10.11.07

Pedófilos em liberdade

Ficaram em liberdade os dois homens acusados de abusar sexualmente de três crianças menores, em Cantanhede e Porto de Mós. Os juízes deram como provados os crimes em ambos os casos, mas optaram pela aplicação de penas suspensas.

As decisões foram proferidas nos últimos dias. No Tribunal de Porto de Mós, chegou ao fim o julgamento de um homem de 30 anos, acusado de ter abusado de uma menina de sete. O arguido, residente em Alcanede, negou ter molestado a criança, mas o Tribunal deu os factos como provados.

Segundo a prova produzida nas audiências, o homem aproveitou-se da circunstância de ser conhecido da família para estar com a menina e abusar dela sexualmente, durante uma ausência momentânea da mãe, em Fevereiro de 2004.

Quando a mulher regressou a casa, encontrou a porta do quarto fechada. Após bater várias vezes, a menina saiu a chorar, seminua. Dado que o arguido não tinha antecedentes criminais e agiu embriagado, o Tribunal condenou-o a uma pena de dois anos de prisão, suspensa por igual período. A título indemnizatório, terá de entregar cinco mil euros aos pais da menor.

Em Cantanhede, um sargento do Exército, de 32 anos, foi condenado a quatro anos de prisão pelo abuso sexual de uma filha e uma sobrinha, de seis e 13 anos, respectivamente.

A pena também foi suspensa, por quatro anos, por o militar ter confessado a autoria dos abusos, ser primário e por ter demonstrado vontade de se tratar do “problema de índole sexual de que padece”.

O sargento abusou da filha duas vezes em 2003, quando a mulher estava a trabalhar e, mais tarde, fez o mesmo à sobrinha, que contou aos pais. Estes queixaram-se às autoridades, dando origem ao processo julgado no Tribunal de Cantanhede.

A suspensão da pena obriga o militar a fazer prova de um plano individual de readaptação social, que prevê a ida a consultas psicológicas com especialistas neste tipo de distúrbios comportamentais. Foi iniciado um processo para o inibir do poder paternal.

In Correio da Manhã

7 comentários:

Anónimo disse...

Convem especificar bem que nos casos nenhuma das crianças era da familia dos juizes

Anónimo disse...

Mas são só dois que andam à solta? Pior que isso é termos outros a representar o povo ma Assmbleia da REP...Como é possível que um "pedroso" tenha sido pura e simlesmente retirado do processo Casa Pia? será que o juiz que o Pôs na "xoldra" é assim tão incompetente? As provas que esse juiz encontrou esvairam-se por encanto? Senhores! isto é demais para continuar impune! A nossa esperança é que toque a reunir mais cedo do que eles esperam. Aí, não vai haver cravos na ponta das espingaredas, mas politicos na ponta das baionetas...

xanax disse...

Não entendo esta infame proteção dos Juizes aos pedofilos,acho até que deve haver muitos que são praticantes e depois protejem-se.É minha dedução, depois de ver tantos sem punição.

Anónimo disse...

Só há uma razão para que isto aconteça. A justiça aprova a pedofilia

Acácio Rouxinol disse...

Meus amigos!
Desculpem-me por este comentário jocoso e grosseiro (não mais grosseiro, afinal, do que a justiça portuguesa e seus fazedores):
Como estas meninas e estes meninos vão ser um dia cidadãos contribuintes, é conveniente começar desde cedo a treiná-los para que não se tornem, como nós, uma cambada de lamechas!
Afinal… as crianças habituam-se a tudo!
Nós, é que não!

Anónimo disse...

Têm ouvido falar da gripe "A"!!! Eu também não. Então e da pedofilia ligada à igreja católica portuguesa...?

Anónimo disse...

Mas ninguem limpa o cepo as estes tipos?

Related Posts with Thumbnails