17.12.06

SALÁRIO MILIONÁRIO...

Jorge Vasconcelos ‘bateu com a porta’. Mas o presidente da Entidade Reguladora do Serviços Energéticos (ERSE) não vai de ‘mãos a abanar’: vai receber 12 mil euros por mês até encontrar um novo emprego.

O ex-presidente da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) vai receber cerca de 12 mil euros por mês, durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.

Jorge Vasconcelos anunciou a sua demissão esta semana, em conflito com a decisão do Governo de limitar a seis por cento os aumentos da energia para os consumidores domésticos em 2007.


Segundo apurou o Correio da Manhã, o salário do presidente da ERSE era de 18 mil euros mensais (vezes 14), a que acresciam ajudas de custo. Segundo o que estabelecem os estatutos do próprio regulador (que é uma pessoa colectiva de direito público, dotada de autonomia administrativa e financeira e de património próprio), no seu artigo 29, n.º 5, “após o termo das suas funções, os membros do conselho de administração ficam impedidos, pelo período de dois anos, de desempenhar qualquer função ou prestar qualquer serviço às empresas dos sectores regulados”. Trata-se de um compreensível “período de nojo”, que impede a existência de promiscuidades entre reguladores e regulados.

Menos compreensível é o que o referido estatuto estabelece no n.º 6 do artigo 29; durante dois anos, “a ERSE continuará a abonar os ex-membros do conselho de administração em dois terços da remuneração correspondente ao cargo, cessando esse abono a partir do momento em que estes sejam contratados ou nomeados para o desempenho, remunerado, de qualquer função ou serviço público ou privado”.

Isto significa que Jorge Vasconcelos passará a receber 12 mil euros por mês, durante dois anos, até conseguir arranjar outro emprego no sector público ou privado.

De acordo com artigo 28 dos estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração “estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar dos presentes estatutos”, o que afasta a aplicação das novas normas aprovadas em Conselho de Ministros no dia 19 de Outubro, onde se introduzem alterações à remuneração e às regalias auferidas pelos gestores das empresas e dos institutos públicos.

Questionado o Ministério da Economia, uma fonte oficial adiantou que o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria entidade que, com o estatuto de regulador é independente.

ARRE, E A FACTURA QUEM PAGA SÃO SEMPRE OS MESMOS!!!

Segundo o "Correio Da Manhã" edição de 17/12/2006

7 comentários:

david santos disse...

Olá, Amiga Alexandra. Agora já estou a copreender melhor como chegar até ao teu blog.
Tens aqui um grande trabalho. Se eu te for útil para alguma coisa, não estejas com cerimónias, conta comigo, ok?
Um grande abraço.

Tiago Carneiro disse...

É demais. Ganha sem trabalhar!

Que chulice...

Abraço

A. João Soares disse...

A inveja é tanta!!!
Então achavam bem que o pobrezinho ficasse desempregado e sem o mísero subsídio de desemprego?
Por outro lado tem de manter o seu nível de vida no período de estágio para um tacho à medida das suas «capacidades» políticas, ou melhor, de confiança política!!!

É de gargalhada isto que se chama um Estado de direito. Este indivíduo, sem fazer nada, vai ganhar 45 salários mínimos, isto é tanto como 45 famílias em que os chefes trabalham no duro oito horas por dia. É bom traduzir sempre estas prebendas fabulosas em termos de salários mínimos nacionais.
Certamente o PM e os seus acólitos continuarão a falar em Justiça Social!!!
Cumprimentos
A. João Soares

JOSÉ FARIA disse...

SEM COMENTÁRIOS!
OU... SÓ DOIS:
É UMA VERGONHA! E NÃO ME FALEM EM DEMOCRACIA À PORTUGUESA OU EM GOVERNO DE ESQUERDA MODERNA!
MAS PORQUE SERÁ QUE ESTAS NOTÍCIAS NÃO SÃO ESCARRAPACHADAS EM GRANDE PLANO DE PRIMEIRA PÁGINA.
ONDE CABE A CAROLINA, TAMBÉM CABE O JORGE.
SERÁ QUE O POVO NÃO ACREDITARIA!?
EU PENSO QUE NEM ACREDITA, E MUITO MENOS QUERERÁ SABER DISSO!
UMA VERGONHA INSULTUOSA!

José Faria

victor simoes disse...

Faria, estas notícias não são escarrapachadas em 1ª página, porque o director do Jornal, caíria abaixo do Cavalo.
Pergunta-se ao sr. Primeiro Ministro, José Sócrates... onde está a Justiça Social? Este senhor não foi despedido, despediu-se!
A mim também me dava um jeitaço despedir-me se me pagassem durante dois anos, sem trabalhar! O meu vencimento, não tem nada a ver com o destes senhores!

Anónimo disse...

ei!ei!

eu também quero!

continua o bom trabalho!

nuno

Zita disse...

Que adianta escarrapachar a noticia? Já todos sabem que é assim e continuam a ir votar para lá meter mais. São todos iguais e ninguém enxerga nada ceguinhos pela propaganda politica que não é nada mais que manipulação das massas apoiada por dinheiros públicos e pelos meios de comunicação. NINGUÉM HAVIA DE VOTAR ATÉ HAVER REGRAS PARA OS POLEIROS POLÍTICOS MAS AS PESSOAS VOTAM QUE NEM CARNEIROS MANSOS A ENTREGAR-SE AO CARRASCO QUE OS VAI COMER.

Related Posts with Thumbnails