aplausos, venha de direita ou de esquerda.

E acrescentou: "Que a Lusoponte diga que tem todo o atravessamento da ponte sobre o Tejo garantido, que o Tejo é deles e que qualquer travessia tem de ser sua, porque Joaquim Ferreira do Amaral, ministro do passado, garantiu à Lusoponte, presidida por Joaquim Ferreira do Amaral, que tem o Tejo por sua conta, isso eu não aceito".

Não tenho dados que me permitam pronunciar-me sobre os termos em que é referida a promiscuidade de uma empresa em tão importantes decisões de Estado. Mas, se é como diz, acho que a alienação de funções do Estado numa empresa sem ter havido concurso público não parece correcto e que, não o sendo, há que corrigir tal erro.

Tais confusões entre o Estado e as empresas privadas, com o consentimento activo de políticos ávidos de tachos, como se depreende do muito que tem sido dito a propósito do tráfico de influências, da corrupção e do enriquecimento ilícito, ocasionam e aumentam a concentração do dinheiro nos bolsos de uma minoria, em prejuízo da quase totalidade da população em que a classe média está a desaparecer, indo ampliar o lote numeroso dos pobres.

A justiça social deveria ser um objectivo e uma preocupação permanente dos governantes.

9.2.08

Prémio - Blog Democrático - Fevereiro 08


Este mês é o mês do Carnaval. É então uma altura em que os Palhaços da nossa política podem fazer muitas asneiras que se confundem no meio dos mascarados.
Mas há sempre que esteja atento.
Os blogs!!!

O prémio Blog Democrático do mês de Fevereiro vai para Blasfémias. Um blog muito activo na luta contra os poderosos de política corrupta Portuguesa.
Parabéns

Como sempre este é um prémio que deve ser partilhado por quem o receber, nomeando os de sua eleição. Aqui ou no seu blog.

8.2.08

Novo jornal online (anti-corruptos)

Hoje descobri mais um blog que tb luta pelo nosso cantinho da cauda da Europa.
É o lobi.blogs.sapo.pt e tem um jornalzito que é genial.
Cá vai uma edição que me deixou apaixonado:

GENIAL!!!
Vou lá voltar sempre.

7.2.08

E agora... é apenas mais uma mentira?

Jornal "O Crime", 7-2-2008, capa

Prémio "é um blog muito bom sim senhora!"

Recebemos mais um prémio blogosférico!!! Que palavrão!
O Carlos Rocha do Ó Rosa tu não cumpreendes ofereceu este prémio ao nosso blog.
OBRIGADO.
As regras do prémio são as seguintes:
1 - Este prémio deve ser atribuído aos blogs que considerem serem bons, entende-se como bom os blogs que costuma visitar regularmente e onde deixa comentários;
2 - Só e somente se recebeu o 'É um blog muito bom sim senhora, deve escrever um post incluindo: a pessoa que lhe deu o prémio com um link para o respectivo blog; a tag do prémio; as regras; e a indicação de outros 7 blogs para receberem o prémio;
3 - Deve exibir orgulhosamente a tag do prémio no seu blog, de preferência com um link para o post em que fala dele.
Os meus 7 escolhidos são:

6.2.08

Os políticos confessaram?

Para meu espanto, garantiram-me que num jornal diário recente veio a notícia de que políticos requereram ao Tribunal Constitucional para que não fossem tornadas públicas as suas declarações de rendimentos, entregues por imposição legal. Fiquei atónito, nem querendo acreditar.

Esta atitude, contrariando a transparência democrática que a lei estabelece, é uma prova de que Garcia dos Santos, João Cravinho, Cavaco Silva e Marinho Pinto (por ordem cronológica) tinham razão quando afirmaram publicamente que devia ser combatido o enriquecimento ilegítimo, o tráfico de influências, a corrupção. É uma confissão de que existe algo de muito grave que querem ocultar. «Quem não, deve não teme»

Agora se compreende que tenha havido tanto medo das palavras do bastonário da Ordem dos Advogados e que tenham usado a dialéctica assim traduzida em carta ao jornal gratuito GLOBAL de 6 do corrente escrita por C. Medina Ribeiro, de Lisboa, «Se denuncia é porque sabe; se sabe, tem de concretizar e provar; se não concretizar nem provar, está a ofender a todos; se ofende a todos, afinal o malandro é ele!».

Diz o ditado «não há fumo sem fogo» e «quem cabritos vende e cabras não tem de algum lado lhe vêm», mas é cada vez mais difícil apresentar provas, por que os corruptos pretendem viver num casulo secreto, anti-democrático, sem a mínima transparência, em plena imunidade.

Com esta preocupação do secretismo, parece haver da sua parte a noção de que o seu enriquecimento não é legítimo e não pode ser conhecido do povo eleitor. Parece quererem comportar-se como marginais clandestinos, como um bando de malfeitores ocultos nas sombras da noite. Apavoram-se alergicamente com as paredes de vidro. Porquê?

É uma contradição em pessoas que dão tudo para aparecer nas televisões a «arrotar postas de pescada», à conquista de visibilidade, notoriedade, mas, ao mesmo tempo, querem ocultar a sua forma de enriquecimento, que, por lei, são obrigados a declarar.

A assim vai este país com as economias e as actividades paralelas e inconfessáveis. Isto é suficiente razão para aplaudir Marinho Pinto, independentemente da forma musculada como se expressou e do partido a que possa pertencer.

Alguns artigos aqui publicados acerca do tema corrupção:

http://domirante.blogspot.com/2007/01/corrupo-falta-de-vontade-poltica.html
http://domirante.blogspot.com/2007/01/o-poder-no-repudia-corrupo.html http://domirante.blogspot.com/2007/01/scrates-mendes-e-corrupo.html
http://domirante.blogspot.com/2007/01/corrupo-ponta-do-iceberg.html http://domirante.blogspot.com/2007/03/corrupo-e-burocracia-francisco.html
http://domirante.blogspot.com/2007/06/antigo-professor-foi-acusado-de-corrupo.html
http://domirante.blogspot.com/2007/06/corrupo-de-novo-adiada.html
http://domirante.blogspot.com/2007/10/corrupo-pr-voltou-ao-assunto.html http://domirante.blogspot.com/2007/10/corrupo-porm-ela-existe.html
http://domirante.blogspot.com/2007/11/corrupo-e-deontologia-dos-jornalistas.html http://domirante.blogspot.com/2008/01/ecos-das-palavras-de-marinho-pinto.html
Related Posts with Thumbnails